AULAS PRÁTICAS EM CENTRO DE ENFERMAGEM E HOSPITAL UFP

INSTALAÇÕES DE QUALIDADE

CORPO DOCENTE DE REFERÊNCIA

ACESSO A BOLSAS DE ESTUDO

Acreditação plena, por seis anos,
pela A3ES, em 23-05-2019 (ligação)

Provas de Ingresso (reg. geral): Biologia e Geologia
Vagas (reg. geral): 45

Os licenciados em Enfermagem podem exercer atividade profissional liberal ou em instituições públicas ou privadas, nomeadamente hospitais gerais e especializados, centros de saúde, empresas, estruturas residenciais para idosos e clínicas.

PORQUÊ ESCOLHER ENFERMAGEM DA UFP?

–––
Corpo docente altamente qualificado e diferenciado, com experiência e reconhecimento nacional e internacional.

–––
Proximidade e apoio dos professores ao longo de todo o curso

–––
Centro de Enfermagem e laboratórios equipados com as tecnologias e equipamentos mais avançados, proporcionando uma aprendizagem em contexto de prática real.

–––
Hospital-Escola da Universidade Fernando Pessoa, entidade prestadora de cuidados de saúde gerais e especializados, campo de estágios e de formação clínica hospitalar de excelência para os seus alunos.

A SUA EQUIPA DE APOIO

O sucesso educativo alcança-se através do trabalho de equipa. Durante o seu processo de candidatura, e sempre que precisar, contará com o apoio e aconselhamento de uma equipa de profissionais.

Professores

Além de academicamente qualificados, os nossos professores são conhecidos por serem muito próximos dos alunos e disponíveis para esclarecer todas as suas dúvidas.

Equipa de Acolhimento

A equipa de acolhimento, constituída por colaboradores da UFP que são maioritariamente antigos alunos da universidade, tem como objetivo facilitar a integração dos novos alunos.

Colaboradores

Presencialmente (durante os horários de atendimento) ou à distância de um clique, os nossos colaboradores são conhecidos pelo seu profissionalismo e pela sua disponibilidade para ajudar.

PLANO DE ESTUDOS

1º Ciclo Licenciatura* · Duração: 8 Semestres · 240 ECTS
Conforme Despacho nº 7090/2019, DR 2ª série nº 151, de 08 de agosto 2019

UNIDADES CURRICULARES ECTS

– Adquirir conceitos fundamentais de anatomia e fisiologia para a compreensão do funcionamento do organismo humano;
– Capacitar o estudante para a compreensão da Anatomofisiologia Humana nos diversos sistemas;
– Transferir os conhecimentos e competências sobre Anatomofisiologia Humana para a prestação de cuidados de enfermagem.

– Definir a enfermagem enquanto disciplina e profissão;
– Diferenciar os modelos e teóricos em enfermagem;
– Distinguir as conceções que sustentam os cuidados de enfermagem através dos conceitos de pessoa, ambiente, saúde e cuidados de enfermagem;
– Identificar manifestações de independência/dependência nos diversos autocuidados;
– Demonstrar capacidades de prevenção da infeção associada aos cuidados de saúde, promovendo um ambiente seguro nos cuidados prestados;
– Desenvolver competências no âmbito das intervenções autónomas e interdependentes do exercício profissional de enfermagem à pessoa nos seus autocuidados;
– Revelar competência para concetualizar cuidados de enfermagem à pessoa nos seus autocuidados, aplicando o processo de enfermagem com recurso a linguagem classificada;
– Demonstrar conhecimentos, aptidões e competências para operacionalizar o suporte básico de vida;
– Desenvolver capacidades interpessoais, para o estabelecimento de uma relação terapêutica.

