AULAS PRÁTICAS EM CLÍNICAS PEDAGÓGICAS E NO HOSPITAL UFP

CORPO DOCENTE DE REFERÊNCIA

INSTALAÇÕES DE QUALIDADE INTERNACIONAL

Acreditado pela A3ES em 25-01-2018 (ligação)

Informação da Ordem dos Médicos Dentistas sobre o reconhecimento automático das habilitações profissionais na União Europeia (PDF).

Provas de Ingresso (reg. geral)
Biologia e Geologia
Pré-requisitos: Grupo B (PDF)
Vagas (reg. geral) 94

A formação ministrada na Universidade e no Hospital por um Corpo Docente de referência nacional e internacional permite preparar profissionais que, com facilidade, se inserem no mercado de trabalho e conseguem a entrada, em lugares de destaque, nos melhores cursos de pós-graduação portugueses e estrangeiros.

PORQUÊ ESCOLHER MEDICINA DENTÁRIA DA UFP?

–––
Proximidade e apoio dos professores ao longo de todo o curso

–––
Corpo docente altamente qualificado e diferenciado, com experiência e reconhecimento nacional e internacional.

–––

Aulas práticas nas clínicas pedagógicas e no Hospital da UFP proporcionando uma experiência clínica quantitativa e qualitativa sem paralelo.

–––

Fácil inserção no mercado de trabalho e entrada nos melhores cursos de pós-graduação portugueses e estrangeiros.

A SUA EQUIPA DE APOIO

O sucesso educativo alcança-se através do trabalho de equipa. Durante o seu processo de candidatura, e sempre que precisar, contará com o apoio e aconselhamento de uma equipa de profissionais.

Professores

Além de academicamente qualificados, os nossos professores são conhecidos por serem muito próximos dos alunos e disponíveis para esclarecer todas as suas dúvidas.

Equipa de Acolhimento

A equipa de acolhimento, constituída por colaboradores da UFP que são maioritariamente antigos alunos da universidade, tem como objetivo facilitar a integração dos novos alunos.

Colaboradores

Presencialmente (durante os horários de atendimento) ou à distância de um clique, os nossos colaboradores são conhecidos pelo seu profissionalismo e pela sua disponibilidade para ajudar.

PLANO DE ESTUDOS

Grau: Mestre* · Duração: 10 Semestres · 300 ECTS
Conforme: Registo R/B-AD-801/2006,DR 2ª série n.º 152, de 08 de Agosto de 2006 · Despacho n.º18573/2006, DR 2ª série n.º 177, de 13 de Setembro de 2006 · Retificação n.º 1277-C/2007, DR 2ª série n.º156, de 14 de Agosto de 2007 · Despacho n.º 12172/2013, DR 2ª série n.º 184, de 24 de Setembro de 2013

UNIDADES CURRICULARES ECTS

O ensino/aprendizagem de Anatomia Humana é estrutural num curso da área médica, alicerce fundamental para uma melhor compreensão das unidades curriculares profissionalizantes. Fornece as bases do raciocínio médico, promotor do desenvolvimento de competências relacionadas com a observação, descrição e adoção de terminologia anatómica e médica conveniente. Esta unidade curricular tem por objetivo a transmissão e consequentemente a aquisição de conhecimentos sólidos relativos à anatomia do corpo humano e suas implicações funcionais. O aluno deverá ser capaz de pronunciar e definir os termos anatómicos usados. Deverá ainda ser capaz de descrever anatomicamente, localizar e relacionar estruturas anatómicas relacionadas com os capítulos: Introdução à Anatomia Humana, Osteologia Geral, Artrologia Geral e Miologia Geral.

A Bioestatística propõe-se introduzir e desenvolver o conhecimento de técnicas de análise estatística, apresentando exemplos relevantes/situações realistas para ilustrar os conceitos, e desenvolver o espírito crítico e de análise dos resultados obtidos.

