SOBRE O CURSO

A Pós-Graduação em Enfermagem do Trabalho está acreditada pela Ordem dos Enfermeiros, para efeitos de Qualificação Profissional, com a atribuição de 3,5 Créditos de Desenvolvimento Profissional (CDP) e para acesso à atribuição de Competência Acrescida Diferenciada em Enfermagem do Trabalho.

A prática de Enfermagem do Trabalho, constitui -se como componente efetiva para obtenção de ganhos em saúde, focalizando-se na promoção e proteção da saúde e bem-estar no local de trabalho, na gestão do risco profissional, prevenção de acidentes de trabalho e de doenças profissionais.

A Pós-Graduação em Enfermagem do Trabalho visa dotar os enfermeiros de competências acrescidas diferenciadas e certificadas pela Ordem dos Enfermeiros, que lhes permitam agir em conformidade no ambiente específico das organizações, baseada nas necessidades do trabalhador e no local de trabalho, contribuindo assim para a ambientes de trabalho salutogénicos, qualidade de vida do trabalhador e ganhos para as organizações e trabalhadores.

A necessidade formativa para exercício profissional do Enfermeiro do Trabalho foi publicada pela Direção Geral de Saúde (DGS), na orientação n.º 009/2014 de 03/06/2014, visando dar cumprimento à Lei nº 102/2009, de 10 de setembro, que estabeleceu o regime jurídico da promoção da saúde e segurança do trabalho.

Esta Pós-Graduação, tem por pressuposto responder a um dos requisitos indispensáveis para a certificação Individual da Competência Acrescida Diferenciada em Enfermagem do Trabalho, prevista no Regulamento n.º 372/2018, de 15 de junho de 2018 – Programa Formativo para a Atribuição de Competência Diferenciada em Enfermagem do Trabalho.

DURAÇÃO
30 ECTS | aproximadamente 6,5 meses

HORÁRIO
Sexta-feira: 17:00–21:00/22:00 e Sábado: 09:00–13:00
Excecionalmente poderão decorrer aulas à quinta-feira: 17:00 – 21:00.

VAGAS
O curso tem 30 vagas e a sua abertura está sujeita a um número mínimo de 10 candidatos.

AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO
Os elementos de avaliação que permitirão a certificação incluem:

1. Frequências e/ou trabalhos escritos – aproveitamento positivo (mínimo de 9,5 valores) a todas as unidades curriculares teóricas / teórico-práticas
2. Ensino Clínico – aproveitamento positivo (mínimo de 9,5 valores) na unidade curricular de ensino clínico
3. Assiduidade – a presença mínima em 50% do tempo estabelecido como horas de contacto para aulas teóricas, teórico-práticas ou seminários, e em 90% do tempo estabelecido como horas de estágio.

CORPO DOCENTE

COORDENAÇÃO:

Margarida Ferreira, MSc, PhD
– Professora Adjunta na Escola Superior de Saúde Fernando Pessoa;
– Investigador Doutorado Integrado no CINTESIS;
– Mestre e Doutora em Saúde Publica, com especialização em Saúde Ocupacional;
– Especialista em Enfermagem Médica Cirúrgica
– Especialista na área Científica de Enfermagem, no âmbito do DL 206/2009 de 31 de agosto;
– Enfermeira com competência acrescida avançada diferenciada em Enfermagem do Trabalho;
– Técnica Superior de Higiene e segurança do trabalho.


OUTROS DOCENTES:

Fátima Ramalho, MSc, PhD Student
– Equipa de Coordenação do Programa Nacional de Saúde Ocupacional da Direção-Geral da Saúde, 4/2016;
– Equipa Coordenadora do Serviço de Segurança e Saúde do Trabalho da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo;
– Enfermeira especialista em Enfermagem Comunitária.

Elisabete Borges, MSc, PhD, Postdoc student
– Professora adjunta na Escola Superior de Enfermagem do Porto;
– Investigador Doutorado Integrado no CINTESIS
– Doutora em Enfermagem e Mestre em Filosofia-Bioética;
– Especialista em Enfermagem Comunitária.

Carlos Ferreira, MSc
– Especialista na área Científica de Enfermagem, no âmbito do DL 206/2009 de 31 de agosto;
– Mestre em Saúde Publica, com especialização em Saúde Ocupacional.
– Especialista em Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica;
– Enfermeiro Chefe no Hospital Magalhães Lemos.