– Demonstrar conhecimentos sobre os aspetos fundamentais da Ética, Deontologia Profissional, e Bioética;
– Desenvolver competências e aptidões alicerçada em princípios éticos, face não só às situações problema, como ao relacionamento profissional com os utentes, assim como os colegas e outros profissionais de saúde;
– Demonstrar ser capaz de analisar comportamentos num quadro de referência ético-deontológico e legal da profissão de enfermagem, com base no respeito pelos valores e culturas dos utentes, família e comunidade.
– Desenvolver competências e aptidões para basear a sua tomada de decisão éticas e deontológicas nas normas reguladoras do exercício profissional de enfermagem;
– Demonstrar capacidade de analisar as questões bioéticas ao longo do ciclo de vida.

– Demonstrar conhecimentos, aptidões e atitudes para uma comunicação eficaz em todas as suas vertentes
– Desenvolver competências para comunicar de acordo com as regras definidas pela comunidade científica
– Demonstrar conhecimentos, aptidões e competências de modo sobre processo de comunicação em saúde.
– Reconhecer componentes da comunicação promotoras de maior literacia em saúde
– Aplicar a comunicação em Enfermagem nas suas diferentes vertentes
– Transferir os conhecimentos e competências sobre comunicação em saúde para a prestação de cuidados de enfermagem.

– Comunicar, compreender e produzir mensagens simples em língua inglesa,
– Capacitar para a utilização da língua inglesa num conjunto de situações reais;
– Comunicar oralmente e por escrito mensagens simples em inglês;
– Identificar e compreender mensagens simples produzidas em inglês;
– Desenvolver competências e aptidões iniciais, para comunicar em inglês, nos contextos profissionais relacionados com a enfermagem.

– Adquirir conceitos fundamentais de Biologia e Bioquímica Fisiológica;
– Assimilar os aspetos fundamentais da Biologia e da Bioquímica, e aprofundar os domínios celulares e particulares do metabolismo das principais biomoléculas;
– Capacitar e relacionar algumas situações clínicas com alterações nas vias metabólicas estudadas;
– Transferir os conhecimentos e competências da Biologia e Bioquímica Fisiológica para a prestação de cuidados de enfermagem.

– Adquirir bases teóricas e metodológicas de trabalho e investigação em Antropologia e sociologia da saúde;
– Conhecer a base da diversidade cultural, das construções sociais e culturais sobre a doença, o corpo e a comunicação em espaços sanitários;
– Conhecer os novos paradigmas da saúde e do cuidar;
– Conhecer os papéis e as relações de poder das profissões ligadas à saúde e as políticas sociais aplicadas ao campo sanitário.
– Desenvolver competências e atitudes para trabalhar em contextos transculturais;
– Desenvolver uma competência critica em relação às políticas de saúde;
– Desenvolver competências e atitudes para o exercício da enfermagem no respeito da diversidade cultural e da justiça social.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

– Aprofundar conhecimentos de anatomia e fisiologia para a compreensão do funcionamento do organismo humano;
– Capacitar o estudante para a compreensão da Anatomofisiologia Humana nos diversos sistemas;
– Compreender os mecanismos envolvidos no funcionamento e interligação dos diferentes órgãos e sistemas;
– Identificar as particularidades anatómicas e fisiológicas inerentes a cada fase do ciclo de vida;
– Compreender os mecanismos Anatomofisiológicos que estão na base dos aspetos fisiopatológicos;
– Transferir os conhecimentos e competências sobre Anatomofisiologia Humana para a prestação de cuidados de enfermagem.

– Aprofundar conhecimentos, atitudes e competências para a utilização dos instrumentos conceptuais que lhe permitam analisar criticamente os cuidados de enfermagem;
– Desenvolver competências no âmbito das intervenções autónomas e interdependentes do exercício profissional de enfermagem à pessoa;
– Revelar competência para concetualizar cuidados de enfermagem à pessoa, aplicando o processo de enfermagem com recurso a linguagem classificada;
– Desenvolver capacidades interpessoais, para o estabelecimento de uma relação terapêutica;
– Demonstrar conhecimentos, atitudes e competências para fundamentar a tomada de decisão em enfermagem, desenvolvendo um juízo crítico;
– Analisar criticamente a intervenção nos cuidados de enfermagem para a obtenção de ganhos em saúde da pessoa;
– Prescrever intervenções de enfermagem no domínio da promoção e manutenção da saúde;
– Integrar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção de cuidados de enfermagem à pessoa.