OA1 – Introduzir conhecimentos sobre métodos e ferramentas básicas para o estudo da biofísica; OA2 – Adquirir conceitos, capacidade de análise qualitativa e quantitativa de princípios físicos em aplicações de Medicina; OA3 – Aplicar conceitos físicos sobre biomecânica ao corpo humano, em particular, ao sistema músculo-esquelético dentário; OA4 – Apresentar as técnicas de análise quantitativa de estados de equilíbrio estático biomecânico; OA5 – Apresentar as técnicas de análise quantitativa de estados da dinâmica biomecânica. OA6 – Conceptualizar e aplicar análise quantitativa da elasticidade e deformação mecânica dos materiais; OA7 – Obter conhecimento genérico sobre os princípios de funcionamento de alguma tecnologia médica, em particular, da área da imagiologia clínica; OA8 – Obter conhecimento sobre o laser e sua aplicação em medicina dentária, bem como os seus aspectos de utilização em segurança.

Desenvolvimento da competência linguística e comunicativa dos alunos com o objectivo de assegurar uma comunicação eficaz numa pluralidade de situações sócio-profissionais. Consolidação de estruturas gramaticais e padrões previamente adquiridos. Identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês. Desenvolvimento das capacidades críticas e reflexivas dos alunos, através de uma aprendizagem e gestão autónomas.

Pretende-se que o aluno domine as técnicas de investigação e de produção com vista à correta execução do trabalho científico e desenvolva competências estruturantes de natureza teórico-prática que lhe permitam conhecer e aplicar estruturas discursivas utilizáveis na sua área de formação. Para dotar os alunos das competências específicas a desenvolver no âmbito desta unidade curricular, existe uma correspondência direta entre os conteúdos de cada capítulo lecionado e as competências específicas a desenvolver.

Aquisição de conhecimentos sobre a evolução da atividade médica ao longo das civilizações e dos conceitos de saúde e de doença nas populações.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

O ensino/ aprendizagem de Anatomia Humana é estrutural num curso da área médica, alicerce fundamental para uma melhor compreensão das Unidades Curriculares profissionalizantes.Fornece as bases do raciocínio médico, promotor do desenvolvimento de competências relacionadas com a observação, descrição e adopção de terminologia anatómica e médica conveniente. Esta unidade curricular tem por objectivo a transmissão e consequentemente a aquisição de conhecimentos sólidos relativos à anatomia do corpo humano e suas implicações funcionais. O aluno deverá ser capaz de pronunciar e definir os termos anatómicos usados. Deverá ainda ser capaz de descrever anatomicamente, localizar e relacionar estruturas anatómicas relacionadas com os capítulos: Angiologia, Sistema Respiratório; Sistema Digestivo; Sistema Urinário; Sistema Reprodutor Feminino; Sistema Reprodutor Masculino; Sistema Endócrino; Sistema Nervoso.

A Biologia Molecular e Celular integra o conhecimento de várias áreas disciplinares, e.g. Genética, Bioquímica e Biologia Molecular, para compreender os seres vivos a partir de uma perspetiva unificadora, a célula. No âmbito desta unidade curricular, o processo de aprendizagem visa a aquisição de conhecimentos sólidos que permitam relacionar a complexidade molecular e estrutural com a fisiologia celular, e a aquisição de aptidões científicas genéricas – (i) recolha, seleção, análise, interpretação e validação de informação técnico-científica, (ii) comunicação de informação ténico-científica e (iii) atualização contínua e autónoma dos conhecimentos. Ao nível das competências, o processo de aprendizagem visa proporcionar capacidade para reconhecer e compreender a importância da célula na saúde e na doença.

Na unidade curricular de Bioquímica Fisiológica, o aluno terá de obter aprovação a todas as componentes programáticas às quais tenham sido indexados ECTS. Obter aprovação à unidade curricular numa escala numérica de 10 a 20 valores é condição necessária, mas não suficiente para creditação do total de ECTS e inscrição da unidade curricular no diploma do aluno. A unidade curricular tem associados 4 ECTS, indexados às seguintes componentes: 2,0 ECTS para as unidades lectivas correspondentes às vertentes teórica e teórica/prática e 2 ECTS para a componente prático-laboratorial.