Renata Evangelista, MSc, PhD, Postdoc
– Pós doutora pela Unidade de Investigação em Ciências da Saúde (UICISA:E);
– Mestre e Doutora em Enfermagem;
– Professora Associada da Universidade Federal de Goiás;
– Membro da Red Internacional de Enfermería en Salud Ocupacional (RedENSO);
– Coordenadora do Grupo de Pesquisa TRAGES (Trabalho, Gestão e Saúde).

Brandão Guerreiro, Lic
– Licenciado em Engenharia;
– Sócio Gerente da BRANGUE – Engenharia, Consultoria e Formação, Lda;
– Consultor em projetos de certificação no âmbito da segurança e saúde no trabalho (NP4397/OHSAS 18001 e ISSO 45001:2018);
– Auditor no âmbito da segurança e saúde no trabalho;
– Pós-graduado em Engenharia da Qualidade.

Irma Brito, MSc, PhD, Postdoc
– Professora Coordenadora na Escola Superior de Enfermagem de Coimbra;
– Doutora em Enfermagem;
– Mestre em Saúde Pública;
– Especialista em Enfermagem de Saúde Pública;
– Curso de estudos especializados em Administração de Serviços de Enfermagem.

Alexandre de Assis Bueno, MSc, PhD
– Mestre e Doutor em Enfermagem Fundamental, pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP/USP);
– Pós-Graduado em Gestão de Cuidados de Saúde;
– Professora Adjunto da Universidade de Goiás – Regional Catalão (UFG/RC);
– Coordenador Pedagógico do Departamento de Enfermagem.

André Ribeiro, Lic
– Pós-graduado em Enfermagem do Trabalho e em Envelhecimento: Atividade Física e Autonomia Funcional;
– Enfermeiro do Trabalho, habilitado para o Exercício de Enfermagem do Trabalho, pela Ordem dos Enfermeiros;
– Enfermeiro do Trabalho na Aptiv. Castelo Branco (Portugal).

Bruno Ferreira, MSc
– Mestrado Integrado em Engenharia Civil;
– Pós-graduação em Segurança no Trabalho;
– Técnico Superior em Segurança no Trabalho (Nível VI).

Teresa Brandão, MSc
– Mestre em Bioética e Ética Médica. Pós-Graduada em Bioética;
– Enfermeira Especialista em Enfermagem de Saúde Pública;
– Especialista na área Científica das Ciências e Enfermagem, no âmbito do DL 206/2009 de 31 de agosto.

Ruben Almeida, Lic
– Especialista em Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica e em Gestão de Unidades de saúde;
– Pós-graduado em Enfermagem do Trabalho e em Psicogerontologia;
– Enfermeiro do Trabalho, habilitado para o Exercício de Enfermagem do Trabalho, pela Ordem dos Enfermeiros;
– Enfermeiro do Trabalho / Coordenador Local, na IAP.

Tiago Rafael Alves, MSc
– Assistente Convidado;
– Mestre em Evidência e Decisão em Saúde;
– Especialista em Enfermagem Médico-cirúrgica;
– Formação em Emergência Médica, Pediátrica e Obstétrica;
– Formação em Emergência de Trauma.

Susana Gregório, MSc
– Enfermeira Especialista na área de enfermagem de saúde infantil e pediátrica;
– Título de especialista na área do ensino em enfermagem;
– Enfermeira Diretora do Hospital Escola da Universidade Fernando Pessoa.

Dina Alves, Lic
– Médica de Medicina Geral e Medicina do Trabalho.

Rogério Carvalho, MSc
– Mestre em Engenharia e Gestão Ambiental;
– Técnico Superior de Segurança e Higiene no Trabalho;
– Coordenador do Sistema de Gestão da Qualidade do Hospital-Escola da Universidade Fernando Pessoa;
– Auditor Interno da Qualidade ISO 9001-2015;
– Consultor nas áreas de Organização da Emergência, Segurança contra Incêndios em Edifícios e Exposição a Agentes Químicos.

Vera Pinho, Lic
– Licenciada em Enfermagem;
– Técnica Superior de Segurança e Higiene no Trabalho. Responsável pela Gestão dos Resíduos Hospitalares;
– Responsável do Serviço de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho no CHEDV;
– Membro da equipa responsável pela realização de Auditorias Internas e Inspeções;
– Membro dos Grupos do PCI (Prevenção e Controlo de Infeção) e FMS (Manutenção de Instalações e Equipamentos) do processo de acreditação pela Joint Commission International Accreditation Standards for Hospital, no CHEDV.

