CORPO DOCENTE DE REFERÊNCIA

INSTALAÇÕES DE QUALIDADE

ACESSO A BOLSAS DE ESTUDO

Acreditação plena, por 6 anos, pela A3ES, em 09-09-2013 (ligação)
Curso reconhecido a Nível Europeu através do registo no INDEX FEANI, que permite aos diplomados em Engenharia Civil pela UFP trabalhar como Engenheiros no Espaço Europeu (ligação).

Provas de Ingresso (regime geral)
Física e Química + Matemática
Vagas (reg. geral): 30 

Os Engenheiros Civis licenciados pela UFP adquirem todas as competências para assumir a direção técnica e a fiscalização de obras públicas ou privadas. Podem ser responsáveis pela construção e reabilitação de edifícios e infraestruturas, pela elaboração e gestão de projetos, bem como pela liderança de empresas de construção civil e obras públicas, gabinetes de projecto de engenharia e arquitetura, de serviços de câmaras municipais (vias de comunicação, urbanismo, águas e saneamento, etc.) e de outros serviços públicos.

PORQUÊ ESCOLHER ENGENHARIA CIVIL DA UFP?

–––
Proximidade e apoio dos professores ao longo de todo o curso

–––
Corpo docente altamente qualificado e diferenciado, com experiência e reconhecimento nacional e internacional.

–––
Laboratórios equipados com as tecnologias e equipamentos mais avançados, permitindo aos alunos uma aprendizagem em contexto de prática real e uma adaptação gradual à futura vida profissional.

–––
Qualidade das instalações.

A SUA EQUIPA DE APOIO

O sucesso educativo alcança-se através do trabalho de equipa. Durante o seu processo de candidatura, e sempre que precisar, contará com o apoio e aconselhamento de uma equipa de profissionais.

Professores

Além de academicamente qualificados, os nossos professores são conhecidos por serem muito próximos dos alunos e disponíveis para esclarecer todas as suas dúvidas.

Equipa de Acolhimento

A equipa de acolhimento, constituída por colaboradores da UFP que são maioritariamente antigos alunos da universidade, tem como objetivo facilitar a integração dos novos alunos.

Colaboradores

Presencialmente (durante os horários de atendimento) ou à distância de um clique, os nossos colaboradores são conhecidos pelo seu profissionalismo e pela sua disponibilidade para ajudar.

PLANO DE ESTUDOS

1º Ciclo Licenciatura* · Duração: 6 Semestres · 180 ECTS
Conforme Despacho n.º 12165/2013, DR 2ª série n.º 184, de 24 de setembro

UNIDADES CURRICULARES ECTS

O objetivo principal desta unidade curricular é o de fornecer ao aluno competências ao nível da compreensão dos conceitos fundamentais da mecânica Newtoniana e de campo elétrico e magnético bem como da aplicação desses conceitos na resolução de problemas.

Conhecimento e capacidade de compreensão sobre as fases e características específicas da metodologia científica.Aplicação dos conhecimentos e compreensão na elaboração de um trabalho científico. Capacidade de recolher, selecionar e interpretar informação relevante, de forma a produzir um trabalho científico.Competência para comunicar de forma escrita / oral de modo estruturado, organizado e abrangente a vários a públicos.Competências de autoaprendizagem, especificamente na recolha e tratamento da informação.

Competências genéricas: Comunicar, compreender e produzir mensagens em língua inglesa, tanto em contextos sociais, como profissionais. Utilizar a língua inglesa num conjunto de situações reais. Adotar a atitude introspetiva e reflexiva, tendo em conta a realidade social e económica da comunicação e as suas gramáticas específicas / General Competences: Communicate, understand and produce messages in English, both in social and professional contexts. Use English in a variety of real situations. Adopt a reflexive attitude, considering the social-economic reality of communication practices.

Conhecer a importância da Engenharia Civil.Introduzir as fases da organização e gestão das obras.Aprender metodologias que permitem a melhoria nos padrões de qualidade em todas as fases dos empreendimentos. Prospetivar as tendências da Engenharia Construção Civil.

