Apresentação

A Editora UFP, desde a sua génese, em 1992, e consequente publicação do primeiro título até à actualidade, tem vindo, pelo seu dinamismo e eficiência, a desenvolver competências para apoiar a edição de trabalhos académicos permitindo a difusão da produção científica e cultural dos docentes e investigadores da Universidade Fernando Pessoa.

Para além da divulgação da produção científica da Universidade Fernando Pessoa, as Publicações UFP acolhem também obras de natureza cultural, literária e artística de pessoas e instituições com quem a UFP está protocolada, como por exemplo, a Academia de Ciências de Lisboa, assim, fazendo jus ao importante papel das editoras académicas no reposicionamento das Humanidades como área central do desenvolvimento da sociedade.

A Editora Publicações Universidade Fernando Pessoa é sócia fundadora da Associação Portuguesa de Editoras do Ensino Superior (APEES) constituída em 2007 “com o objectivo de promover a união e o fortalecimento das editoras do ensino superior, de dinamizar o livro universitário e de procurar soluções para os problemas próprios das editoras académicas.”

Diretora
Doutora Nadine Trigo

Coordenação Editorial
Dra Paula Dias

Conselho Editorial
Professor Doutor Rui Estrada (Presidente)
Professora Doutora Elsa Simões
Professora Doutora Fernanda Leal
Professor Doutor Pedro Sobral
Professor Doutor José Calheiros
Professora Doutora Isabel Patim
Mestre Adérito Seixas

 

Edifício Pedagógico
Tel.: + 351 225071300 | Ext: 2603
publicacoes@ufp.edu.pt

 

Estrutura Orgânica

1 – DIREÇÃO

Tem como funções:

  • Orientar e planear a publicação de obras de interesse científico-pedagógico e cultural da UFP
  • Estabelecer contactos com os centros de investigação e outros órgãos de gestão no sentido de promover a publicação académica.
  • Definir o melhor plano editorial e seu respetivo regulamento.
  • Desenvolver o intercâmbio de experiências na sua especialidade com outras Instituições, nacionais ou estrangeiras, que mantenham publicações análogas
  • Reunir, quando necessário o Conselho Editorial e presidir às suas reuniões;
  • Elaborar o plano anual de atividades com respetivo orçamento anual;
  • Preparar o respetivo relatório de atividades

2 – COORDENAÇÃO EDITORIAL

Na dependência da Direção da Editora, tem como funções:

  • Assessorar a Direção da Editora e os seus órgãos;
  • Coordenar e verificar os processos de candidatura e avaliar se estão cumpridas as condições da sua apresentação de acordo com o regulamento para a edição.
  • Dar cumprimento ao plano editorial aprovado.
  • Solicitar o ISBN e o respetivo envio de informação para a APEL quando o título estiver publicado.
  • Solicitar a sua impressão, caso seja necessário, mediante várias propostas de orçamento.
  • Coordenar a comunicação e o marketing de forma a garantir a distribuição, bem como a sua promoção e venda das publicações.
  • Promover, junto dos docentes, a publicação de coedições e conseguir apoios financeiros, através de entidades externas à UFP, como forma de apoio à investigação.
  • Coordenação de vendas e relatórios de contas.

3 – O CONSELHO EDITORIAL

É o órgão consultivo presidido por um membro nomeado pela direção e constituído por docentes de várias áreas científicas, pertencentes a cada Faculdade. O conselho editorial é assessorado pela coordenação editorial.

Tem como funções:

  • Avaliar as propostas de publicação e emitir pareceres sobre a sua originalidade ou interesse pedagógico, científico e cultural.
  • Viabilizar meios e critérios que visem garantir o caráter académico e o valor científico do material apresentado para as diferentes publicações
  • Sugerir melhorias de alterações em forma de breve comentário, se forem consideradas necessárias, em função dos parâmetros definidos no regulamento da Editora.
  • Apostar no desenvolvimento de um projeto editorial e de um design gráfico diferenciados, devendo seguir a tendência atual das editoras universitárias.
  • O Conselho Editorial reúne-se, regra geral, de três em três meses, e extraordinariamente, quando convocado por decisão da Direçao.

Regulamento

I – OBJETIVO

As Publicações UFP têm como objetivo delinear e promover a política editorial da Universidade, publicando em várias áreas do conhecimento produções científicas, técnicas, literárias e artísticas com carácter relevante para a instituição.

II – CARACTERIZAÇÃO DAS PUBLICAÇÕES UFP

1- As Publicações UFP dependem diretamente da Reitoria e de acordo com as orientações definidas pelos órgãos comuns/consultivos.

2- A Reitoria deverá dotar as Publicações UFP de recursos humanos, técnicos e financeiros que considera apropriado à prossecução do seu objeto.

