CORPO DOCENTE DE REFERÊNCIA

ACESSO A BOLSAS DE ESTUDO

INSTALAÇÕES DE QUALIDADE

Acreditação plena, por 6 anos,
pela A3ES, em 11-07-2012 (ligação)

Provas de Ingresso (reg. geral)
Biologia e Geologia
Vagas (reg. geral): 30 

Os licenciados em Ciências da Nutrição podem exercer profissionalmente como Nutricionistas nas seguintes áreas: Nutrição Clínica; Saúde Pública; Desporto; Restauração Coletiva, Qualidade e Segurança Alimentar; Indústria Agroalimentar; Investigação; Ensino-Formação.

PORQUÊ ESCOLHER CIÊNCIAS DA NUTRIÇÃO DA UFP?

–––
Proximidade e apoio dos professores ao longo de todo o curso

–––
Corpo docente altamente qualificado e diferenciado, com experiência e reconhecimento nacional e internacional

–––
Programas das unidades curriculares com conteúdos científicos e técnicos atualizados e uma estreita ligação à prática, que permitem aos alunos uma aprendizagem em contexto real e uma adaptação gradual à futura vida profissional

–––
Qualidade das instalações

A SUA EQUIPA DE APOIO

O sucesso educativo alcança-se através do trabalho de equipa. Durante o seu processo de candidatura, e sempre que precisar, contará com o apoio e aconselhamento de uma equipa de profissionais.

Professores

Além de academicamente qualificados, os nossos professores são conhecidos por serem muito próximos dos alunos e disponíveis para esclarecer todas as suas dúvidas.

Equipa de Acolhimento

A equipa de acolhimento, constituída por colaboradores da UFP que são maioritariamente antigos alunos da universidade, tem como objetivo facilitar a integração dos novos alunos.

Colaboradores

Presencialmente (durante os horários de atendimento) ou à distância de um clique, os nossos colaboradores são conhecidos pelo seu profissionalismo e pela sua disponibilidade para ajudar.

PLANO DE ESTUDOS

1º Ciclo Licenciatura* · Duração: 8 Semestres · 240 ECTS
Conforme Despacho n.º 12162/2013, DR 2ª série n.º 184, de 24 de setembro · Declaração de retificação n.º 1236/2013, DR 2ª série n.º 224, de 19 de novembro

UNIDADES CURRICULARES ECTS

O principal objetivo desta unidade curricular é fornecer os conceitos fundamentais da química assim como, os conhecimentos básicos indispensáveis à compreensão de outras disciplinas nomeadamente, na análise e estudo das características químicas e bromatológicas dos alimentos.
Pretende-se ainda que o aluno adquira as competências básicas para o desenvolvimento de projetos de investigação e para a elaboração dos respetivos relatórios técnico-científicos.

Pretende-se que o aluno domine as técnicas de investigação e de produção com vista à correcta execução do trabalho científico e desenvolva competências estruturantes de natureza teórico-prática que lhe permitam conhecer e aplicar estruturas discursivas utilizáveis na sua área de formação.  Para dotar os alunos das competências específicas a desenvolver no âmbito desta unidade curricular, existe uma correspondência direta entre os conteúdos de cada capítulo lecionado e as competências específicas a desenvolver.

Dar a conhecer as ferramentas básicas indispensáveis para orientação de um leque variado de situações relacionadas com a saúde humana que ocorrem no dia a dia e que devem aprender independentemente do seu campo de atuação. 

1. Dominar, no contexto histórico e antropossociológico, a evolução das práticas alimentares e a evolução do estudo das Ciências da Nutrição.
2. Compreender o fenómeno alimentar em toda a sua complexidade histórica e antropossociológica.
3. Compreender as relações entre factores comportamentais e psicológicos e a alimentação/nutrição em termos de saúde.