Dar a conhecer as ferramentas básicas indispensáveis para orientação de um leque variado de situações relacionadas com a saúde humana que ocorrem no dia a dia e que devem aprender independentemente do seu campo de actuação. Tem ainda como objetivo ensinar as atitudes que deverão saber executar na sua missão de promover a saúde no seu todo, adquirindo nomeadamente as seguintes competências: – Saber efetuar medidas básicas de socorrismo adequadas às situações emergentes mais usuais.- Reconhecer o material indicado para as diferentes situações.- Desenvolver estratégias de comunicação

Desenvolvimento da competência linguística e comunicativa dos alunos com o objetivo de assegurar uma comunicação eficaz numa pluralidade de situações sócio-profissionais. Consolidação de estruturas gramaticais e padrões previamente adquiridos. Identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês. Desenvolvimento das capacidades críticas e reflexivas dos alunos, através de uma aprendizagem e gestão autónomas.

São objetivos desta unidade curricular: 1) Transmitir a importância do estudo da embriologia, histologia e citologia na formação do médico dentista; 2) Compreender a morfologia numa perspectiva funcional; 3) Proporcionar as bases para a interpretação crítica da histopatologia e citopatologia.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

A unidade curricular de Fisiologia Humana estuda a função desempenhada no organismo humano pelos diferentes órgãos, aparelhos e sistemas que formam no seu conjunto o organismo e a forma como estes interagem na manutenção da homeostasia corporal. É objetivo da Fisiologia Humana transmitir aos estudantes uma terminologia, linguagem e conceitos novos, de modo a que eles adquiram uma base de conhecimentos que possam utilizar nos vários campos fisiológicos e aplicar posteriormente noutras unidades curriculares do curso e na futura vivência clínica.

Relacionar a importância da Microbiologia na MED e em outras áreas; – Distinguir um microrganismo procariótico de um eucariótico, identificando as características estruturais e funcionais dos microrganismos procarióticos versus eucarióticos;– Compreender a importância dos fungos em MED e identificar os mecanismos dos antifúngicos em MED; – Identificar as características gerais dos vírus; – Identificar os factores que influenciam o crescimento e metabolismo dos microrganismos. –Identificar e descrever os mecanismos de ação dos diferentes agentes antimicrobianos e suas resistências; – Identificar e descrever os factores de virulência microbianos; – Identificar as diferentes relações parasita-hospedeiro; – Compreender a ecologia oral: o microbioma oral; – Caracterizar microbiologicamente os principais agentes das infeções orais; – Compreender a importância das infeções cruzadas em MED e caracterizá-las.

A unidade curricular visa (OA1) preparar os alunos para identificar, compreender e intervir nos fatores e processos psicológicos do comportamento humano, enquanto paciente, na área da saúde. Pretende-se também (OA2) familiarizar os alunos com as questões da comunicação e suas dificuldades entre o médico e o paciente. São igualmente abordados (OA3) quadros clínicos desde a infância à terceira idade tendo em vista a tornar o profissional da saúde mais apto no relacionamento diário com os seus pacientes. Quanto às competências, a unidade curricular pretende aumentar e melhorar a capacidade de compreensão e articulação dos aspetos psicológicos e de comunicação do comportamento humano presentes na relação do profissional da saúde com o seu paciente, em consultório ou clínica

 

Faz uma abordagem detalhada das leis que governam a transmissão de características de pais para filhos. Explica os vários tipos de hereditariedade mendeliana ou poligénica, ligada ou não ao sexo, com influência ou não de outros factores para além do genoma.Pretende-se frisar a importância biológica do DNA como material genético, o seu papel fulcral nos processos biológicos, e a sua importância na determinação das características do organismo e na transmissão genética. Pretende-se focar os principais mecanismos envolvidos na perpetuação da vida – replicação, transcrição e tradução.

A Profilaxia e Epidemiologia projeta-se na aprendizagem e na prática das especialidades clínicas e da saúde pública, para as quais funciona como ciência fundamental. São objetivos do seu ensino criar o interesse por entender porque é que as doenças ocorrem e, quando surgem, porque o fazem sob formas tão variadas, isto é, deixar presente o espírito das interrogações básicas dos estudos epidemiológicos. Pretende-se essencialmente que os alunos adquiram conhecimentos e competências base aplicáveis na caracterização do estado de saúde de uma população, na identificação da etiologia dos problemas de saúde e na elaboração de estratégias de saúde pública.

