O Gabinete de Ação Social Escolar (GASE) tem como principal objetivo permitir que todos os estudantes, independentemente das suas condições económicas, possam frequentar os cursos da UFP.

Contactos
Praça 9 de Abril, 349 | 4249-004 Porto | Portugal
Telf. (+351) 22 507 13 00
e-mail: gase@ufp.edu.pt

Horário de atendimento:Segunda a Sexta
Manhã: 10:00 – 12:00 | Tarde: 15:00 – 17:00

Gestão de atendimento presencial
senha B

A bolsa de estudo é uma prestação pecuniária, de valor variável, para comparticipação nos encargos com a frequência de um curso e é suportada integralmente pelo Estado a fundo perdido.

Regulamento
Despacho n.º 5404, de 21 de junho de 2017

Prazos

  1. Entre 25 de junho e 30 de setembro de 2020;
  2. Nos 20 dias úteis subsequentes à matrícula, quando esta ocorra após 30 de setembro de 2020;
  3. Ocorrendo a inscrição antes de 30 de setembro de 2020, o estudante dispõe sempre de um prazo de 20 dias úteis para submeter o requerimento, mesmo que esse prazo ultrapasse aquela data;
  4. Sem prejuízo do disposto nas alíneas b) e c), o requerimento pode ainda ser submetido entre 1 de outubro de 2020 e 31 de maio de 2021, sendo, nesse caso, o valor da bolsa de estudo a atribuir proporcional ao valor calculado nos termos do presente regulamento, considerando o período que medeia entre o mês seguinte ao da submissão do requerimento e o fim do período letivo.

Mapas de requerimentos
Ano letivo 2019/2020, na UFP (Porto): Mapa Síntese (Porto)

Candidatura a bolsas
Direção-Geral do Ensino Superior

A bolsa de mérito, de acordo com o Despacho n.º 13531/2009, alterado pelo Despacho n.º 7761/2017, é uma prestação pecuniária, de valor fixo, destinada a estudantes que tenham mostrado um aproveitamento escolar excecional. 

Assim, no âmbito da atribuição de Bolsas de Estudo por Mérito da Direção-Geral de Ensino Superior, a Universidade Fernando Pessoa realizou o processo de candidatura aos concursos das respetivas bolsas:

 Médias das classificações das unidades curriculares obtidas no ano letivo 2017/2018 (6 bolsas);
Médias das classificações das unidades curriculares obtidas no ano letivo 2018/2019 (7 bolsas).

São elegíveis às bolsas de estudo por mérito todos os estudantes de licenciaturas (1.º ciclo), mestrados (2.º ciclo), ciclos integrados e cursos técnico superior profissional (CTESP), que tenham tido aproveitamento excecional. Considera-se que teve aproveitamento excecional o estudante que satisfaça, cumulativamente, as seguintes condições:

– No ano letivo em causa tenha obtido aprovação em todas as unidades curriculares que integram o plano de estudos do ano curricular;
– A média das classificações das unidades curriculares não tenha sido inferior a Muito Bom (16 valores). A média é calculada de acordo com os regulamentos da UFP.

Regulamento
Consulte o regulamento de atribuição de Bolsas de Estudo por Mérito.

Resultados
Bolsas de Estudo por Mérito 2017/2018 
Bolsas de Estudo por Mérito 2018/2019 

A atribuição de Bolsas de Estudo para Frequência no Ensino Superior de Estudantes com incapacidade igual ou superior a 60% dispõe de regulamento próprio, aprovado pelo Despacho n.º 8584, de 29 de setembro de 2017, de acordo com o qual os estudantes elegíveis podem solicitar a concessão de uma bolsa de estudo correspondente ao valor da propina efetivamente paga.

Mais informações
Direção-Geral do Ensino Superior


O Programa Retomar é uma iniciativa do Governo Português que tem como principais objetivos:
  • Permitir o regresso de estudantes do ensino superior que pretendam completar formações anteriormente iniciadas ou realizar uma formação diferente, nomeadamente incentivando o regresso de antigos estudantes que abandonaram o ciclo de estudos antes da sua conclusão;
  • Combater o abandono escolar no ensino superior, tendo presente critérios de utilidade social e empregabilidade;
  • Promover a qualificação superior de jovens que não estão nem a trabalhar, nem inseridos em percursos de educação ou formação.

Regulamento
Despacho normativo n.º 8-A/2014, de 17 de julho de 2014

Mais informações
Direção-Geral do Ensino Superior

Ao abrigo do protocolo de colaboração assinado em 2019 com a Câmara Municipal do Porto, a Universidade Fernando Pessoa participa no projecto de bolsas de estudo para o Ensino Superior  integrado no programa educativo municipal “Porto de Conhecimento” que tem como objectivos promover a igualdade de oportunidades dos jovens no acesso ao ensino superior, contribuir para a fixação da população jovem qualificada na cidade e promover incentivos e estímulos para fomentar a educação/formação ao longo da vida da população residente.