– Adquirir conhecimentos sobre farmacologia, farmacocinética e farmacodinâmica;
– Conhecer os principais grupos de fármacos utilizados na prática clinica incluindo as suas características farmacocinéticas,
mecanismos de ação, efeitos adversos, vias de administração, interações medicamentosas e suas indicações clínicas, e a aplicação destes conhecimentos à prática clínica;
– Adquirir conhecimento sobre os diversos grupos de fármacos utilizados em Enfermagem;
– Saber interpretar pautas terapêuticas e resultados negativos associados a medicação;
– Conhecer as diferentes vias de administração do medicamento, preparação e diluições;
– Conhecer as circunstâncias que podem afetar a ação dos fármacos ou a resposta terapêutica;
– Transferir os conhecimentos e competências sobre Farmacologia e terapêutica para a prestação de cuidados de enfermagem.

– Reconhecer o impacto dos microrganismos na saúde e na doença.
– Conhecer as características patogénicas dos microrganismos.
– Perceber a dinâmica e implicações das infeções associadas aos cuidados de saúde.
– Aplicar práticas laboratoriais no âmbito da Microbiologia (técnica assética e processamento de amostras).
– Desenvolver competências e atitudes sobre técnicas de proteção e de limitação de dispersão na manipulação de materiais contaminados.
– Capacitar para a documentação e registo de protocolos, resultados e conclusões.
– Transferir os conhecimentos e competências sobre Microbiologia para a prestação de cuidados de enfermagem.

– Identificar os constituintes dos alimentos e suas funções.
– Compreender a importância da alimentação/nutrição como parte integrante da promoção da saúde e prevenção da doença.
– Reconhecer as diferentes necessidades e restrições alimentares em função da fase do ciclo de vida e na doença.
– Estimular o interesse e o espírito crítico por todas as questões relacionadas com a alimentação/nutrição e a saúde.
– Alertar para as diferentes necessidades e restrições nutricionais/alimentares em função da doença.
– Transferir os conhecimentos e competências sobre Nutrição para a prestação de cuidados de enfermagem.
– Desenvolver competências no âmbito das intervenções autónomas e interdependentes do exercício profissional de enfermagem, aplicado a conceitos básicos na área da Nutrição e da Dietética.

– Comunicar, compreender e produzir mensagens em língua inglesa,
– Aprofundar a utilização da língua inglesa num conjunto de situações reais;
– Comunicar oralmente e por escrito mensagens em inglês;
– Desenvolver competências e aptidões para comunicar em inglês, nos contextos profissionais relacionados com a enfermagem.
– Interpretar circunstâncias e fenómenos comunicacionais relativos aos diferentes contextos culturais e linguísticos;
– Saber recolher, identificar e interpretar informação proveniente de diferentes contextos culturais;
– Desenvolver a autonomia de trabalho em diferentes contextos culturais, compreendendo e adaptando-se a diferentes ambientes culturais, em que a comunicação seja efetuada em língua inglesa.

– Promover a compreensão dos aspetos de natureza psicológica na prática de Enfermagem.
– Compreender a pessoa como um todo, na qual a doença é apenas um dos aspetos, refletindo assim sobre os conceitos de saúde e de doença numa perspetiva psicossocial;
– Compreender a importância dos aspetos desenvolvimentais desde o nascimento até à senescência, proporcionando aprendizagens facilitadoras da aplicação destes conhecimentos à prática profissional;
– Capacitar para a identificação de fatores psicológicos envolvidos no adoecer corporal.
– Transferir os conhecimentos e competências sobre psicologia para a prestação de cuidados de enfermagem.
– Desenvolver competências no âmbito das intervenções autónomas e interdependentes do exercício profissional de enfermagem, aplicado a conceitos básicos na área da Psicologia.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