A Anatomia e Histologia Oral é estrutural num curso de Medicina Dentária, alicerce fundamental para o desenvolvimento de conveniente prática clínica. Fornece bases para o raciocínio médico, favorece o desenvolvimento de competências relacionadas com a observação, descrição, interpretação e adoção de terminologia médica conveniente. Pretende-se transmitir conhecimentos sólidos relativos à histologia oral e anatomia de cabeça e pescoço, sempre num contexto funcional.O aluno deverá ser capaz de: – utilizar termos anatómicos adequados; – descrever, localizar e relacionar estruturas anatómicas relativas a: morfologia dentária, esplancnologia, osteologia, artrologia, miologia e neurologia de cabeça e pescoço; – conhecer a formação da face e cavidade oral; – descrever as diferentes fases do desenvolvimento dentário;- descrever e interpretar a organização histológica do esmalte, dentina, polpa e periodonto, relacionando-a com as funções e características exibidas.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Conhecimentos: Proporcionar compreensão dos mecanismos da resposta imunológica, à agressão exógena e endógena; conhecimento dos órgãos do sistema Imunológico (SI), sua anatomia e principais constituintes celulares; Conhecimento dos principais componentes humorais do SI, sua estrutura molecular, função e mecanismo de ação; compreensão dos mecanismos imunológicos de proteção à infeção; compreensão das imunodeficiências, hipersensibilidades, autoimunidades, e da ação do SI em tumores e transplantes; compreender as principais formas de imunização e imunossupressão; compreender as estratégias de manipulação terapêutica da resposta imunológica. Compreender os principais métodos analíticos para estudo do SI bem como os métodos que utilizam células ou componentes do SI para análises laboratoriais. Competências e Aptidões: Proporcionar as competências práticas para desenhar, executar, interpretar e validar resultados laboratoriais na área da Imunologia clínica e de investigação científica.

Identificar os principais momentos de evolução da Saúde Pública e integrar o conceito de Cuidados de Saúde Primários. Identificar os principais mecanismos de controlo químico e mecânico dos biofilmes orais e a sua relação com a saúde oral. Conhecimento de métodos e técnicas preventivas e terapêuticas de contenção de lesões de cárie e de erosão. Identificar e reconhecer a patologia cárie e erosão como entidades patológicas nas vertentes epidemiológica e clínica. Reconhecer o processo de desmineralização e remineralização dos tecidos dentários duros. Adquirir conhecimento, competências e aptidões particularmente quanto às evidências atuais sobre etiologia, fatores e indicadores de risco, patogénese, fisiopatologia, fatores de modelação que envolvem o hospedeiro, o biofilme oral, os agentes microbianos, os fatores nutricionais/ambientais, características fisico-químicas para deteção de lesões e métodos de atuação quanto a agentes remineralizantes das estruturas dentárias duras.

Com esta unidade curricular pretende-se aprofundar os conhecimentos de anatomia do Aparelho Estomatognático e relacioná-los com a aprendizagem das funções normais e a mecânica do mesmo. Pretende-se, ainda, a aquisição de conceitos básicos de oclusão dentária e a teoria e prática relativas ao uso de articuladores em Medicina Dentária.

O conteúdo programático desta unidade curricular foi elaborado de modo a transmitir conhecimentos sobre materiais dentários. O objectivo é o de capacitar os alunos para a obtenção dos conhecimentos suficientes para identificação dos diferentes materiais dentários, suas propriedades, limitações e técnicas de manipulação, inter-relacionando a actividade laboratorial com a clínica nas diversas áreas médico-dentárias. Na componente prática da unidade o aluno deverá manipular corretamente os materiais segundo as técnicas e princípios actualmente conhecidos.

Demonstração de conhecimento das propriedades, produção e interações das radiações ionizantes e da radioproteção, efeitos biológicos e riscos associados aos raios X, valores e unidades de dose de radiação. Aquisição de conhecimentos de semiologia radiográfica, relativamente à ampla variação da normalidade, interpretação de patologias da área e controlo pos-operatório de ratamentos realizados. Proporcionar competências no estudo e recolha de imagens através de técnicas imagiológicas intra-orais. Integração das técnicas imagiológicas no diagnóstico e tratamento do paciente em medicina dentária.

Procura-se proporcionar aos alunos uma melhor compreensão das relações dinâmicas dessa resposta do organismo aos diversos mecanismos de agressão celular com os aspetos clínicos e o desenvolvimento do raciocínio clínico para compreender conceitos fundamentais na área de Medicina Dentária.