III – ATIVIDADES

  1. a) Editar ou coeditar trabalhos de interesse científico-pedagógico, literário, artístico e cultural da UFP.
    b) Promover, divulgar, distribuir e comercializar as suas publicações.
    c) Apoiar as atividades de pesquisa, ensino, inovação e gestão universitária produzidas na UFP.
    d) Publicar obras em vários formatos, que podem ser: impresso, digital e eletrónico, livros e revistas científicas, entre outras aprovadas pelo Conselho Editorial.
    e) Coordenar as respetivas candidaturas e o processo de edição.
    f) Estabelecer protocolos com outras Instituições, nacionais ou estrangeiras, que mantenham publicações análogas, podendo desta forma serem financiadas na totalidade ou parcialmente.

IV – ÓRGÃOS

1 – A Direção
2 – O Conselho Editorial

V – DIREÇÃO

A Direção é nomeada pela Reitoria, que será representado por um Diretor(a).

1 – O Diretor (a) deverá:
a) Nomear a coordenação editorial.
b) Definir o plano editorial que se adequa à UFP
c) Convocar as reuniões do Conselho Editorial e presidir às respetivas reuniões;
d) Ser o interlocutor do Reitoria no que respeita à política editorial da UFP.

1.1 – A coordenação editorial, na dependência do Diretor(a) deverá dar cumprimento ao plano editorial aprovado, pondo em prática todo o funcionamento das Edições através das seguintes tarefas:

  1. a) Garantir a execução do plano de edições e das atividades e iniciativas a ele adjacentes.
    b) Apresentar um plano de atividade anual associado a respetivos relatórios de atividades e de contas.
    c) Promover, divulgar, distribuir e comercializar as suas publicações.
    d) Assessorar a Direção da Editora e os seus órgãos.

VI – CONSELHO EDITORIAL

1-São membros do Conselho Editorial:

  1. a) O Presidente, nomeado pelo(a) Diretor(a)
    b) Docentes de várias áreas científicas, pertencentes a cada Faculdade e nomeados pela Reitoria.

2-Compete ao Conselho Editorial.

  1. a) Avaliar as propostas de publicação e emitir pareceres sobre a sua originalidade ou interesse pedagógico, científico e cultural.
    b) Viabilizar meios e critérios que visem garantir o caráter académico e o valor científico do material apresentado para as diferentes publicações.
    c) Sugerir melhorias de alterações em forma de breve comentário, se forem consideradas necessárias, em função dos parâmetros definidos no regulamento da Editora.
    d) O Conselho Editorial reúne-se, regra geral, de três em três meses, e extraordinariamente, quando convocado por decisão da Direção.

VII – PROPOSTAS DE PUBLICAÇÃO

1- As propostas de publicação devem ser apresentadas num documento próprio, que estará disponível na página web das Publicações UFP.

2- Terão prioridade as publicações que tenham garantias de apoio à edição de forma total ou parcial.

3- Para todas as publicações editadas tem que existir um contrato, onde estão definidas as condições e o regime dos direitos de propriedade intelectual.

4 – Os autores, docentes da UFP, por norma cedem à UFP (detentora da Editora) os direitos da publicação.

5- Todas as publicações onde se verifique existência de coautores de terceiros à UFP, os autores devem apresentar, antecipadamente, as autorizações de publicação, ficando a cargo deles, se for necessário, os direitos de propriedade intelectual de acordo com a legislação vigente.

VIII – AVALIAÇÃO DAS PROPOSTAS

As propostas de edição/publicação são avaliadas pela direção de acordo com os critérios definidos na política editorial da UFP.  A decisão é comunicada no início de cada semestre.

IX – DIREITOS DE AUTOR E PROPRIEDADE INTELECTUAL

1- O objeto referente a direitos de propriedade intelectual é estabelecido de acordo com a legislação vigente  e definido nos contratos celebrados entre a UFP e os autores.

X – ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO

O presente Regulamento pode ser modificado sempre que o Reitor assim o entender ou se existir uma proposta de alteração pela Direção e Conselho Editorial.