O principal objetivo é a criação de bases sólidas de conhecimentos matemáticos, como os conceitos de função, derivada e integral, promovendo o raciocínio lógico e metódico, indispensável a todo o engenheiro para fazer face aos desafios que lhe possam surgir. No final da unidade curricular o estudante possuirá as seguintes competências: – capacidade para interpretar e equacionar matematicamente problemas reais, utilizando os conceitos de funções, derivadas e integrais; – capacidade para selecionar e aplicar corretamente as ferramentas matemáticas disponíveis para a resolução desses problemas;- capacidade para interpretar e analisar criticamente os resultados obtidos.

A unidade curricular envolve o conhecimento de alguns materiais, com ênfase na sua selecção, emprego e correta aplicação num edifício e outras obras de construção, considerando-se para o efeito as pedras naturais, os agregados, os ligantes, as argamassas, os betões e as madeiras.Estabelece-se o nível necessário para a compreensão de matérias que serão ministradas noutras UCs e para a angariação de conhecimentos basilares sobre a temática dos materiais de construção, adquirindo-se competências nomeadamente de: -Identificação de materiais de aplicação corrente; – Determinação das suas aplicações, características, comportamento mecânico e respetivo processo de fabrico; -Seleção dos mesmos em função das especificações do projeto tendo em conta o uso, período de vida e o nível de qualidade e conforto pretendidos; -Especificação das condições técnicas e controlo da qualidade para aplicação dos mesmos de acordo com as especificações projecto, normas e recomendações dos fabricantes.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Com esta unidade curricular, pretende-se integrar os conhecimentos teóricos do desenho técnico com a ferramenta informática, facilitando o trabalho de projeto, e que possibilite uma melhor integração dos jovens engenheiros, utilizando com destreza as ferramentas disponíveis.Os estudos a realizar nesta disciplina, basear-se-ão na exploração de um programa de desenho assistido por computador (CAD), com o propósito e objetivo de dominar a ferramenta, permitindo ao aluno desenhar de forma rigorosa as peças que compõem o projeto de engenharia. Será abordada a temática de desenho técnico, nomeadamente a normativa técnica, permitindo a expressão gráfica adequada através do meio informático aliado à linguagem gráfica de projecto de arquitectura.No final do semestre, o aluno deverá ser capaz de estabelecer a relação com as ferramentas de desenho e apresentação gráfica, na perspectiva da imediata identificação daquelas que se entendem como as mais apropriadas às suas necessidades.

A Matemática II, disciplina de formação de base de qualquer curso de Engenharia, surge como complemento à Matemática I, com o objetivo de aprofundar alguns conhecimentos matemáticos anteriormente abordados. Pretende-se assim fornecer ferramentas matemáticas mais avançadas, criando bases sólidas de conhecimentos matemáticos, como os conceitos de função, derivada e integral, e equação diferencial. Pretende-se também promover o raciocínio lógico e metódico, que nos nossos dias é indispensável a todo o engenheiro para fazer face aos desafios que lhe possam surgir.No final desta unidade curricular o aluno deverá ser capaz de: -Interpretar e equacionar matematicamente problemas reais, utilizando os conceitos de integrais e equações diferenciais; – Selecionar e aplicar corretamente as ferramentas matemáticas disponíveis para a resolução desses problemas; – Interpretar e analisar criticamente os resultados obtidos.

A escolher entre Língua Estrangeira e Constituição Portuguesa e União Europeia ou outras definidas anualmente pelo órgão competente da Faculdade.

O objetivo da unidade curricular Química Geral é o de assegurar aos alunos uma boa preparação de base de Química Geral que lhes permita abordar disciplinas ligadas à Engenharia Civil, procurando sempre desenvolver nos alunos o espírito crítico e de análise de problemas numa óptica de PBL (Problem-Based Learning) e familiarizar os alunos com as regras de segurança e o trabalho em laboratório, com a interpretação e execução dos protocolos dos trabalhos práticos.


