Acreditação plena, por 6 anos,
pela A3ES, em 15-01-2016 (ligação)

Provas de Ingresso (reg. geral)
Biologia e Geologia
Pré-requisitos Grupo A (PDF)
Vagas 20 (reg. geral)

No final do curso, os licenciados poderão exercer atividade profissional como Técnicos de Análises Clínicas e Saúde Pública em unidades hospitalares públicas ou privadas; Laboratórios privados de análises clínicas; Laboratórios universitários; Laboratórios de saúde pública; Institutos de investigação; Clínicas privadas.

PORQUÊ ESCOLHER ANÁLISES CLÍNICAS DA UFP?

–––
Proximidade e apoio dos professores ao longo de todo o curso

–––
Corpo docente altamente qualificado e diferenciado, com experiência e reconhecimento nacional e internacional.

–––
Estágio no Hospital da UFP proporcionando uma experiência clínica quantitativa e qualitativa sem paralelo, preparando os alunos para uma melhor inserção no mercado de trabalho.

–––
Laboratórios equipados com as tecnologias e equipamentos mais avançados permitindo aos alunos uma aprendizagem em contexto de prática real e uma adaptação gradual à futura vida profissional.

A SUA EQUIPA DE APOIO

O sucesso educativo alcança-se através do trabalho de equipa. Durante o seu processo de candidatura, e sempre que precisar, contará com o apoio e aconselhamento de uma equipa de profissionais.

Professores

Além de academicamente qualificados, os nossos professores são conhecidos por serem muito próximos dos alunos e disponíveis para esclarecer todas as suas dúvidas.

Equipa de Acolhimento

A equipa de acolhimento, constituída por colaboradores da UFP que são maioritariamente antigos alunos da universidade, tem como objetivo facilitar a integração dos novos alunos.

Colaboradores

Presencialmente (durante os horários de atendimento) ou à distância de um clique, os nossos colaboradores são conhecidos pelo seu profissionalismo e pela sua disponibilidade para ajudar.

PLANO DE ESTUDOS

1º Ciclo – Licenciatura* · Duração: 8 Semestres · 240 ECTS
Conforme: Registo R/B-AD-756/2006, DR 2ª série n.º 148, de 02 de Agosto de 2006 · Despacho n.º 18079/2006, DR 2ª série n.º 171, de 05 de Setembro de 2006 · Retificação nº 2368/2008, DR 2ª série nº 210, de 29 de Outubro de 2008 · Despacho nº 4280/2017, DR 2ª série nº 96, de 18 de maio

UNIDADES CURRICULARES ECTS

1. Definir modelo, reconhecer a sua importância e condicionamentos.
2. Analisar os modelos estudados.
3. Entender e analisar uma variação exponencial.
4. Aplicar as variações exponenciais na explicação de fenómenos com interesse clínico.
5. Entender o mecanismo geral para um fenómeno de regulação.
6. Analisar processos de regulação definindo as suas variáveis e ciclos de controlo.
7. Aplicar a nomenclatura da regulação à regulação da glicémia.
8. Saber explicar a regulação da temperatura corporal e aos seus estados de alteração.
9. Saber explicar processos simples de transporte de matéria.
10. Reconhecer os processos de transporte inerentes a fenómenos fisiológicos e técnicas laboratoriais.
11. Reconhecer as propriedades do sangue como um fluido.
12. Aplicar os conceitos físicos de hidrodinâmica à circulação sanguínea.
13. Entender e explicar estados de alteração à dinâmica circulatória normal.

1. Desenvolvimento da competência linguística e comunicativa dos alunos com o objetivo de assegurar uma comunicação eficaz numa pluralidade de situações sócio-profissionais.
2. Consolidação de estruturas gramaticais e padrões previamente adquiridos. Identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês.
3. Desenvolvimento das capacidades críticas e reflexivas dos alunos, através de uma aprendizagem e gestão autónomas.

Pretende-se que o aluno domine as técnicas de investigação e de produção com vista à correta execução do trabalho científico e desenvolva competências estruturantes de natureza teórico-prática que lhe permitam conhecer e aplicar estruturas discursivas utilizáveis na sua área de formação. Para dotar os alunos das competências específicas a desenvolver no âmbito desta unidade curricular, existe uma correspondência direta entre os conteúdos de cada capítulo lecionado e as competências específicas a desenvolver.