Mais informações e inscrições
http://www.cm-porto.pt/bolsas-de-estudo

1 — A UFP aceita a inscrição, em unidades curriculares isoladas dos diversos primeiros ciclos de estudos que ministra, a estudantes, designados por externos, maiores de 17 anos de idade, que estejam em fase de conclusão de cursos do ensino secundário, técnico-profissional ou de especialização tecnológica ou provenientes de outras formações correspondentes, que tenham o propósito de vir a inscrever-se como alunos regulares da universidade.

2 — O estatuto de estudante externo é também concedido a outros interessados, inscritos ou não num curso de ensino superior, podendo mantê-lo por um período máximo de dois anos letivos, durante os quais poderão frequentar unidades curriculares que não ultrapassem 60 ECTS.

3 — A inscrição pode ser feita em regime sujeito a avaliação ou não.

3.1 — A inscrição em regime sujeito a avaliação terá de respeitar as condições de frequência previstas na presente normativa, designadamente, em matérias de prescrição e de precedência científica.

4 — As unidades curriculares isoladas em que o estudante externo se inscreva em regime sujeito a avaliação e em que obtenha aprovação:

a) São objeto de certificação;
b) São obrigatoriamente creditadas, com os limites fixados na alínea c) do n.º 1 do artigo 45.º do Decreto -Lei n.º 65/2018, de 16 de agosto, caso o seu titular tenha ou venha a adquirir o estatuto de aluno regular desse ciclo de estudos na UFP;
c) São incluídas no suplemento ao diploma que venha a ser emitido.

5 — A frequência da UFP, como estudante externo, está sujeita à liquidação da taxa geral de matrícula e dos montantes devidos pelas unidades curriculares em que se inscreva, não podendo o conjunto dessas unidades curriculares ultrapassar 60 ECTS.

6 — Em cada ano letivo, o número máximo de unidades curriculares isoladas a que um candidato se pode inscrever não pode ultrapassar um total de 30 ECTS e está dependente da disponibilidade de vagas.

6.1 — As unidades curriculares em que se verifique ser necessário possuir requisitos de formação prévia para a respetiva aquisição de conhecimentos e competências, não terão vagas disponíveis, não sendo permitida a respetiva inscrição isolada;

6.2 — A identificação destas unidades curriculares é da competência dos conselhos científico e pedagógico das faculdades, mediante proposta do coordenador de ciclo de estudos, e homologação pelo diretor da respetiva faculdade, integrando a lista das unidades curriculares o regulamento específico do ciclo de estudos.

7 — A condição de estudante externo, nos termos do n.º 1, só permite inscrições, pela primeira vez, em unidades curriculares do primeiro ano. A inscrição em unidades curriculares dos anos seguintes só pode fazer -se até ao limite mencionado no número anterior.

8 — A condição de estudante externo, nos termos do n.º 2, permite a inscrição em unidades curriculares de anos interpolados, respeitando, todavia, os limites indicados no n.º 6.

VAGAS:
Ano letivo 2020/21: A definir.

TAXAS ESCOLARES:
Ano letivo 2020/21: A definir. 

CANDIDATURAS:
Cronograma de ingresso: Ano letivo 2020/21: A definir.

Submissão da candidatura: Gabinete de Ingresso da Universidade Fernando Pessoa

Documentação:

  • Boletim de Candidatura devidamente preenchido (PDF);
  • Certificado de Habilitações (Ver Notas);
  • Comprovativo(s) de outra(s) habilitação(ões) (Ver Notas).
  • Documento de Identificação da União Europeia ou Título de Residência emitido pelo SEF;
  • Cartão de Contribuinte;
  • Pagamento da taxa de candidatura.

Notas:

  1. Apenas são consideradas candidaturas devidamente instruídas;
  2. Não há devolução de documentação entregue nem de taxas pagas;
  3. Certificados de habilitações:
    • Emitidos por instituições de ensino portuguesas: caso não pretendam entregar os originais, os candidatos podem entregar fotocópia autenticada num notário, advogado, estação de correios ou Junta de Freguesia;
    • Emitidos por instituições de ensino estrangeiras:
      • Original ou fotocópia tem que ser autenticada no país de emissão do documento com a Apostilha da Convenção de Haia. Caso o país não tenha aderido à convenção, a autenticação terá que ser feita pelos serviços oficiais de educação desse país e pela respetiva autoridade diplomática portuguesa;
      • Certidões de disciplinas devem conter a escala de avaliação utilizada na instituição de ensino.

Regime de ingresso destinado a candidatos que completem 23 anos até ao dia 31 de Dezembro do ano que antecede a realização das provas.

Designa as provas especialmente adequadas e destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior de candidatos maiores de 23 anos, de acordo com o estipulado no Decreto-Lei n.º 64/2006, de 21 de março, alterado pelos Decretos-Leis n.º 113/2014, de 16 de julho, e n.º 63/2016, de 13 de setembro.

Consulte o Regulamento de acesso e as condições de candidatura para Maiores de 23 Anos (ligação).