Competências gerais a atingir: – Capacidade de análise e síntese; Habilidade e autonomia; Capacidade de aplicar o conhecimento; Capacidade de recolher e interpretar informação relevante que sustente juízos; Capacidade de trabalhar autonomamente e em grupo. Competências específicas a atingir: – Obter noções básicas de RM1; Apreender conceitos de tensão, esforço e deformação e os vários esforços que se podem exercer sobre os elementos estruturais; Determinar o comportamento de corpos sólidos deformáveis quando solicitados por ações exteriores; Dominar o cálculo de cabos flexíveis sujeitos a cargas suspensas; Dominar o cálculo de estruturas isostáticas; Dominar o cálculo de estruturas trianguladas; Apreender conceitos básicos associados ao esforço axial e determinar as tensões e deformações em peças lineares submetidas a estes; Apreender conceitos fundamentais ligados às características geométricas de secções planas de peças prismáticas e aplicá-los.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

O principal objetivo da Análise Numérica é determinar soluções aproximadas de problemas matemáticos complexos usando apenas as operações mais simples da aritmética. Procura-se nesta unidade curricular apresentar diferentes metodologias que possam ser aplicadas na resolução de problemas da engenharia, procurando desenvolver, no aluno, o espírito crítico e de análise dos resultados obtidos de forma a estabelecer o grau de confiança nos mesmos.

Esta disciplina aplica os princípios e conceitos da mecânica dos fluídos a problemas hidráulicos da engenharia. O primeiro problema de engenharia de hidráulica a tratar é o escoamento sob pressão em tubos, sistemas de condutas, medição de escoamento em tubos, bombas.

A disciplina de MTR envolve não só o conhecimento genérico dos mais usuais materiais a utilizar na construção nova e na reabilitação, como também a sua seleção, emprego e correta aplicação, incluindo os métodos e técnicas utilizadas.Assim, estabelece-se o nível necessário para que o aluno melhor compreenda matérias que serão ministradas noutras disciplinas do seu curso e, sobretudo, angarie os conhecimentos sobre a extensa temática que engloba o estudo dos materiais de construção e técnicas de reabilitação, adquirindo as competências basilares quanto ao conhecimento da sua essência e comportamento, conseguindo ser capaz de, nomeadamente : – Identificar um conjunto alargado de materiais de aplicação mais corrente na construção civil; – Determinar as propriedades, características e comportamento dos vários materiais de construção, na vertente da sua natureza e qualidade, bem como o respetivo processo de fabrico; – Selecionar os materiais de construção mais adequados.

Compreender os princípios e objetivos essenciais a um desenvolvimento sustentável do território.Identificar os agentes e instrumentos da política habitacional bem como o papel que desempenham. Compreender as causas e consequências dos principais problemas urbanos da atualidade, nomeadamente através da definição de tipologias de degradação urbana. Descrever as principais estratégias de planeamento e a transformação/requalificação espacial, particularmente a regeneração urbana de centros históricos e de frentes de água, e os programas comunitários de apoio a essas intervenções.

Noção de estados de tensão e deformação no interior de sólidos deformáveis. Desenvolvimento da noção de equilíbrio e compatibilidade em mecânica estrutural. Desenvolvimento da capacidade de análise de problemas que envolvam o comportamento mecânico de sólidos deformáveis. Determinação dos estados de tensões, extensões e dos campos de deformações em estruturas reticuladas sujeitas a diversas solicitações. Noção dos critérios de dimensionamento e verificação de segurança de estruturas. Desenvolvimento da capacidade de dimensionamento de estruturas simples.

 

UNIDADES CURRICULARES ECTS

A aleatoriedade e a incerteza são características comuns a muitos fenómenos com os quais é preciso lidar em Engenharia. Nesse contexto, torna-se indispensável a definição de métodos e modelos que permitam compreender e inferir o comportamento de variáveis aleatórias. Nesse âmbito, constituem objetivos da unidade curricular a introdução e o desenvolvimento de conhecimentos e técnicas de recolha e análise de dados e de inferência necessárias à modelação de variáveis aleatórias. No final da unidade, o aluno fica com competências específicas que lhe permitem descrever, analisar e estabelecer conclusões sobre dados uni e bi-variados, calcular probabilidades de acontecimentos simples e compostos, conhecer e usar os principais modelos teóricos de distribuição de probabilidades, estimar parâmetros e testar hipóteses.


Esta disciplina aplica os princípios e conceitos da mecânica dos fluídos a problemas hidráulicos da engenharia: escoamento com superfície livre e redes de distribuição e de drenagem de águas pluviais e residuais domésticas.

