SOBRE O CURSO

Acreditado pela A3ES, em 03-12-2014 (ligação)

O Mestrado em Ação humanitária, Cooperação e Desenvolvimento (HACD) prepara profissionais ou futuros profissionais para lidar com respostas humanitárias. É um programa internacional, que tem vários anos de experiência e conta com profissionais especializados, tanto professores como convidados civis e militares.

As emergências humanitárias acontecem em diferentes tipos de situações, que são mais frequentemente situações de conflito, mas podem ser igualmente de catástrofes naturais, ou ainda problemas de emergências em saúde ou de riscos para específicos para a segurança.

A resposta a estas situações opta por uma abordagem humanista e por estratégias específicas, nomeadamente: a promoção da saúde e do bem-estar essencial da pessoa, a preparação para situações de desastres e de riscos para a segurança, a análise e a prevenção de crises internacionais e internas. A organização é o ponto essencial, e por isso é preciso saber fazer o planeamento de situações de emergência, saber coordenar e saber conviver entre os vários operadores da emergência para o fornecimento de serviços humanitários, conhecer as ferramentas de logísticas e de apoio à gestão, e as formas de avaliação pós-emergência e de desenvolvimento pós-crise.

DESTINATÁRIOS

O Mestrado HACD é recomendado aos candidatos que já trabalham ou que têm a intenção de trabalhar nas áreas relacionadas com a prevenção de riscos humanitários e a sua gestão, nas ONG com serviços de ajuda humanitária ou serviços conexos, nas organizações internacionais, na agências de promoção do desenvolvimento e da defesa dos direitos humanos, ou nas organizações civis ou militares em operações de paz em zonas de conflito.

O curso é também muito apropriado para as organizações interessadas nas questões da vulnerabilidade e de erradicação da pobreza, no planeamento e na gestão de riscos que envolvem certas populações (e.g. crianças), na resolução de conflitos étnicos e religiosos, na proteção contra a violência e contra o tráfico de pessoas, bem como para os profissionais dos meios de comunicação, e para os decisores associados aos processos políticos (e.g. monitorização dos processos eleitorais).

O programa é projetado para responder as exigências do mercado de trabalho. Destina-se a transmitir aos candidatos, de forma bastante prática, as competências e os saberes que permitirão gerir tanto os aspetos estratégicos como os assuntos mais práticos de execução das questões humanitárias, no sector público como no sector privado.

PLANO DE ESTUDOS

2º Ciclo (Mestrado) · 3 semestres · 90 ECTS
Conforme Despacho n.º 12246/2013, DR 2ª série n.º 185, de 25 de setembro

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Conhecimentos dos aspectos fundamentais da ação humanitária numa perspectiva dialógica; Conhecimentos avançados sobre os aspetos geopolíticos, jurídicos e económicos da acção humanitária, cooperação internacional e ajuda ao desenvolvimento (em especial seu princípios e seu impacto).

(i) Saber aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridas, de forma a evidenciar uma abordagem crítica e autónoma acerca de temas candentes da acção humanitária.(ii) Mostrar capacidade de recolher, seleccionar e interpretar informação relevante, de modo a estar habilitado a fundamentar as soluções que sejam preconizadas e os juízos emitidos. (iii) Dar passos para desenvolver um raciocínio crítico e autónomo. (iv) Desenvolver competências que permitam uma aprendizagem ao longo da vida, com elevado grau de autonomia. (v) Proporcionar uma abordagem centrada em estudos de caso da acção humanitária.

1. Integrar métodos, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos na área da metodologia da investigação; 2. Integrar os conhecimentos teóricos, as diferentes técnicas usadas em investigação de forma aplicável a situações concretas; 3. Seleccionar métodos e técnicas apropriadas; 4. Recolher e organização informação, seleccionar bibliografia relevante e ler de modo crítico e compreensivo; 5. Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita; 6. Desenvolver uma atitude crítica e autocrítica bem como adoptar valores éticos e deontológicos

(i) Conhecimento dos aspetos fundamentais da Gestão de ONGs e de missões; (ii) Competências avançadas nos aspetos logísticos de ONGs e missões

Objetivos: Dotar os alunos dos meios que lhes permitam compreender a relação entre a estrutura institucional (OIG e ONG) das RI e a acção humanitária; Promover a construção de uma visão fundada, crítica e construtiva das OI.