A Biologia Molecular e Celular integra o conhecimento de várias áreas disciplinares, e.g. Genética, Bioquímica e Biologia Molecular, para compreender os seres vivos a partir de uma perspetiva unificadora, a célula. Esta unidade curricular visa explicar como as funções moleculares e as interações molecularmente coordenadas asseguram a fisiologia da célula e do organismo. A nível dos conhecimentos visa uma compreensão sólida sobre a complexidade molecular, estrutural e funcional da célula. A nível das competências visa proporcionar capacidade para compreender e reconhecer a importância da célula na saúde e doença. A nível das aptidões visa a aquisição de aptidões científicas genéricas e.g. seleção, análise, interpretação e validação de informação técnico-científica, comunicação de informação científica e atualização contínua e autónoma do conhecimento.

Pretende fornecer bases de compreensão para o funcionamento do organismo humano, ao nível molecular, celular, tecidular, orgânico e sistémico. O estudo desta disciplina deverá permitir ao aluno conhecer os aspectos mais importantes da anatomofisiologia humana que lhe possibilitem, posteriormente, compreender conceitos fundamentais na área de Análises Clínicas e Saúde Pública.

Dar a conhecer as ferramentas básicas indispensáveis para orientação de um leque variado de situações relacionadas com a saúde humana que ocorrem no dia a dia e que devem aprender independentemente do seu campo de atuação. Tem também como objetivo ensinar as atitudes que deverão executar na sua missão de promover a saúde no seu todo, adquirindo nomeadamente as seguintes competências: Saber efetuar medidas básicas de socorrismo adequadas às situações emergentes mais usuais; Reconhecer o material indicado para as diferentes situações; Desenvolver estratégias de comunicação.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Os níveis de organização dos organismos: Noção de tecido. A Histologia e seus métodos de estudo. Tecidos básicos: tecido epitelial, tecidos conjuntivos (tecidos conjuntivos propriamente ditos, tecido adiposo, tecido cartilagíneo, tecido ósseo, tecido sanguíneo), tecido muscular, tecido nervoso.
O sistema cardiovascular: características gerais e organização, coração, sistema sanguíneo, sistema linfático. Pele e anexos: estrutura e funções.
Sistema respiratório: características gerais e organização; cavidade nasal, laringe, traqueia, brônquios, bronquíolos e alvéolos, pleura.
O sistema linfóide: características gerais e organização; timo, gânglios linfáticos, baço, amígdalas. Fases e processos do desenvolvimento embrionário geral.

1. Desenvolvimento da competência linguística e comunicativa dos alunos com o objetivo de assegurar uma comunicação eficaz numa pluralidade de situações sócio-profissionais.
2. Consolidação de estruturas gramaticais e padrões previamente adquiridos. Identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês.
3. Desenvolvimento das capacidades críticas e reflexivas dos alunos, através de uma aprendizagem e gestão autónomas.

A Bioestatística propõe-se introduzir e desenvolver o conhecimento de técnicas de análise estatística, apresentando exemplos relevantes e situações realistas para ilustrar os conceitos. Procura-se ainda desenvolver no aluno o espírito crítico e de análise, relativamente aos resultados obtidos, de forma a estabelecer o grau de confiança nos mesmos.

A unidade curricular visa o estudo dos principais processos metabólicos e a comunicação celular, assim como o relacionamento dos vários órgãos envolvidos na manutenção do equilíbrio metabólico do nosso organismo. Pretende-se que os alunos compreendam os aspectos fundamentais da bioquímica e do metabolismo das principais biomoléculas e da (bio)química e fisiologia do sistema endócrino. Introduzir-se-ão algumas situações clínicas relacionadas com as várias vias metabólicas estudadas, procurando-se sempre desenvolver nos alunos o espírito crítico e de análise de problemas.