(i) Adquirir as bases teóricas e metodológicas de trabalho/investigação em Antropologia e sociologia da saúde; (ii) Adquirir, desenvolver e aprofundar conhecimentos e capacidades que permitam discutir e avaliar a alteração de paradigma na análise da saúde e da doença, tanto nos espaços sanitários como nas comunidades sociais; (iii) Ser capaz de trabalhar o corpo, as diferentes partes que o compõem e sua simbólica, no âmbito cultural e social; (iv)Desenvolver uma capacidade crítica em relação às políticas de saúde, discernindo nelas as suas bases ideológicas, culturais, para a construção.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

A Dentística I visa: Revisão de conceitos acerca das principais patologias que afectam os tecidos dentários duros, por processos de desmineralização, por ação de condições ambientais, genéticas, ou de factores de risco associados aos indivíduos; Descrever e ilustrar os princípios de identificação e reação do complexo dentinho-pulpar; Exemplificar e descrever os principais dispositivos médicos usados para deteção de lesões dos tecidos dentários duros, os usados na metodologia operatória para corte de esmalte e de dentina e ainda descrever os principais conceitos de base da dentística quanto ao desenho cavitário e princípios gerais de preparação cavitária; Demonstrar e desenvolver aptidões e competências na prática técnicas operatórias/cirúrgicas com base nos princípios gerais de preparação cavitária das coroas anatômicas dentárias.

O aluno deverá ser capaz de: – reconhecer a importância da anatomia patológica para o estudo clínico de diferentes patologias; – realizar e perceber os passos que vão desde o pedido de exame anatomopatológico até à recepção de um diagnóstico; – identificar e descrever características das patologias abordados; – dominar os conceitos e fundamentos de anatomia patológica para a resolução de problemas em contextos diversificados.

Demonstração de conhecimentos e compreensão da área estudada, o que se traduz pela execução, interpretação e avaliação de exames imagiológicos e sua aplicação ao diagnóstico e tratamento. Conhecimento das técnicas radiográficas extraorais, com o entendimento das das suas indicações, contraindicações e limitações. Aquisição de noções concretas e aprofundadas de semiologia radiológica bem como da ampla variação de aspetos radiológicos normais e do uso da radiologia na avaliação pré e pós-tratamento dentário. Normas de prescrição e utilização de técnicas mais sofisticadas para o estudo imagiológico de estruturas do maciço craniofacial.

A disciplina de Cirurgia Geral e Anestesiologia, tem como objectivo ensinar a abordagem do doente do foro cirúrgico na sua globalidade. Assim, pretende-se fornecer aos alunos as bases para uma correcta avaliação dos doentes, para que possam prever as possibilidades de êxito do tratamento a ser instituído; prevenir a interferência de doenças pré-existentes com o tratamento a efectuar. Pretende-se também ensinar-lhes a técnica anestésica e cirúrgica, desde a assepsia, aos gestos básicos.

Aquisição de conhecimentos de farmacologia geral, nomeadamente as caraterísticas farmacocinéticas dos fármacos, as vias de administração, os mecanismos de ação, os efeitos adversos, as interações medicamentosas mais relevantes e as indicações clínicas. Adaptação destes conhecimentos à prática clínica, incidindo sobre os medicamentos prescritos e manuseados pelos médicos dentistas.


Desenvolvimento de competências em Medicina Dentária Preventiva e Comunitária, bem como de exames de rastreio e investigação em saúde comunitária.

O objetivo da disciplina é o de capacitar os alunos para a obtenção dos conhecimentos suficientes para a execução do protocolo clínico do tratamento endodôntico não-cirúrgico.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Adquirir conhecimentos dos materiais terapêuticos, preventivos e restauradores diretos utilizados na reabilitação estética e funcional das estruturas dentárias. Tem ainda como propósito enumerar e descrever as vantagens, desvantagens, indicações e limitações dos materiais dentários restauradores a utilizar na futura prática clínica. Fundamentar propriedades, vantagens e desvantagens dos diversos materiais terapêuticos, preventivos e restauradores diretos, e as principais indicações/ requisitos clínicos dos mesmos; Realizar preparos cavitários em dentes modelo, conforme princípios gerais, bem como manusear corretamente os materiais dentários a fim de restaurar os respectivos preparos, adoptando posições ergonómicas de trabalho; Identificar instrumentos manuais e rotatórios, fundamentais para o procedimento operatório na Dentística; Pesquisar/selecionar bibliografia científica adequada no âmbito dos temas descritos no programa desta unidade curricular.