– Reconhecer os princípios metodológicos e os elementos fundamentais a considerar nas diversas fases e etapas do processo de investigação;
– Apresentar e discutir as várias fases da investigação científica permitindo a aquisição de competências iniciais necessárias à realização do Trabalho de Graduação;
– Reconhecer a investigação como suporte para a prática baseada na evidência em enfermagem;
– Reconhecer e utilizar as fontes apropriadas de informação científica em saúde;
– Reconhecer as questões éticas da investigação com seres humanos;
– Identificar nos relatórios, os aspetos teóricos, metodológicos e empíricos transferíveis;
– Promover o desenvolvimento de competências em investigação científica necessárias para a promoção da profissão.

– Identificar estratégias de prevenção face aos principais problemas de saúde;
– Caracterizar os principais tipos de estudos epidemiológicos;
– Interpretar os indicadores de saúde e demográficos;
– Analisar as principais políticas de saúde à luz dos indicadores de saúde das populações e medidas de profilaxia;
– Revelar competências para concetualizar os cuidados de enfermagem na comunidade atendendo aos ganhos em saúde das populações;
– Integrar conhecimentos de outras unidades curriculares, nomeadamente da área da investigação;
– Transferir os conhecimentos sobre epidemiologia e profilaxia para a prestação de cuidados de enfermagem.

– Adquirir fundamentos da área disciplinar da biofísica aplicada às ciências da saúde.
– Compreender a forma como os processos físicos influenciam os vários processos biológicos e químicos e vice-versa.
– Aplicar a terminologia, nomenclatura e linguagens utilizados nas ciências física e da saúde.
– Dotar os estudantes de conhecimentos sobre os diferentes meios de diagnósticos disponíveis para apoio a uma boa prática clínica;
– Transferir os conhecimentos e competências sobre biofísica e meios complementares de diagnóstico para a prestação de cuidados de enfermagem.

– Compreender os princípios de gestão e administração nas organizações e dinâmicas dos serviços de enfermagem;
– Analisar a influência de fatores individuais e de grupo na organização como instrumentos de gestão;
– Compreender aspetos das organizações baseados na evolução do pensamento em gestão e nas funções de gestão;
– Analisar projetos de mudança e de melhoria contínua em enfermagem;
– Interpretar informação relevante sobre a gestão de equipas e/ou de cuidados;
– Perceber a importância do trabalho das equipas multidisciplinar e estratégias para otimizar o seu funcionamento;
– Compreender as diferentes estratégias de garantia da qualidade e de gestão do risco;
– Desenvolver conhecimentos, competências e habilidades sobre gestão dos cuidados de enfermagem em sintonia com as políticas de saúde atuais.

– Caracterizar as patologias médicas e cirúrgicas quanto às manifestações, duração, e tratamento;
– Identificar as situações com necessidade de tratamento cirúrgico e de tratamento médico;
– Descrever os processos fisiopatológicos e tratamento das doenças mais frequentes em Portugal;
– Adquirir conhecimentos, teóricos e teórico-práticos sobre patologia médica e cirúrgica que permitam desenvolver competências na assistência à pessoa, família e comunidade;
– Transferir os conhecimentos e competências sobre Patologia Médica e Cirúrgica para a prestação de cuidados de enfermagem.

– Mobilizar e integrar os conhecimentos, aptidões e competências desenvolvidas nas unidades curriculares do plano de estudo,
até ao momento para a aplicação do processo de enfermagem nos contextos clínicos onde desenvolve o ensino clínico, ao nível dos autocuidados.
– Iniciar o desenvolvimento de competências no âmbito das intervenções autónomas e interdependentes do exercício profissional de enfermagem à pessoa inserida no seu contexto sócio familiar.
– Desenvolve capacidades que contribuam para o aperfeiçoamento da aprendizagem.
– Demonstrar capacidade e competências para a prestação de cuidados de enfermagem à pessoa inserida no seu contexto sócio familiar utilizando uma metodologia científica e fundamentando a sua tomada de decisão.
– Integrar e interligar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção e planeamento de cuidados de enfermagem à pessoa inserida no seu contexto sócio familiar.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