1. Noções gerais de farmacologia e toxicologia. Ciclo geral de fármacos e tóxicos no organismo. Farmacocinética e toxicocinética (absorção, distribuição, metabolização e excreção). Farmacodinamia e mecanismos gerais de acção dos fármacos. Fármacos com acção no sistema nervoso central: sedativos e hipnóticos, antidepressivos e psicoestimulantes e drogas de abuso. Fármacos utilizados no controlo da dor: opióides, AINEs e paracetamol.
2. Reações adversas e interações medicamentosas. Mecanismos gerais de toxicidade e efeitos dos tóxicos. Avaliação do risco e o conceito de dose diária admissível.Pesticidas e metais pesados: órgãos alvo e mecanismo de toxicidade. Pesquisa e quantificação de fármacos e tóxicos no laboratório. Monitorização terapêutica de fármacos.
3. 
Fontes de informação sobre fármacos e tóxicos.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

O programa da disciplina de Microbiologia Geral irá abordar os conceitos base e fundamentais sobre o mundo microbiológico. Será dada especial ênfase à interdependência dos diversos conceitos de microbiologia estrutural, microbiologia funcional, relação parasita-hospedeiro e antimicrobianos. Identificar as características estruturais dos organismos eucariotas e procariotas; Identificar os factores que influenciam o crescimento dos microorganismos; Vírus; Princípios de genética microbiana; Identificar e descrever os mecanismos de infecção; Antimicrobianos.

Os procedimentos analíticos atualmente usados nas ciências da saúde, em bioquímica, química alimentar, ciências ambientais e em numerosas áreas industriais, têm por base os métodos instrumentais de análise. De facto, a determinação de espécies pelos métodos químicos tradicionais, tornou-se menos importante porque lhes falta seletividade, sensibilidade, são demorados e a sua precisão é facilmente alterada. O objetivo desta unidade curricular é descrever algumas das metodologias analíticas que hoje em dia têm maior utilização, de um modo conciso, simples e preciso, transmitindo aos alunos os conhecimentos essenciais para o uso e manipulação corretos destes equipamentos em laboratório.

O programa teórico tem por objetivo dar aos alunos uma formação teórica na área da hematopoiese e fisiopatologia das diferentes células sanguíneas, assim como, formação teórica na avaliação de um doente hematológico e abordagem de diferentes métodos de diagnóstico, procurando dar ênfase às técnicas utilizadas por rotina num Laboratório de Hematologia. O programa prático e laboratorial, em estreita ligação com o programa teórico, pretende preparar os alunos para a compreensão e execução de um estudo laboratorial hematológico e sua interpretação.

A principal função da química clínica laboratorial é a de fornecer informação bioquímica necessária para o estudo do doente. Os testes bioquímicos são usados no diagnóstico, prognóstico, monitorização e despiste de doenças. Toda a informação recolhida terá valor quando obtida com o rigor necessário. Assim, pretende-se com esta disciplina que o aluno consiga compreender, executar e avaliar de forma adequada qualquer determinação bioquímica, de forma a permitir a avaliação correta do estado do doente.

O programa inclui os aspetos básicos da genética molecular, desde os tipos de material genético, sua composição, estrutura, arranjo e distribuição celular, até aos mecanismos moleculares de preservação da informação genética, regulação da expressão génica, transcrição e tradução. Com estes conhecimentos básicos, serão abordadas as técnicas utilizadas para o estudo genético, focando depois exemplos concretos de aplicação de conhecimentos e técnicas genéticas às análises clínicas no foro da imunologia, microbiologia, hematologia e hemato-oncologia.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Compreender e avaliar os exames hematológicos de forma a possibilitar a sua correta aplicação no laboratório de acordo com as patologias hematológicas mais frequentes.

A principal função da química clínica laboratorial é a de fornecer informação bioquímica necessária para o estudo do doente. Os testes bioquímicos são usados no diagnóstico, prognóstico, monitorização e despiste de doenças. Toda a informação recolhida terá valor quando obtida com o rigor necessário. Assim, pretende-se com esta disciplina que o aluno consiga compreender, executar e avaliar de forma adequada qualquer determinação bioquímica, de forma a permitir a avaliação correta do estado do doente.