Pretende-se que o aluno resolva sistemas estruturais hiper-estáticos reticulados espaciais, sujeitos a ações estáticas, em estruturas compostas por peças lineares, do tipo viga e pilar, bem como adquira a perceção de como tal modelo é passível de se adaptar a elementos laminares, como lajes e paredes, e com que limitações tal é legítimo. Também que efetue o estudo das características e comportamento vibratório de uma estrutura reticulada, plana ou espacial, integrando-a com a aceleração sísmica preconizada no Eurocódigo 8 com vista à obtenção das forças da mesma natureza. Pretende-se ainda que determine, analise e integre as duas análises anteriores, com vista à obtenção de esforços e deslocamentos que conduzam à verificação da segurança e funcionalidade estrutural (ELU e ELS) e ao futuro dimensionamento orgânico das peças de fabrico da mesma.

Constitui objetivo central da disciplina, dotar o futuro técnico(a) com os conhecimentos essenciais para gerir de forma sustentada o conjunto de conceitos de uma área técnica atual e multidisciplinar de modo a possibilitar o planeamento, o acompanhamento e a aplicação dos levantamentos topográficos.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Esta unidade curricular tem como objetivos proporcionar ao aluno conhecimentos e competências na área de estruturas de betão armado, propondo-se estudar as características, o comportamento e as hipóteses de cálculo dos materiais usados nas estruturas de betão armado, compreender o comportamento, estudar as teorias e os modelos de análise e conhecer os critérios de dimensionamento de elementos de betão armado, iniciando a prática de projeto de estruturas de betão armado.

Possuir conhecimentos básicos de acústica de edifícios, física das radiações, transferência de calor, trocas de massas de ar (ventilação), comportamento ao fogo e iluminação natural de forma a aplicar os mesmos na conceção, projeto, construção, fiscalização e auditoria/certificação de edifícios, tendo em conta a legislação e normalização respetivas.

 

Nesta disciplina são abordadas as questões essenciais associadas à gestão de obras. Os alunos serão confrontados com as metodologias de estruturação empresarial na construção civil. Serão ainda apresentadas as funções mais importantes em termos de direção de obra, desde as técnicas de planeamento, gestão e conceção de um estaleiro de obra, gestão de recursos humanos, materiais e equipamentos. Alguns dos temas abordados serão aprofundados na disciplina de Fiscalização, Coordenação e Controlo de Obras.

Caracterizar fisicamente os solos e prever o seu comportamento face às solicitações às quais possam estar sujeitos. – Efetuar o cálculo das tensões no solo devido ao seu peso próprio e às tensões induzidas;- Determinar a resistência ao corte dos solos caracterizando e diferenciando a resistência ao corte em areias e argilas;- Caracterizar a percolação de água nos solos;- Dimensionar e verificar a segurança em estruturas de suporte. – Verificar a segurança de taludes;- Dimensionamento geotécnico de fundações superficiais;- Calcular assentamentos;- Controlar o processo de compactação.

A disciplina procura complementar os conhecimentos anteriormente adquiridos pelos alunos no âmbito das cadeiras de Materiais de Construção. É dada especial ênfase aos aspectos tecnológico, tais como o tipo de equipamento utilizado e metodologias adoptadas na execução dos mais variados tipos de obras de Construção Civil, com especial destaque na construção de edifícios e pontes em betão armado.

Serão, igualmente, trabalhadas as seguintes competências transversais: •Trabalho autónomo e em equipa; •Capacidade de organização e de planeamento;•Capacidade para tomar decisões; •Capacidade de auto-aprendizagem; •Capacidade de aplicação de conhecimentos; •Capacidade de adaptação a situações novas; •Capacidade de comunicação oral e escrita;•Desenvolvimento de relações interpessoais. Neste sentido, os conhecimentos do aluno serão adquiridos mediante trabalho individual e em grupo de diversos exercícios.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

A disciplina de Betão Armado II, na sequência e em complemento aos conhecimentos adquiridos em Betão Armado I, visa a aprendizagem do funcionamento orgânico de diversas peças de betão armado e estar apto a verificar a segurança e dimensionar elementos estruturais segundo as normas europeias (Eurocódigos).