Coordenação

Profª Doutora Margarida Ferreira

Envie o formulário para ser contactado.



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País













 

CONDIÇÕES DE CANDIDATURA

Para seleção e seriação dos candidatos serão aplicados os seguintes critérios:
1. Experiência Profissional como Enfermeiro no exercício de funções – 1 ponto por cada ano completo (até 10 pontos);
2. Experiência Profissional como Enfermeiro do Trabalho – 1 ponto por cada ano completo (até 20 pontos);
3. Atividade científica (apresentação de poster, comunicações em conferencias nacionais ou internacionais, publicação de cariz científico) – 1 ponto por cada atividade (até 10 pontos);
4. Ser detentor de curso de Pós-Graduação – 1 ponto por cada curso (até 10 pontos).

Em casos de empate, serão aplicados os seguintes critérios de desempate, de forma cumulativa:
1. Tempo superior em funções como Enfermeiro do Trabalho em anos e meses;
2. Tempo superior de experiência profissional em anos e meses;
3. Maior número de atividade científica.

Documentos necessários:
– Diploma ou certificado comprovativo do grau académico (Consultar Observações 1.1, 1.2 e 1.3*);
– Certidão de disciplinas (Consultar Observações 1.1, 1.2 e 1.3)*;
– Cópia autenticada do Cartão da Ordem dos Enfermeiros (Consultar Observações 1.2 e 1.3*);
– Curriculum Vitae (Modelo Europass);
– Elementos comprovativos das atividades indicadas no CV (originais ou fotocópias autenticadas – Consultar Observação 1.3.*);
– Boletim de candidatura devidamente preenchido (PDF) – não aplicável para candidaturas online;
– Cópia do documento de identificação fiscal (para emissão de recibos);
– Documento de identificação da União Europeia | Cidadãos Extracomunitários: Visto de Estudante ou, no caso de já estar a residir em Portugal: Cartão de Residência emitido pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras de Portugal;
– Pagamento da Taxa de Candidatura.

* No caso de candidatura online, o documento terá que ser enviado/a pelo correio  para o Gabinete de Ingresso da UFP, dentro do prazo de candidatura.

Observações:
1.1. Não aplicável a ex-alunos da UFP;
1.2. Documentos de estabelecimentos de ensino:
1.2.1. Portugueses: cópia autenticada num notário, advogado, estação de correios ou Junta de Freguesia;
1.2.2. Estrangeiros: original ou cópia autenticada com a Apostilha da Convenção de Haia no país de realização do curso; caso o país não tenha aderido à Convenção, é aceite uma autenticação pelos serviços oficiais de educação desse país + respetiva autoridade diplomática portuguesa. A certidão de disciplinas deve também incluir a respetiva escala de notas quantitativa utilizada na avaliação curricular;
1.3. Documentos académicos ou profissionais devem ser emitidos em Português, Inglês, Espanhol ou Francês. Se emitidos noutra língua deverão ser traduzidos para uma das línguas aceites, por um tradutor reconhecido pela respetiva entidade diplomática (de acordo com a língua para a qual for traduzida);
1.4. Não é efetuada a devolução de pagamentos feitos nem de documentação entregue.
1.5. A abertura dos cursos obedece a um número mínimo de matrículas:
1.6. Morada para envio de documentação:
Universidade Fernando Pessoa
Gabinete de Ingresso
Praça 9 de Abril, 349
4249-004 Porto

DATAS E CUSTOS

DATAS
» Candidaturas:
 23 NOV. 2021 a 06 JAN. 2022
» Comunicação dos resultados: até  21 JAN. 2022
» Matrículas: 24 JAN. a 02 FEV. 2022

» Início do curso*: 10 FEV. 2022
* A realização do curso obedece a um número mínimo de alunos.

TAXAS
» Taxa de Candidatura: 50€
» Taxa de Matrícula: 250€
» Propina: 1.400€, paga em 7 x 200€

Ressalva-se:
– Não há reembolso dos pagamentos efetuados.
– Não dispensa a consulta das Normas Gerais Relativas ao Pagamento das Taxas Escolares na UFP.

CONTACTOS

Gabinete de Ingresso
Universidade Fernando Pessoa
Praça 9 de Abril, 349 | 4249-004 Porto
e-mail: ingresso@fundacaofernandopessoa.pt