SOBRE O CURSO

Em conformidade com a Portaria 148/2014, de 18 de julho
Acreditação n.º 98/06 de abril de 2015, por despacho de Ministério da Administração Interna

Sobre o Curso
Em cumprimento do estabelecido na Lei n.º 34/2013, de 16 de maio, a profissão de Diretor de Segurança é regulamentada e sujeita à obtenção do título profissional.  De acordo com a Portaria n.º 273/2013, de 20 de agosto, as empresas de segurança privada são obrigadas a dispor, no mínimo, de um Diretor de Segurança.

A formação do director de segurança é ministrada em estabelecimentos de ensino superior oficialmente reconhecidos, cujo curso de director de segurança tenha sido aprovado por despacho do Ministro da Administração Interna, em conformidade com a Portaria 148/2014, de 18 de julho.

Objetivos

No final do curso, os formandos deverão ser capazes de:

  • Planear, coordenar e controlar a execução dos serviços de segurança privada;
  •  Gerir os recursos relacionados com a segurança privada que lhe estejam atribuídos;
  • Organizar, dirigir e inspecionar o pessoal de segurança privada e promover a formação e atualização profissional do referido pessoal;
  • Assegurar o contacto com as forças e serviços de segurança;
  • Zelar pelo cumprimento das normas aplicáveis ao exercício da atividade de segurança privada;
  • Realizar análises de risco, auditorias, inspeções e planos de segurança, bem como assessorar os corpos gerentes das entidades de segurança privada.

Destinatários

O Curso de Diretor de Segurança destina-se a profissionais de segurança e a outros profissionais, que pretendam adquirir conhecimentos na área, e a estudantes dos níveis de ensino não superior e superior, sem distinção de áreas de formação, que objetivem o desempenho de funções directamente relacionadas com a segurança privada.

Podem candidatar-se ao curso:
1. Requisito geral:
a) Os indivíduos com idade igual ou superior a 18 anos, aos quais, com base na experiência, se reconheça capacidades e competências que os qualifiquem para o respectivo ingresso.
2. Escolaridade:
a) Os titulares de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente;
b) Os titulares de uma qualificação profissional de nível 3;
c) Os titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de um grau ou diploma de ensino superior que pretendam a sua requalificação profissional.

Seriação e seleção:
1. A seriação dos candidatos far-se-á relevando a experiência profissional na área do curso, considerada pelos anos de trabalho, a formação escolar e a formação profissional.
2. As situações indiferenciadas serão apreciadas, com vista à seriação, tendo por critério o perfil dos candidatos mediante a realização de entrevista.

N.º mínimo de formandos: 15

Programa

Componente de formação de contacto:
Módulo 1: Regime jurídico do exercício da atividade de segurança privada
Módulo 2: Criminalidade e delinquência
Módulo 3: Sistema de segurança interna e proteção civil
Módulo 4: Segurança física
Módulo 5: Segurança electrónica
Módulo 6: Segurança das pessoas
Módulo 7: Medidas de segurança e sistemas de segurança
Módulo 8: Segurança contra incêndios
Módulo 9: Segurança da informação e proteção de dados pessoais
Módulo 10: Gestão e direção de atividades de segurança privada
Módulo 11: Planeamento e gestão de segurança privada
Módulo 12: Prevenção de riscos laborais aplicados à segurança privada
Módulo 13: Análise de riscos
Módulo 14: Gestão de equipas
Módulo 15: Colaboração com a segurança pública
Módulo 16: Deontologia profissional

Componente de formação prática:
Para além dos conteúdos teóricos e teóricos práticos dos módulos, coincidentes com a definição legal, o Curso prevê a frequência de formação prática em ambiente real de trabalho com orientação tutorial dupla, ou seja, distribuída pelos formadores e pelos representantes das Entidades de Acolhimento.