Esta disciplina destina-se a apresentar ao aluno as principais actividades associadas às funções de direção e fiscalização, desde a preparação, ao controlo e à coordenação, familiarizando-o com as atividades e os instrumentos de trabalho. Surge na sequência de um conjunto de disciplinas introdutórias como é o caso da disciplina de gestão de estaleiros, e constitui-se como elemento fundamental na preparação de um engenheiro civil. Serão abordadas todas as componentes do trabalho e os instrumentos disponíveis.

A reabilitação do património edificado é uma área de grande importância estratégica, dada a necessidade de reabilitar os edifícios antigos e os primeiros edifícios de estrutura porticada de betão armado que se encontram profundamente degradados. A disciplina pretende transmitir os conhecimentos acerca dos mecanismos da física das construções que justificam as anomalias observadas, sendo privilegiada uma perspetiva prática, nomeadamente recorrendo-se à apresentação de exemplos concretos e casos de estudo. Em particular, a disciplina visa o conhecimento e o domínio: – Das causas que estão na origem da degradação dos edifícios; – Das características construtivas dos edifícios em estudo; – Dos métodos de inspeção, diagnóstico e intervenção no edificado; – Dos processos e técnicas de reabilitação de elementos estruturais e não estruturais; – Dos processos de gestão técnico-comercial dos processos de reabilitação.


A disciplina propõe aos alunos a elaboração de um projeto em contexto similar ao profissional permitindo aos alunos de Arquitectura e de Eng. Civil percecionar a interdisciplinariedade e complementaridade dos saberes. Dar-se-á ênfase à coordenação do projeto de modo a que no final este seja um todo e não a soma dos vários projetos propostos como: arquitetura, estruturas, redes de abastecimento de água, gases combustíveis e energia elétrica, redes de drenagem de águas, de telecomunicações, segurança contra incêndio, ventilação e de acondicionamento térmico e acústico.

* A conclusão, com aproveitamento, de todas as unidades curriculares que integram o plano de estudos do 1º ciclo (180 ECTS)  confere o grau de licenciado. 

COORDENAÇÃO DO CURSO

Prof. Doutor Miguel Branco Teixeira

Envie o formulário para ser contactado pela coordenação do curso



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País














INTERCÂMBIO / ESTUDAR NO ESTRANGEIRO

Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram os critérios de elegibilidade dispõem da possibilidade de realizar períodos de estudo e/ou de estágio em mobilidade internacional.

Os períodos de estudo em mobilidade internacional de estudantes são realizados em instituições de ensino superior fora de Portugal, com as quais a UFP mantém acordos de intercâmbio de estudantes, ao abrigo do Programa Erasmus+ (no espaço Europeu) ou de outros acordos bilaterais de intercâmbio existentes.

Informação sobre programas de mobilidade/intercâmbio estão disponíveis através do Gabinete de Relações Internacionais (ligação).

CANDIDATURAS E TAXAS ESCOLARES

1.ª FASE* (REGIME GERAL E UNIÃO EUROPEIA)
CANDIDATURAS: 01 MAI – 14 AGO 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 17 AGO 2018
MATRÍCULAS: 20 AGO – 07 SET 2018

2.ª FASE* (REGIME GERAL E UNIÃO EUROPEIA – VAGAS EVENTUALMENTE SOBRANTES**)
CANDIDATURAS: 11 – 18 SET 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 20 SET 2018
MATRÍCULAS: 20 SET – 26 SET 2018

RECEÇÃO AOS NOVOS ALUNOS E INÍCIO DO ANO LETIVO:  17 SET. 2018

* Não dispensa a consulta do Cronograma de Ingresso (PDF)
** O Mestrado Integrado em Medicina Dentária não dispõe de vagas para candidaturas de 2ª fase 2018/19

VER TAXAS

VISITE O CAMPUS UNIVERSITÁRIO

Venha conhecer a Universidade Fernando Pessoa. Visite as bibliotecas, laboratórios e espaços do campus UFP.
Desfrute dos espaços verdes e tire uma foto ao pé da estátua do nosso Patrono, Fernando Pessoa.



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País








  • ANTIGOS ALUNOS

    O antigo aluno António Bastos é desde 2007, chefe do Departamento Técnico do Centro de Formação da Indústria da Construção Civil e Obras Públicas do Norte ( CICCOPN).

     

    (WWW.CICCOPN.PT)