– Demonstrar conhecimento e compreensão sobre processo de saúde/doença, do foro médico e cirúrgico;
– Demonstrar conhecimentos, aptidões e atitudes para aplicação do processo de enfermagem à pessoa adulta com patologia médica ou cirúrgica;
– Demonstrar conhecimento e capacidade de compreensão sobre a problemática da pessoa a vivenciar processos de saúde/doença na área da enfermagem médico-cirúrgica;
– Fundamentar os cuidados de enfermagem à pessoa com alterações médico-cirúrgicas, bem como situações específicas, enquadrados nas etapas do processo de enfermagem;
– Demonstrar conhecimentos e habilidades para a execução de procedimentos técnicos associados à prática de enfermagem medica e cirúrgica;
– Desenvolver um pensamento crítico e capacidade de resolução de problemas no âmbito da enfermagem medica e cirúrgica;
– Integrar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção de cuidados de enfermagem à pessoa adulta com patologia médica ou cirúrgica.

– Demonstrar conhecimentos, aptidões e atitudes para aplicação do processo de enfermagem à criança e do jovem nas várias etapas do seu desenvolvimento;
– Demonstrar conhecimento e capacidade de compreensão sobre a problemática das transições saúde doença da criança e da jovem inserida no seu contexto sociofamiliar;
– Fundamentar os cuidados de enfermagem à criança e do jovem nas várias etapas do seu desenvolvimento, enquadrados nas etapas do processo de enfermagem;
– Demonstrar conhecimentos e habilidades para a execução de procedimentos técnicos associados à prática de enfermagem pediátrica;
– Demonstra conhecimentos para planear cuidados de enfermagem, à criança, jovem e família em situação de doença aguda ou crónica, no hospital e no domicílio aos três níveis de prevenção, utilizando a metodologia científica do trabalho em enfermagem;
– Integrar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção de cuidados de enfermagem à à criança e do jovem.

– Demonstrar conhecimentos, aptidões e atitudes para aplicação do processo de enfermagem à mulher
– Compreender a aplicação da teoria dos sistemas integrados/psiconeuroendocrinoimunologia (PNEI) no âmbito da saúde sexual e reprodutiva e da adaptação à vida extrauterina do recém-nascido saudável
– Desenvolver competências que permitam a prestação de cuidados à grávida, à puérpera e ao recém-nascido saudável
– Compreender o papel do enfermeiro no âmbito da promoção da saúde sexual e reprodutiva, da transição para a parentalidade e da adaptação à vida extrauterina do recém-nascido saudável
– Demonstrar conhecimentos e competências relacionadas com a aplicação do processo de enfermagem no âmbito da promoção da saúde sexual e reprodutiva, da transição para a parentalidade e da adaptação à vida extrauterina do recém-nascido saudável.
– Integrar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a aplicação do processo de enfermagem à grávida, à puérpera e ao recém-nascido saudável.

– Demonstrar conhecimentos, aptidões e atitudes para aplicação do processo de enfermagem em saúde mental e psiquiatria;
– Identifica o indivíduo, a família e a comunidade numa perspetiva holística tendo em conta as múltiplas determinantes da saúde mental;
– Conhece as principais terapias e técnicas terapêuticas utilizadas atualmente em psiquiatria;
– Explicita o enquadramento conceptual da enfermagem de saúde mental e psiquiátrica;
– Demonstra conhecimentos e habilidades para a execução de procedimentos em saúde mental e psiquiatria;
– Demonstra conhecimentos e habilidades para planear cuidados de enfermagem gerais em saúde mental e psiquiatria, utilizando a metodologia científica do trabalho em enfermagem;
– Integrar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção de cuidados de enfermagem gerais em saúde mental e psiquiatria.