Proporcionar: compreensão dos mecanismos da resposta imunológica, à agressão exógena e endógena; conhecimento dos órgãos do sistema Imunológico (SI), sua anatomia e principais constituintes celulares; conhecimento dos principais componentes humorais do SI, sua estrutura molecular, função e mecanismo de acção; compreensão dos mecanismos imunológicos de protecção à infeção; compreensão das imunodeficiências, hipersensibilidades, autoimunidades, e da acção do SI em tumores e transplantes; compreender as principais formas de imunização e imunossupressão; compreender as estratégias de manipulação terapêutica da resposta imunológica. Compreender os principais métodos analíticos para estudo do SI bem como os métodos que utilizam células ou componentes do SI para análises laboratoriais.Competências e Aptidões: Proporcionar as competências práticas para desenhar, executar, interpretar e validar resultados laboratoriais na área da Imunologia clínica e de investigação científica.

O programa das aulas teóricas de Bacteriologia incidirá sobre as características patogénicas, epidemiológicas, morfológicas, metabólicas, fisiológicas, de virulência e de suscetibilidade aos antibióticos de vários géneros bacterianos com relevância clínica para o Homem.
O programa das aulas prático-laboratoriais incidirá sobre a manipulação de produtos biológicos, identificação da espécie e avaliação da susceptibilidade a antimicrobianos de algumas bactérias com interesse clínico através de métodos clássicos e de biologia molecular.

A componente teórica envolve a revisão e discussão actual do conhecimento em virologia com particular ênfase na sua importância para o desenvolvimento das competências dos profissionais de Análises Clínicas e de Saúde Pública. Na componente laboratorial, pretende-se que o aluno seja capaz de identificar as diferentes doenças de origem vírica e realizar o seu diagnóstico.

Pretende-se com esta disciplina fornecer ao aluno a prática laboratorial adequada para que este consiga: colher, separar e preservar de forma adequada as amostras biológicas; Compreender e executar correctamente os programas de controlo de qualidade; Executar corretamente as determinações bioquímicas mais usuais na rotina laboratorial ; Interpretar de forma crítica os resultados de acordo com o perfil habitual do doente/utente em causa.
Possibilita a participação no Projeto Ambulatório de Saúde Oral e Pública (PASOP).

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Com o objetivo dos alunos conhecerem e saberem interpretar um vasto espectro de perfis analíticos patológicos, serão versadas as patologias hematológicas, cardiovasculares, hepáticas, pancreáticas, genito-urinárias, respiratórias, neurológicas, infecciosas, metabólicas, tóxicas e monitorização terapêutica, abordando-se a sua respectiva definição, classificação, etiologia, quadros clínicos, diagnóstico clínico e laboratorial. Além da exposição teórica, todos os alunos irão apresentar um caso clínico sobre o tema versado com debate interativo. 

Compreensão do contexto ético-cultural no qual estão enquadrados.
1. S
aber aplicar os conhecimentos ético-deontológicos adquiridos, de forma a evidenciar uma abordagem profissional ética ao trabalho desenvolvido na sua futura área de atuação;
2. Saber recolher, selecionar e interpretar a informação relevante, particularmente na sua área de formação, que os habilite a fundamentarem eticamente as soluções que preconizam e os juízos que emitem;
3. Saber resolver problemas ético-deontológicos no âmbito da sua área de formação e saber construir e fundamentar a sua própria argumentação ético-deontológica

Dominar conceitos teóricos e práticos sobre controlo de qualidade na saúde, um controlo virado para a qualidade. Conhecer realidades e necessidades na área, a implementação de um controlo de qualidade.

Esta unidade curricular deve sensibilizar os estudantes para o papel vital que a água representa na saúde do ecossistema planetário e nos processos bioquímicos dos organismos. Os alunos devem conhecer as restrições futuras que se impõem ao consumo de água, sobretudo resultado da contaminação antropogénica generalizada dos ecossistemas e das conhecidas alterações climáticas em curso. Os alunos devem conhecer as propriedades físico-químicas e microbiológicas da água, sem esquecer os diferentes tipos de água destinados ao consumo humano e para fins laboratoriais e farmacêuticos, suas diferentes formas de obtenção, suas qualidades e suas diferentes utilizações. Os alunos devem ser capazes de realizar um processo analítico completo à água de consumo, desde a preparação prévia do material laboratorial, recolha da amostra, passando pela utilização de metodologias analíticas certificadas, adequada interpretação dos resultados e terminando na correta redação de um boletim analítico.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

O objetivo da disciplina é fornecer um conhecimento geral sobre as características morfológicas e biológicas dos organismos responsáveis pelas principais parasitoses, com ênfase nos meios de profilaxia e diagnóstico. O aluno deverá ainda ser capaz de executar corretamente a recolhe de amostras clínicas e o diagnóstico das infeções parasitárias.