Competências Instrumentais: De análise e síntese de aquisição de conhecimentos específicos da área científica; De comunicação oral e escrita; De gestão de informação (capacidade para procurar e analisar informação de várias fontes); De resolução de problemas.

Competências Interpessoais: De crítica e de autocrítica; De trabalho em contexto internacional; De compromisso ético.

Competências Sistémicas: De aplicação de conhecimentos na prática; De investigação; De adaptação a novas situações; De geração de novas ideias (criatividade); De trabalho autónomo.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

(i) Integrar conceitos, teorias e conhecimentos na área da ajuda ao desenvolvimento; (ii) Desenvolver competências de interação que permitam aos alunos participar em sala de aula nos debates sobre fenómenos político-económicos contemporâneos; (iii) Selecionar métodos de gestão de informação capazes de orientar os alunos em leituras selecionadas sobre cooperação internacional; (iv) Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita; (v) Desenvolver competências de análise crítica e síntese sobre ajuda ao desenvolvimento.

(i) Proporcionar aos discentes, através de um debate sobre o sentido e papel dos conflitos e desastres no mundo actual, as capacidades para compreender e serem actuantes nas situações de conflito e de catástrofes, tanto naturais como políticos e sociais; (ii) Integrar métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos na área das ciências sociais e dos estudos humanitários; (iii) Redefinir os conceitos de conflito e de Catástrofe; (iv) Potenciar os desafios colocados pelas situações de conflito e de desastre para o desenvolvimento das comunidades.

1. compreensão dos principais materiais para a pesquisa em Direito Internacional, em autonomia (auto-aprendizagem) — especialmente na área dos direitos humanos; 2. capacidade para elaborar análises baseadas em informação complexa de cariz jurídico; 3. competência de comunicação de conclusões e conhecimentos a um público académico e não académico.

(i) Entender as questões recorrentes relativas ao trabalho de campo em acções humanitárias de cooperação e desenvolvimento; (ii) Ampliar conhecimentos que permitam promover uma visão crítica e proativa das variadas áreas do trabalho de campo; (iii) Desenvolver capacidades para uma compreensão e adaptação céleres ao perfil cultural e operacional dos projectos.

Os objetivos desta unidade curricular são:

  • Aprofundar conhecimentos sobre intervenção psicossocial em crise e em catástrofe;
  • Aprofundar conhecimentos sobre as principais causas e fatores de risco para morbidade e mortalidade;
  • Reconhecer a importância da adoção de uma perspetiva ecológica no domínio da saúde;
  • Reconhecer a importância do empowerment dos cidadãos e comunidades na promoção da saúde, prevenção e tratamento de doenças.

edição 2017/18 lecionada em inglês

COORDENAÇÃO DO MESTRADO

Prof. Doutor João Casqueira

Envie o formulário para ser contactado pela coordenação do curso:



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País














INTERCÂMBIO / ESTUDAR NO ESTRANGEIRO

Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram os critérios de elegibilidade dispõem da possibilidade de realizar períodos de estudo e/ou de estágio em mobilidade internacional.

Os períodos de estudo em mobilidade internacional de estudantes são realizados em instituições de ensino superior fora de Portugal com as quais a UFP mantém acordos de intercâmbio de estudantes ao abrigo do Programa Erasmus+ (no espaço Europeu), ou de outros acordos bilaterais de intercâmbio existentes.

Informação sobre programas de mobilidade/intercâmbio estão disponíveis através do Gabinete de Relações Internacionais (ligação).

CANDIDATURAS E TAXAS ESCOLARES

REGIME GERAL (*) (**)
CANDIDATURAS: 01 MAI.- 31 JUL. 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS E MATRÍCULAS: NOTIFICADOS POR E-MAIL

RECEÇÃO AOS NOVOS ALUNOS
E INÍCIO DO ANO LETIVO:  17 SET. 2018

(*) Não dispensa a consulta do Cronograma de Ingresso (PDF)
(**) A UFP pode aceitar requerimentos fora do prazo estabelecido, para candidaturas a Doutoramentos, Mestrados e Pós-graduações, sempre que entenda existirem ou poderem ser criadas condições de integração dos candidatos nos cursos em causa.

VER TAXAS