Desenvolvimento da competência linguística e comunicativa dos alunos com o objetivo de assegurar uma comunicação eficaz numa pluralidade de situações sócio-profissionais.
Consolidação de estruturas gramaticais e padrões previamente adquiridos.
Identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês.
Desenvolvimento das capacidades críticas e reflexivas dos alunos, através de uma aprendizagem e gestão autónomas.

Aulas teóricas: Pretende fornecer bases de compreensão para o funcionamento do organismo humano, ao nível molecular, celular, tecidular, orgânico e sistémico. O estudo desta disciplina deverá permitir ao aluno conhecer os aspetos mais importantes da Anatomofisiologia Humana que lhe possibilitem, posteriormente, compreender conceitos fundamentais na área de Nutrição.
Aulas práticas: As aulas práticas visam estimular o interesse e o espírito crítico por todas as questões relacionadas com a diversidade morfológica e o funcionamento do corpo humano, divulgando a importância desse conhecimento na prevenção e no tratamento de diversas doenças.
De acordo com os descritores de Dublin e as competências A, B, C, E, F, G e H do perfil de competências do nutricionista (Ordem dos Nutricionistas, 2016), o aluno deve dominar os conhecimentos de forma a ser capaz de identificar os diferentes órgãos, estruturas, aparelhos e sistemas que formam o corpo humano e respectivas funções e interacções.

Nesta unidade curricular pretende-se fomentar, de forma contínua e sustentada, o alcance dos seguintes objetivos:
1. Desenvolver nos alunos o conhecimento e a capacidade de utilizar corretamente instrumentos para a avaliação da ingestão alimentar de indivíduos e populações.
2. Desenvolver nos alunos competências técnicas para a utilização e aplicação dos diferentes métodos de avaliação da ingestão alimentar e nutricional em diferentes contextos.
3. Neste âmbito, no final da Unidade Curricular o aluno deverá ser capaz de: ter conhecimentos teóricos e práticos sobre os diferentes métodos de avaliação da ingestão alimentar; ser capaz de avaliar a ingestão alimentar em diferentes subgrupos da população e reportar esses resultados; ser capaz de adaptar os métodos de avaliação da ingestão alimentar mediante os recursos metodológicos disponíveis.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

1. Definir modelo, reconhecer a sua importância e condicionamentos nomeadamente quando aplicados a áreas de conhecimento das ciências da nutrição.
2. Analisar os modelos estudados.
3. Entender e analisar uma variação exponencial.
4. Aplicar as variações exponenciais na absorção, crescimento bacteriano e esterilização.
5. Entender os processos de difusão e osmose.
6. Analisar processos de regulação definindo as suas variáveis e ciclos de controlo em processos bioquímicos e vias metabólicas.
7. Aplicar a nomenclatura da regulação à regulação da glicémia e da taxa de dióxido de carbono no sangue.
8. Compreender a regulação da temperatura corporal e aos seus estados de alteração.
9. Reconhecer as propriedades mais importantes do sangue como um fluido.
10. Aplicar os conceitos físicos de hidrodinâmica à circulação sanguínea.
11. Relacionar a hidrodinâmica com as trocas a nível dos capilares.
12. Entender e explicar estados de alteração à dinâmica circulatória.

Fornecer os instrumentos que permitam saber alimentar para nutrir saudavelmente, ajudando o indivíduo a selecionar e obter alimentos com o objectivo principal de o nutrir na saúde.
Compreender que a alimentação pode contrariar a expressão de eventuais marcas genéticas com capacidade para determinar vulnerabilidade a doenças crónicas metabólicas e degenerativas.

Desenvolvimento da competência linguística e comunicativa dos alunos com o objetivo de assegurar uma comunicação eficaz numa pluralidade de situações sócio-profissionais. Consolidação de estruturas gramaticais e padrões previamente adquiridos. Identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês. Desenvolvimento das capacidades críticas e reflexivas dos alunos, através de uma aprendizagem e gestão autónomas.