O principal objetivo da Bromatologia é o estudo dos alimentos. Pretende-se que o aluno, como futuro profissional, adquira conhecimentos e competências que lhe permitam solucionar problemas essencialmente a nível do controlo da qualidade e da segurança dos produtos alimentares, numa perspetiva terapêutica e relacionada com a promoção da saúde, na área das ciências da saúde.

1. Desenvolver e aprofundar conhecimentos teóricos e práticos específicos em ambiente real de exercício profissional (grande laboratório de análises clínicas).
2. Desenvolver uma visão integrada do exercício profissional, tomando conhecimento de todos os aspectos que vão da recepção dos doentes ao contacto com as autoridades de saúde, passando pela logística básica (aquisição de reagentes, manutenção do equipamento, etc.).
3. Desenvolver uma atitude profissional face ao doente e a todas as restantes pessoas com quem contacta no ambiente laboratorial: administrativos, técnicos, técnicos superiores.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

1. Desenvolver e aprofundar conhecimentos teóricos e práticos específicos em ambiente real de exercício profissional (grande laboratório de análises clínicas).
2. Desenvolver uma visão integrada do exercício profissional, tomando conhecimento de todos os aspectos que vão da recepção dos doentes ao contacto com as autoridades de saúde, passando pela logística básica (aquisição de reagentes, manutenção do equipamento, etc.).
3. Desenvolver uma atitude profissional face ao doente e a todas as restantes pessoas com quem contacta no ambiente laboratorial: administrativos, técnicos, técnicos superiores.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Aprender os conceitos teóricos sobre a implementação de um projeto de investigação. Aplicar esses conhecimentos na resolução de um problema prático.

* A conclusão, com aproveitamento, de todas as unidades curriculares que integram o plano de estudos do 1º ciclo (240 ECTS) confere o grau de licenciado.
FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE – ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE (ensino politécnico)

COORDENAÇÃO DO CURSO

Profª. Doutora Cristina Almeida

Envie o formulário se pretende ser contactado pela coordenação do curso:



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País














INTERCÂMBIO / ESTUDAR NO ESTRANGEIRO

Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram os critérios de elegibilidade dispõem da possibilidade de realizar períodos de estudo e/ou de estágio em mobilidade internacional.

Os períodos de estudo em mobilidade internacional de estudantes são realizados em instituições de ensino superior fora de Portugal, com as quais a UFP mantém acordos de intercâmbio de estudantes, ao abrigo do Programa Erasmus+ (no espaço Europeu) ou de outros acordos bilaterais de intercâmbio existentes.

Informação sobre programas de mobilidade/intercâmbio estão disponíveis através do Gabinete de Relações Internacionais (ligação).

CANDIDATURAS E TAXAS ESCOLARES

1.ª FASE* (REGIME GERAL E UNIÃO EUROPEIA)
CANDIDATURAS: 01 MAI – 14 AGO 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 17 AGO 2018
MATRÍCULAS: 20 AGO – 07 SET 2018

2.ª FASE* (REGIME GERAL E UNIÃO EUROPEIA – VAGAS EVENTUALMENTE SOBRANTES)
CANDIDATURAS: 11 – 18 SET 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 20 SET 2018
MATRÍCULAS: 20 SET – 26 SET 2018

RECEÇÃO AOS NOVOS ALUNOS E INÍCIO DO ANO LETIVO:  17 SET. 2018

* Não dispensa a consulta do Cronograma de Ingresso (PDF)

VER TAXAS

VISITE O CAMPUS UNIVERSITÁRIO

Venha conhecer a Universidade Fernando Pessoa. Visite as bibliotecas, laboratórios e espaços do campus UFP.
Desfrute dos espaços verdes e tire uma foto ao pé da estátua do nosso Patrono, Fernando Pessoa.



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País








  • ANTIGOS ALUNOS

    A Antiga Aluna Tânia Marques é, desde 2008, Técnica de Análises Clínicas do Serviço de Imuno-Hemoterapia do Instituto Português de Oncologia do Porto.

     

    (WWW.IPOPORTO.PT)