As ciências básicas do curso médico e as restantes disciplinas da Medicina Dentária intimamente relacionadas com a Endodontia, assim como o conhecimento pleno da cavidade pulpar permitirão a aprendizagem dos princípios endodônticos e das técnicas terapêuticas actualmente conhecidas.O tratamento endodôntico não cirúrgico é a base da Endodontia e tem como finalidade a extirpação da polpa dentária e a posterior obturação do espaço por ela ocupado.

O conteúdo programático desta unidade curricular foi elaborado de modo a transmitir conhecimentos de prostodontia removível obedecendo a cinco aspetos fundamentais da reabilitação oral: respeito pelos aspetos biológicos no processo de reabilitação, construção de próteses que agridam o menos possível as estruturas anatómicas remanescentes; enfase às técnicas de impressão, ao registo correto da oclusão e ao traçado equilibrado e biológico de uma prótese; obtenção da harmonia ocluso-articular; realce do êxito a longo prazo que está condicionado pela instrução e motivação do paciente.

O objetivo principal do ensino desta Unidade Curricular (UC) é de estimular no aluno a estruturação de uma metodologia de actuação clínica baseada no constante enquadramento bioético e deontológico da profissão.

Pretende dar-se aos alunos as ferramentas que os irão ajudar na aquisição dos diagnósticos que se virão a realizar com o decurso da sua aprendizagem e da aplicação prática. A ginástica mental para atingirem os ditos diagnósticos começa com a mobilidade do conhecimento que a disciplina de Especialidades Médicas lhes irá fornecer e será com estas bases que se iniciarão à semiologia e à propedêutica e terapêuticas médicas e cirúrgicas, subsequentemente.

Pertencendo esta disciplina ao semestre em que se inicia a prática clínica, o seu principal objetivo é capacitar o aluno para a realização de atos cirúrgicos simples, através da abordagem teórica dos conhecimentos básicos e essenciais em cirurgia oral menor.


UNIDADES CURRICULARES ECTS

Adquirir conhecimentos dos materiais terapêuticos, preventivos e restauradores diretos utilizados na reabilitação estética, biológica e funcional das estruturas dentárias. Enumerar e descrever as vantagens, desvantagens, indicações e limitações dos materiais dentários restauradores a utilizar na prática clínica. Execução em clínica de procedimentos operatórios simples e avançados de Dentística, em pacientes; Elaboração de exames clínicos e meios auxiliares de diagnóstico, mediante ferramentas próprias, como inspeção e meios imagiológicos, em dentística clínica; Determinar diagnóstico e planear as prioridades de tratamento terapêutico e profilático em dentística; Avaliar a informação recolhida do paciente e ser capaz de dar resposta clínica, com postura e meios de comunicação adequados na reabilitação dentística.

A temática desta unidade curricular visa adquirir conhecimentos e capacitar os alunos para a execução, em clínica, de procedimentos de Endodontia em pacientes. A disciplina pretende proporcionar um suporte científico, tanto no âmbito dos materiais dentários terapêuticos/endodônticos, para a compreensão dos princípios essenciais e técnicas, simples e avançadas, fundamentais no âmbito do tratamento da patologia pulpar e perirradicular.

Com esta unidade curricular, pretende-se que os alunos consolidem os conhecimentos de Prostodontia Removível, adquiridos na disciplina de Prostodontia I e, ao mesmo tempo, novos conhecimentos que lhes permitam usar na sua prática clínica a aprendizagem, adquirida. O objectivo desta disciplina é assim permitir aos alunos a prática clínica, na confecção de Prótese Parcial Removível (PPR) e Prótese Total Removível (PTR), através da aquisição de conhecimentos para o Diagnóstico e Plano de Tratamento para uma Reabilitação Removível, assim como, interpretar e aplicar os protocolos de atendimento clínico.