– Demonstrar conhecimentos, aptidões e atitudes para aplicação do processo de enfermagem à pessoa idosa;
– Revelar competência para concetualizar cuidados de enfermagem à pessoa idosa nas transições saúde-doença inseridas no seu contexto social e familiar.
– Integrar os conhecimentos das outras unidades curriculares, nomeadamente na área médica e área cirúrgica, para a conceção de cuidados de enfermagem à pessoa idosa.
– Desenvolver competências no âmbito das intervenções autónomas e interdependentes do exercício profissional de enfermagem à pessoa idosa.
– Integrar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção de cuidados de enfermagem à pessoa idosa.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

– Mobilizar e integrar os conhecimentos, aptidões e competências desenvolvidas nas unidades curriculares áreas científicas do plano de estudo, até ao momento para a aplicação do processo de enfermagem nos contextos clínicos onde desenvolve o ensino clínico;
– Desenvolver competências no âmbito das intervenções autónomas e interdependentes do exercício profissional de enfermagem ao adulto e idoso com patologia médica e cirúrgica, inserida no seu contexto sócio familiar;
– Demonstrar capacidade e competências para a prestação de cuidados de enfermagem ao adulto e idoso com patologia médica e cirúrgica, inserida no seu contexto sócio familiar, utilizando uma metodologia científica e fundamentando a sua tomada de decisão.
– Integrar e interligar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção e planeamento de cuidados de enfermagem ao adulto e idoso com patologia médica e cirúrgica.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

– Mobilizar e integrar os conhecimentos, aptidões e competências desenvolvidas nas unidades curriculares até ao momento para a aplicação do processo de enfermagem nos contextos clínicos onde desenvolve o ensino clínico;
– Demonstrar competências científicas, técnicas e interpessoais que permitam prestar cuidados de enfermagem adequados à criança e jovem, saudável ou doente, em parceria com a família/ pessoa significativa, assim como proporcionar educação para a saúde, em qualquer contexto em que esta se encontre, de forma a obter o melhor estado de saúde;
– Desenvolver competências no âmbito das intervenções autónomas e interdependentes do exercício profissional de enfermagem à criança e jovem, inserida no seu contexto sócio familiar;
– Demonstrar capacidade e competências para a prestação de cuidados de enfermagem à criança e jovem com patologia médica e cirúrgica, inserida no seu contexto sócio familiar, utilizando uma metodologia científica e fundamentando a sua tomada de decisão.

– Mobilizar e integrar os conhecimentos, aptidões e competências desenvolvidas nas unidades curriculares até ao momento para a aplicação do processo de enfermagem nos contextos clínicos onde desenvolve o ensino clínico;
– Demonstrar competências científicas, técnicas e interpessoais que permitam prestar cuidados de enfermagem adequados no âmbito da promoção da saúde sexual e reprodutiva, da transição para a parentalidade e da adaptação à vida extrauterina do recém-nascido saudável;
– Desenvolver competências no âmbito das intervenções autónomas e interdependentes do exercício profissional de enfermagem de cuidados gerais em saúde materna e obstétrica
– Demonstrar capacidade e competências para a prestação de cuidados de enfermagem gerais à grávida, à puérpera e ao recém-nascido saudável;
– Integrar e interligar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção e planeamento de cuidados de enfermagem gerais à grávida, à puérpera e ao recém-nascido saudável.

– Mobilizar e integrar os conhecimentos, aptidões e competências desenvolvidas nas unidades curriculares até ao momento para a aplicação do processo de enfermagem nos contextos clínicos onde desenvolve o ensino clínico;
– Demonstrar competências científicas, técnicas e interpessoais que permitam prestar cuidados de enfermagem gerais em saúde mental e psiquiatria.
– Demonstrar capacidade e competências para a prestação de cuidados de enfermagem gerais em saúde mental e psiquiatria, inserida no seu contexto sócio familiar, utilizando uma metodologia científica e fundamentando a sua tomada de decisão.
– Integrar e interligar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção e planeamento de cuidados de enfermagem gerais em saúde mental e psiquiatria.