O conhecimento da estrutura e do funcionamento celular e molecular, bem como da diversidade de tipos celulares existentes reveste-se de importância fundamental para todos os profissionais da área das Ciências da Nutrição. Esta unidade curricular visa explicar como as funções moleculares e as interações molecularmente coordenadas asseguram a fisiologia da célula e do organismo. A nível dos conhecimentos visa uma compreensão sólida sobre a complexidade molecular, estrutural e funcional da célula. Nesta perspetiva, pretende-se que os licenciados em Ciências da Nutrição adquiram conhecimentos genéricos na área da Biologia Molecular e Celular, servindo de base ao aprofundar os conhecimentos nas áreas da Bioquímica, disciplinas que frequentarão mais adiante no percurso da licenciatura.

A unidade curricular visa o estudo dos principais processos metabólicos. É importante que os alunos aprofundem os domínios particulares do metabolismo das principais biomoléculas e da bioquímica e fisiologia do sistema endócrino. Simultaneamente, pretendem-se introduzir algumas situações clínicas relacionadas com alterações nas vias metabólicas estudadas ou no sistema endócrino. De acordo com o Referencial para a Formação Académica do Nutricionista da Ordem dos Nutricionistas, o aluno deverá adquirir conhecimentos nucleares, concretamente, conhecer, compreender e descrever os processos e vias metabólicas dos macro e micronutrientes, bem como as doenças metabólicas consequentes de desequilíbrios nestes processos e vias; identificar os macro- e micronutrientes sob a perspetiva química, metabólica e alimentar. O aluno deverá também adquirir competências em diagnóstico, concretamente, recolher, registar, analisar, interpretar e reportar dados bioquímicos, usando métodos apropriados.

De acordo com os descritores de Dublin e as competências A, B, C, E, F, G e H do perfil de competências do nutricionista (Ordem dos Nutricionistas, 2016), esta UC pretende fornecer bases de compreensão para o funcionamento do organismo humano, ao nível molecular, celular, tecidular, orgânico e sistémico. O estudo desta disciplina deverá permitir ao aluno conhecer os aspectos mais importantes da Anatomofisiologia Humana que lhe possibilitem, posteriormente, compreender conceitos fundamentais na área das Ciências da Nutrição.

No final da unidade curricular, o aluno deverá ser capaz de:
1. Conhecer a composição nutricional e o valor energético dos alimentos.
Sistematizar o valor nutricional dos alimentos e reconhecer a sua importância.
2. Compreender a organização e a utilidade das Tabelas de Composição de Alimentos e das Bases informáticas de composição nutricional de alimentos e saber utilizá-los.
3. Conhecer os vários projetos de harmonização de dados de composição nutricional.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Saber alimentar para nutrir saudavelmente, ajudando o indivíduo a seleccionar e obter alimentos com o objetivo principal de o nutrir na saúde. Compreender que a alimentação pode contrariar a expressão de marcas genéticas com capacidade para determinar vulnerabilidade a doenças crónicas metabólicas e degenerativas.
Ser capaz de: identificar os constituintes dos alimentos, suas funções, utilização e inter-relações metabólicas; enunciar as bases metodológicas das recomendações nutricionais e saber indicar as recomendações nutricionais; caracterizar o padrão alimentar saudável e compará-lo com os restantes padrões existentes; compreender e comentar a importância da alimentação/nutrição como parte integrante da promoção de saúde e prevenção da doença; relacionar a regulação da ingestão e do peso corporal; dominar a informática como banco de dados e para formular e analisar planos alimentares; registar planos alimentares; fundamentar o papel do nutricionista.