Formadores

Coordenação
Rui Leandro Maia – Doutor em Sociologia. Docente da UFP

Formadores
Lígia Afonso – Mestre em Criminologia pela Faculdade de Direito da Universidade do Porto. Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade do Porto.
Ana Sacau – Doutora em Psicologia pela Universidade de Santiago de Compostela (Reconhecimento de Habilitações em Registo do Grau de Doutor pela Universidade do Porto). Licenciada em Psicologia pela Universidade de Santiago de Compostela. Bacharel em Criminologia pelo Instituto Universitário de Criminologia – Universidade Santiago de Compostela.
Fontão Pereira – Licenciado em Ciências Policiais pelo Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna.
Rita Figueiredo Reis Rola – Doutora em Menores em Situação Desprotegida e Conflito Social, na Universidade de Vigo, Espanha. Pós-Graduada em Consentimento Informado do Centro de Direito Biomédico pela Faculdade de Direito de Coimbra. Pós-Graduada em Direito Penal Económico Europeu pela Faculdade de Direito de Coimbra. Pós-Graduada em Direito dos Registos e Notariado pela Universidade Católica Portuguesa. Licenciada em Direito pela Universidade Católica.
Feliz Ribeiro Gouveia – Doutor em Engenharia Electrónica e de Computadores pela Universidade Tecnologia de Compiège  (Equivalência em Doutoramento pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto). Mestre em Controlo de Sistemas pela Universidade Tecnologia de Compiège. Licenciado em Engenharia Electrotécnica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.
Luís Borges Gouveia – Doutor em Ciências da Computação pela Universidade de Lancaster (UK) (Reconhecimento de Habilitações em Doutor pela Universidade de Aveiro). Mestre em Engenharia Electrónica e de Computadores – especialidade de Telecomunicações pela Universidade do Porto. Licenciado em Informática/Matemáticas Aplicadas pela Universidade Portucalense.
Rui Cruz – Técnico Superior de Segurança e Higiene do Trabalho. Frequência de Doutoramento em Segurança e Saúde Ocupacionais, na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Mestre na Especialidade de Engenharia de Segurança e Higiene Ocupacionais pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Licenciado em Engenharia Química pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.
Fernando Frazão – Diretor de Segurança na ESEGUR, Empresa de Segurança, S.A. Mestrando em Ciências Policiais no Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna. Pós-Graduado em Gestão e Direção de Segurança pela Universidade Autónoma de Lisboa. Pós-Graduado em Criminologia e Investigação Criminal pelo Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna. Licenciado em Criminologia pela Universidade Fernando Pessoa.
Carla Barros – Doutora em Psicologia. Mestre em Psicologia. Licenciada em Psicologia.
Hélder Fernandes -Mestre em Criminologia da Universidade Fernando Pessoa.
Cristiano Nogueira – Investigador no Observatório Permanente Violência e Crime da Universidade Fernando Pessoa. Formador e voluntário, na Incomunidade, no âmbito da Prevenção do Crime de Tráfico de Pessoas. Mestre em Criminologia pela Universidade Fernando Pessoa. Pós-Graduado em Ciências Forenses, Investigação Criminal e Comportamento Desviante pelo Instituto CRIAP. Licenciado em Criminologia pela Universidade Fernando Pessoa. Curso de Especialização em Direção de Segurança, obtido na Universidade Fernando Pessoa.

Duração e Horário

Duração
A duração do CDS é de 210 horas, podendo haver lugar a formação prática orientada em regime tutorial, mediante apresentação de requerimento às coordenações pedagógica e técnica, prevendo-se, nessa circunstância, a orientação tutorial dupla, ou seja, distribuída pelos formadores e pelos representantes das Entidades de Acolhimento.

Horário
Dias úteis: 18:00-23:00 e SÁB.: 9:00-13h00 e 14:00-16:00

Início
NOV 2019 / JAN 2020

Certificação

Metodologia
Serão utilizados os métodos expositivo, demonstrativo e activo, recorrendo à análise de casos práticos e a trabalhos individuais e/ou em grupo. Está contemplada a elaboração de um Relatório Final.

Avaliação
A avaliação contínua e final de cada módulo é da responsabilidade do formador ou da equipa de formadores. A componente de formação prática está sujeita a avaliação contínua e à concepção e defesa de relatório final. A aprovação dos formandos reflecte igualmente o seguinte regime de faltas:
1. A participação dos formandos na formação de contacto é obrigatória, com uma percentagem mínima de frequência a 70% das aulas em cada módulo.
2. A participação dos formandos na formação prática é obrigatória, com uma percentagem mínima de frequência a 85% das horas consignadas.

Certificação
O CDS é uma formação não superior que confere um Diploma de Diretor de Segurança a todos os formandos aprovados e que respeitarem o regime de frequência estabelecido.

Condições e Custos

Procedimentos gerais de Inscrição
1. Fazer a inscrição online (ligação).
2. Proceder a pagamento e, nos casos aplicáveis, à entrega de documentação abonatória. O pagamento poderá ser feito de duas formas:
– Presencialmente, no gabinete ES-CEFOC, em numerário ou cheque à ordem de Fundação Ensino e Cultura Fernando Pessoa;
– Por transferência bancária, mediante envio de comprovativo e referência de dados para emissão de recibo. Solicite o IBAN, por e-mail, ao ES-CEFOC.

Observações
– A inscrição com pagamento prévio é condição fundamental para garantia de vaga, existindo um limite mínimo de formandos inscritos para viabilização e confirmação definitiva da realização da ação.
– Apenas serão autorizadas devoluções por cancelamento ou adiamento da ação, ou seja, por motivo alheio ao formando e mediante requisição do mesmo.

Taxas*
Regime Geral: 1.100€
Regime Específico:
950€ para estudantes
900€ para membros de entidades protocoladas com a UFP
850€ para alunos e ex-alunos da UFP

*A regularização pode ser feita na totalidade ou em pagamentos faseados.