– Adquirir conceitos e terminologia de uso comum na Prática Baseada na Evidência;
– Adquirir conceitos e metodologias específicas relacionados com a investigação para uma melhor compreensão do papel da Prática Baseada na Evidência na enfermagem;
– Desenvolver competências nos procedimentos de pesquisa sistematizada;
– Analisar criticamente a investigação produzida em enfermagem, e em outras disciplinas do conhecimento, de forma a utilizá-la na sua prática clínica;
– Aprofundar as competências de investigação necessárias à realização do Trabalho de Graduação;
– Desenvolver a capacidade de tomar decisões na prática clínica, fundamentadas na evidência científica.

– Reconhecer a importância da promoção da saúde e prevenção da doença para obter ganhos em saúde na família e na comunidade;
– Demonstrar conhecimentos de intervenções de âmbito de educar, instruir e treinar no âmbito da promoção da saúde e prevenção da doença em contexto comunitário;
– Desenvolver competências no âmbito das intervenções autónomas e interdependentes do exercício profissional de enfermagem na comunidade e na família;
– Conhecer o fundamento da organização dos Cuidados de Saúde Primários (CSP) em Portugal e a contextualização do enfermeiro de família na equipa de saúde;
– Demonstrar conhecimentos e competências sobre a intervenção do enfermeiro nos CSP nas várias etapas do desenvolvimento familiar no ciclo vital aplicando o processo de enfermagem à família;
– Integrar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção de cuidados de enfermagem à família e à comunidade.

– Demonstrar conhecimentos, aptidões e atitudes para aplicação do processo de enfermagem na pessoa em situação critica;
– Adquirir competências para identificar, planear, executar e avaliar os cuidados de enfermagem à pessoa em situação crítica e pessoas significativas.
– Fundamentar a reflexão sobre a humanização em urgência e emergência, no atendimento à pessoa em situação crítica e pessoas significativas.
– Execução e interpretação dos métodos semiológicos especiais à pessoa em situação crítica;
– Demonstrar conhecimentos e habilidades para a execução de procedimentos em situação crítica;
– Demonstrar conhecimentos e habilidades para planear cuidados de enfermagem à pessoa em situação crítica, utilizando a metodologia científica do trabalho em enfermagem;
– Integrar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção de cuidados de enfermagem gerais em saúde mental e psiquiatria.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

– Mobilizar e integrar os conhecimentos, aptidões e competências desenvolvidas nas unidades curriculares até ao momento para a aplicação do processo de enfermagem nos contextos clínicos onde se desenvolve o ensino clínico;
– Demonstrar capacidade para aplicar o Processo de Enfermagem ao indivíduo e famílias seguindo as diretrizes do Plano Nacional de Saúde e dos diferentes programas de saúde no contexto dos cuidados de saúde primários;
– Desenvolver todas as atividades inerentes ao exercício de Enfermeiro de Família numa Unidade de Saúde Familiar (USF) ou Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP);
– Demonstrar capacidade e competências para a prestação de cuidados de enfermagem à familia, utilizando uma metodologia científica e fundamentando a sua tomada de decisão;
– Integrar e interligar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção e planeamento de cuidados de enfermagem na família e comunidade.

– Mobilizar e integrar os conhecimentos, aptidões e competências desenvolvidas nas unidades curriculares até ao momento para a aplicação do processo de enfermagem nos contextos clínicos onde se desenvolve o ensino clínico;
– Demonstrar competências científicas, técnicas e interpessoais que permitam prestar cuidados de enfermagem à pessoa em situação crítica;
– Demonstrar capacidade e competências para a prestação de cuidados de enfermagem à pessoa em situação crítica e pessoas significativas., utilizando uma metodologia científica e fundamentando a sua tomada de decisão;
– Integrar e interligar os conhecimentos das outras unidades curriculares, para a conceção e planeamento de cuidados de enfermagem gerais à pessoa em situação crítica.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

– Compreender o contributo da investigação para a construção do conhecimento em enfermagem;
– Integrar os conhecimentos das outras unidades curriculares, referentes à investigação, para o desenvolvimento de conhecimentos, aptidões e competências para investigar em Enfermagem;
– Desenvolver competências das diferentes etapas de um trabalho de investigação em Enfermagem, através do desenvolvimento de um trabalho de graduação;
– Planear, construir, implementar, analisar e divulgar um trabalho de investigação em Enfermagem inserido nos grupos de investigação institucionais;
– Promover o desenvolvimento de competências em investigação científica necessárias para a promoção da profissão.