Os alunos deverão adquirir um conhecimento teórico sólido dos temas básicos de Odontopediatria. Deverão conhecer as características específicas do paciente infantil em desenvolvimento e diagnosticar as patologias mais frequentemente observadas em Odontopediatria. No final do semestre os alunos deverão estar aptos a realizar, de forma independente, os tratamentos básicos em dentição temporária e permanente jovem.

Dotar os alunos com a capacidade de interpretar o que é normal e anormal em cada passo do crescimento e desenvolvimento do aparelho estomatognático, para que possam agir com atitudes preventivas, intercetivas e correctivas oportunas. Informar circunstanciadamente sobre os fatores etiológicos de caráter geral e local, endógenos e exógenos, suscetíveis de deter ou alterar o normal desenvolvimento das estruturas dento-alveolares, bem como esclarecer os seus caminhos etiopatogénicos.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

A temática desta unidade curricular visa adquirir conhecimentos e capacitar os alunos para a execução em clínica de procedimentos integrados de Endodontia e Dentística, em pacientes. A disciplina pretende proporcionar um suporte científico, tanto no âmbito dos materiais dentários terapêuticos e restauradores, para a compreensão dos princípios essenciais e técnicas, simples e avançadas, fundamentais na reabilitação das estruturas dentárias, como também no âmbito da patologia pulpar e perirradicular. – Capacidade de elaborar o diagnóstico inerente à patologia que afecta a estrutura dentária, (complexo-dentino-pulpar e perirradicular); – Avaliar o estado vital/ou não do dente: – Capacidade de elaborar o tratamento endodòntico adequado quando indicado e/ou a reabilitação restauradora provisória e/ou definitiva por técnicas directas da peça dentária, mediante uma adequada selecção de materiais e técnicas.


As principais competências a atingir com a disciplina são: – Reconhecimento dos diferentes tipos de dores orofaciais, tendo especial atenção às características clínicas associadas às dores orofaciais crónicas; – Reconhecimento dos sinais e sintomas característicos das diferentes Disfunções temporomandibulares (DTMs), diagnósticos diferenciais e técnicas a utilizar no seu tratamento; – Reconhecimento de distúrbios do sono com impacto no sistema estomatognático, em especial o bruxismo do sono; – Utilização laboratorial e clínica de um articulador semi-ajustável e obtenção de esquema oclusal terapêutico; – Realização de uma avaliação clínica (história, exame clínico e exames auxiliares de diagnóstico) com vista ao diagnóstico clínico de DTMs; – Implementação dos protocolos terapêuticos nas DTMs mais frequentes.

O objetivo terapêutico do tratamento de um desdentado parcial e total deve ser prioritariamente o da manutenção e conservação das estruturas anatómicas remanescentes.Ter sempre presentes os aspetos biológicos, colocando próteses que agridam o menos possível as estruturas anatómicas remanescentes, respeitando o princípio biológico básico. Dar ênfase às técnicas de impressão, ao registo correto da oclusão e ao traçado equilibrado e biológico de uma prótese. Encarar o ensino na ótica da reabilitação oral, cujo objetivo é o da obtenção de harmonia ocluso articular.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Os objetivos e competências são, desenvolver, motivar e aperfeiçoar os clínicos (alunos) na sua capacidade de resposta às necessidades básicas dos pacientes numa consulta dentária. Tendo o aluno a possibilidade de realizar uma série de atos clínicos simples, de diferentes áreas da medicina dentária, na mesma disciplina e de forma integrada, podendo estabelecer prioridades e alternativas de tratamento, assim como dar resposta rápida e eficaz às necessidades do paciente.

O objetivo da disciplina é o de capacitar os alunos para a obtenção dos conhecimentos básicos fundamentais para a abordagem de um paciente candidato à colocação de implantes, inter-relacionando a actividade laboratorial com a clínica nas diversas áreas médico-dentárias; Na componente prática da disciplina, o aluno deverá manipular corretamente diversos sistemas de planeamento e tratamento com implantes segundo as técnicas e princípios actualmente conhecidos.