XI – CASOS OMISSOS

Casos Omissos serão resolvidos pela Direção e Conselho Editorial

UFP a 25 de janeiro de 2019

Normas Gerais de Publicação

I – Formatação

1. As margens do documento devem ser todas de 2,5 cm;
2. Os parágrafos devem se formatados com:
2.1. Avanço (esquerda e direita) a 0,0 cm;
2.2. Espaçamento (antes – 0,0 cm; depois – 10 cm);
2.3. Especial (nenhum);
2.4. Espaçamento entre linhas – 1,5 linhas;
3. Os textos são escritos em fonte Times New Roman, tamanho 12;
4. As notas de rodapé são escritas em Times New Roman, tamanho 10, espaçamento simples, localizando-se na própria página em que forem inseridas;
5. Os títulos e subtítulos devem ser numerados (numeração árabe) e escritos a negrito (bold);
6. As citações directas ao longo do texto devem estar entre aspas e seguidas de sobrenome do autor, ano, página; caso excedam as 40 palavras devem aparecer num bloco de texto independente, destacado e sem aspas;
7. As citações indirectas, ou paráfrases, devem ser seguidas de sobrenome do autor e ano;
8. Figuras, gráficos e quadros intercalados no texto, devem apresentar-se centrados, legendados (legenda numerada – numeração árabe, a tamanho 10);
8.1. Figuras e outro material gráfico:
As ilustrações têm que ser entregues preferencialmente com a dimensão máxima da área útil da paginação — 110 mm de largura, 174 mm de altura — devem ser numeradas pela ordem em que aparecem no texto e ser fornecidas em formato TIFF com 300 dpi.
Equações ou fórmulas têm que ser formatadas de uma forma precisa e consistente, indicando também os sítios onde a fórmula poderá ser dividida caso esta ocupe mais do que uma linha de texto.
Gráficos, mapas ou desenhos devem ser compostos em Illustrator e fornecidos em formato nativo (.ai ou .pdf). Os gráficos poderão também ser executados em Excel, desde que sejam fornecidos em formato TIFF com a resolução de 300 dpi.
9. O texto não deve ser paginado, nem apresentar cabeçalhos ou rodapés preenchidos.

II – Organização/Estrutura do Texto

O texto deverá apresentar a estrutura que se apresenta de seguida:
1. Título;
2. Nome(s) do(s) autor(es) e respetiva filiação institucional;
3. Resumo (máximo de 250 palavras) e 4 palavras-chave, seguido de abstract (máximo de 250 palavras) e 4 keywords;
4. Corpo de texto (títulos e subtítulos);
5. Conclusão;
6. Referências bibliográficas e, eventualmente, outras normas não referidas neste documento: consultar, e seguir, APA – guidelines, disponíveis em https://www.apastyle.org/

NOTAS:

1. Os textos devem ser predominantemente teóricos;
2. Os textos podem ser escritos em Português ou em Inglês;
3. Os textos devem ser apresentados em forma corrida sem qualquer formatação especial, para além das mencionadas acima;
4. A lista completa das referências bibliográficas surgirá no fim, por ordem alfabética de sobrenome dos autores das obras que tenham sido efectivamente referidas ao longo do texto.

Importante: Estas regras tem que ser estritamente cumpridas, sob pena de ficar suspensa a publicação da obra.
A Editora da Universidade calcula que a produção final de uma obra, desde que é apresentada a sua versão definitiva, seja entre os 9 e 12 meses, podendo neste caso encurtar, se o formato for ebook.

Títulos Disponíveis

Em construção…

Novidades

 


Diagnóstico do Posicionamento Estratégico das Empresas no Mercado da Reabilitação Urbana Inteligente e Sustentável*

 

Sinopse: A obra “Diagnóstico do Posicionamento Estratégico das Empresas no Mercado da Reabilitação Urbana Inteligente e Sustentável” resultou de uma parceria entre a AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas e o Centro de Investigação e Desenvolvimento em Engenharia Civil e Qualidade (CIDECQ), da Universidade Fernando Pessoa, no âmbito do projeto Reabilitação Urbana Inteligente e Sustentável e constitui um exemplo muito relevante em matéria de cooperação entre o tecido empresarial e o sistema científico e tecnológico.
O estudo vem dar resposta a problemas muito concretos das empresas de construção e constitui um elemento prático de informação e apoio que alia o conhecimento académico com as necessidades de um setor que procura posicionar-se de forma competitiva, contribuindo assim para redefinir o posicionamento estratégico das empresas, através da introdução de novas soluções de Reabilitação Urbana Inteligente e Sustentável.
Nestes sentido, são apresentadas 40 Fichas de Diagnóstico e Boas Práticas, organizadas em 14 temáticas específicas, identificando as principais anomalias dos edifícios, diagnosticando as causas e oferecendo soluções construtivas com diferentes graus de qualidade e de custo. As Fichas de Diagnóstico e Boas Práticas constituem um instrumento auxiliar muito útil para os técnicos das empresas de construção e reabilitação esclarecerem dúvidas e resolverem problemas na sua atividade.
Trata-se de uma obra de inegável valor, tanto em termos académicos como profissionais, que potencia a preparação, reorganização e modernização do setor da construção para os desafios da Reabilitação Urbana Inteligente e Sustentável.”

Autores: Miguel Branco-Teixeira (coord.), Celeste Almeida, José Coimbra, Leonel Ramos e Carlos Rocha, o livro contou ainda com a colaboração dos Engenheiros Civis Nuno Faria e Nelson Pardal, licenciados na Universidade Fernando Pessoa

*À Venda na reprografia da UFP e Livrarias Porto Editora e Wook.

Catálogo