– Mobilizar e integrar os conhecimentos, aptidões e competências desenvolvidas em todas unidades para a aplicação do processo de enfermagem nos contextos clínicos onde se desenvolve o ensino clínico;
– Gerir o projeto de autoaprendizagem consentâneo com as suas necessidades, articuladas com a finalidade do Ensino Clínico;
– Funcionar como membro da equipa de cuidados, atendendo aos aspetos orgânico-funcionais da unidade e instituição;
– Gerir o seu desempenho clínico, atendendo ao tempo de que dispõe, às prioridades que estabelece, incrementando a eficiência e eficácia das intervenções de enfermagem;
– Participar em programas e projetos preconizados pela DGS;
– Exercer as competências inerentes à prática de enfermagem, tal como preconizadas pela Ordem dos enfermeiros, procurando o aperfeiçoamento da aprendizagem e autonomia profissional.

* A conclusão, com aproveitamento, de todas as unidades curriculares que integram o plano de estudos do 1º ciclo (240 ECTS) confere o grau de licenciado.
ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE (ensino politécnico)

COORDENAÇÃO DO CURSO

Prof. Doutor Germano Couto

Envie o formulário para ser contactado:



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País














INTERCÂMBIO / ESTUDAR NO ESTRANGEIRO

Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram os critérios de elegibilidade dispõem da possibilidade de realizar períodos de estudo e/ou de estágio em mobilidade internacional.

Os períodos de estudo em mobilidade internacional de estudantes são realizados em instituições de ensino superior fora de Portugal, com as quais a UFP mantém acordos de intercâmbio de estudantes, ao abrigo do Programa Erasmus+ (no espaço Europeu) ou de outros acordos bilaterais de intercâmbio existentes.

Informação sobre programas de mobilidade/intercâmbio estão disponíveis através do Gabinete de Relações Internacionais (ligação).

CANDIDATURAS E TAXAS ESCOLARES

ANO LETIVO 2019/20

1.ª FASE (Regime Geral)
CANDIDATURA: 3 JUN a 29 JUL 2019 (presencial) | 03 JUN a 27 JUL 2019 (online)
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 1 AGO 2019
MATRÍCULAS: consulte o Cronograma de Ingresso (PDF)

2.ª FASE* (Regime Geral)
CANDIDATURAS: 28 AGO a 13 SET 2019 (presencial) | 28 AGO a 11 SET 2019 (online)
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 17 SET 2019
MATRÍCULAS: consulte o Cronograma de Ingresso (PDF)

3.ª FASE* (Regime Geral)
CANDIDATURAS: 1 a 4 OUT 2019 (presencial) | 1 a 4 OUT 2019 (presencial)
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 4 OUT 2019
MATRÍCULAS: consulte o Cronograma de Ingresso (PDF)

* para vagas sobrantes

INÍCIO DO ANO LETIVO:  16 SET. 2019

NOTAS:
– A informação apresentada não dispensa a consulta do Cronograma de Ingresso (PDF)

– Informação sobre datas para Outros Regimes de Ingresso disponível no Cronograma de Ingresso (PDF)

VER TAXAS

VISITE O CAMPUS UNIVERSITÁRIO

Venha conhecer a Universidade Fernando Pessoa. Visite as bibliotecas, laboratórios e espaços do campus UFP.
Desfrute dos espaços verdes e tire uma foto ao pé da estátua do nosso Patrono, Fernando Pessoa.



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País