O ensino da disciplina de diagnóstico e planeamento visa sobretudo o atendimento e a seleção de pacientes na consulta de triagem a fim de possibilitar aos alunos a elaboração do diagnóstico, plano de tratamento e acompanhamento de cada paciente nos tratamentos a efectuar. A disciplina visa ainda o conhecimento, prática de métodos e técnicas alternativas de tratamento integrando nas diferentes áreas da Medicina Dentária.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

O objetivo desta unidade curricular é dotar os alunos de Medicina Dentária de conhecimentos científicos e técnicos essenciais ao raciocínio clínico e pedagógico e desenvolvimento de atitudes e aptidões para uma colaboração eficaz nas múltiplas tarefas sempre que a Medicina Dentária Forense for solicitada. Pretende-se que o aluno desenvolva o espírito crítico e reflexivo e adquira competências que permitam a atualização e o progresso no domínio científico e sua aplicação prática.

A unidade curricular assenta no pilar fundamental da Investigação e Desenvolvimento (I&D) – como Metodologia de Investigação Científica. Pretende-se dotar os futuros médicos dentistas dos fundamentos essenciais da investigação para que, mesmo não a exercendo como principal atividade, tenham sobre esta um espírito entusiasta, aliado a competências críticas, face à evolução dos conhecimentos técnico-científicos. Esta disciplina pretende reforçar os conhecimentos para a participação e realização de projetos de investigação, assim como de divulgação de informação científica.

* A conclusão com aproveitamento de todas as unidades curriculares e a aprovação em 300 ECTS confere o grau de mestre. É conferido o grau de licenciado em Ciências Dentárias após seis semestres e aprovação em 180 ECTS. 
FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE (ensino universitário)

COORDENAÇÃO DO CURSO

 

Prof. Doutor Carlos Silva • Profª. Doutora Sandra Gavinha • Profª. Doutora Patrícia Manarte

Envie o formulário para ser contactado pela coordenação do curso



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País














INTERCÂMBIO / ESTUDAR NO ESTRANGEIRO

Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram os critérios de elegibilidade dispõem da possibilidade de realizar períodos de estudo e/ou de estágio em mobilidade internacional.

Os períodos de estudo em mobilidade internacional de estudantes são realizados em instituições de ensino superior fora de Portugal, com as quais a UFP mantém acordos de intercâmbio de estudantes, ao abrigo do Programa Erasmus+ (no espaço Europeu) ou de outros acordos bilaterais de intercâmbio existentes.

Informação sobre programas de mobilidade/intercâmbio estão disponíveis através do Gabinete de Relações Internacionais (ligação).

CANDIDATURAS E TAXAS ESCOLARES

1.ª FASE* (REGIME GERAL E UNIÃO EUROPEIA)
CANDIDATURAS: 01 MAI – 14 AGO 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 17 AGO 2018
MATRÍCULAS: 20 AGO – 07 SET 2018

2.ª FASE* (REGIME GERAL E UNIÃO EUROPEIA – VAGAS EVENTUALMENTE SOBRANTES**)
CANDIDATURAS: 11 – 18 SET 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 20 SET 2018
MATRÍCULAS: 20 SET – 26 SET 2018

RECEÇÃO AOS NOVOS ALUNOS E INÍCIO DO ANO LETIVO:  17 SET. 2018

* Não dispensa a consulta do Cronograma de Ingresso (PDF)
** O Mestrado Integrado em Medicina Dentária não dispõe de vagas para candidaturas de 2ª fase 2018/19

VER TAXAS

VISITE O CAMPUS UNIVERSITÁRIO

Venha conhecer a Universidade Fernando Pessoa. Visite as bibliotecas, laboratórios e espaços do campus UFP.
Desfrute dos espaços verdes e tire uma foto ao pé da estátua do nosso Patrono, Fernando Pessoa.



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País








  • ANTIGOS ALUNOS

    O Antigo Aluno Miguel Pavão é um dos principais responsáveis (enquanto mentor e presidente da Direção), pelo trabalho ímpar que a Mundo a Sorrir tem desenvolvido na promoção da saúde, da saúde oral e dos estilos de vida saudáveis em Portal e além-fronteiras.

     

    (FACEBOOK – “MUNDO A SORRIR”)

  • ANTIGOS ALUNOS

    João Espírito Santo, Antigo Aluno de Medicina Dentária e diretor clínico da Clínica Medical Art Center, é presença assídua em vários programas televisivos graças ao trabalho que tem vindo a desenvolver.

     

    (FACEBOOK – JOÃO ESPÍRITO SANTO)