A disciplina de Fisiopatologia tem como principal objetivo a aquisição de conhecimentos acerca da etiopatogenia de diversas entidades clínico patológicas relevantes para a Licenciatura em Ciências da Nutrição. Com estes temas pretende-se que os alunos adquiram conhecimentos que lhes permitam compreender diversas temáticas consideradas essenciais na vivência profissional dos futuros licenciados em Ciências da Nutrição. Os conteúdos serão adequados às exigências da licenciatura e, serão complementados com estímulos à pesquisa por parte dos alunos, assumindo assim estes um papel relevante na elaboração de um suporte bibliográfico que servirá depois de base ao processo de avaliação.
Atendendo às características específicas dos temas abordados, os alunos serão incentivados a efectuar uma preparação contínua, fundamentada na consulta de excertos de livros científicos e ou de artigos alguns dos quais lhes são fornecidos, de modo a facilitar a sua aprendizagem.

Compreender e estudar as características dos alimentos e as alterações ocorridas pelo processamento culinário. Conhecer as características químicas dos alimentos que se encontram envolvidas nos diversos processamentos culinários. Compreender as alterações químicas e sensoriais dos alimentos com o processo de cocção.

São objetivos da disciplina:
1. Proporcionar conhecimentos em histologia e ambriologia;
2. Fornecer as bases para interpretar a histopatologia;
3. Aplicar o conhecimento adquirido;
4. desenvolver competências críticas.

O principal objetivo da Bioquímica dos Alimentos é o estudo da composição química dos principais constituintes que integram os alimentos, não obstante as reações químicas mais importantes na síntese e/ou hidrólise de compostos desejáveis ou indesejáveis que direta ou indiretamente interfiram na qualidade do alimento para consumo. Pretende-se que o aluno adquira conhecimentos e competências que lhe permitam solucionar problemas essencialmente a nível do controlo da qualidade e da segurança dos produtos alimentares, numa perspectiva terapêutica e relacionada com a promoção da saúde.

Conhecer e compreender os aspetos básicos relativos a:
a) estrutura, função e controlo da informação genética na saúde e doença;
b) hereditariedade;
c) prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças genéticas, bem como questões bioéticas e regulamentação associadas;
d) interações nutriente-gene na saúde, evolução do genoma e doença.
Aplicar o conhecimento na identificação e interpretação de:
a) doença genética;
b) interação nutriente-gene;
c) influência da nutrição na prevenção, desenvolvimento e tratamento de doenças genéticas.
Selecionar, recolher e analisar dados genéticos e bibliográficos; Elaborar e comunicar informação técnico-científica.
Aquisição de aptidões para aplicação deste conhecimento na prática profissional futura, designadamente a nível da:
a) utilização de tecnologias de informação/comunicação adequadas;
b) tomada de decisões e intervenções cientificamente coerentes;
c) desenvolvimento contínuo dos conhecimentos.

Identificar as características estruturais dos organismos eucariotas e procariotas.
Identificar os fatores que influenciam o crescimento dos microrganismos.
Vírus.
Princípios de genética microbiana.
Identificar e descrever os mecanismos de infecção.
Antimicrobianos.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

A Bioestatística propõe-se introduzir e desenvolver o conhecimento de técnicas de análise estatística, apresentando exemplos relevantes e situações realistas para ilustrar os conceitos. Procura-se ainda desenvolver no aluno o espírito crítico e de análise, relativamente aos resultados obtidos, de forma a estabelecer o grau de confiança nos mesmos.
Os objetivos/competências fundamentais da unidade curricular determinam que no final do semestre o aluno deverá ser capaz de: calcular estatísticas e distingui-las de parâmetros; caraterizar devidamente conjuntos de dados.

Nesta unidade curricular pretende-se fomentar, de forma contínua e sustentada, o alcance dos seguintes objetivos:
1. Desenvolver nos alunos o conhecimento e a capacidade de utilizar instrumentos em Saúde, a nível populacional, permitindo a identificação e interpretação de índices e indicadores em Saúde Pública.
2. Fornecer aos alunos conhecimentos sobre os problemas contemporâneos de Saúde Pública a nível nacional e internacional e de estratégias/programas na área da Nutrição que estão a ser desenvolvidos para os combater.
3. Desenvolver nos alunos competências para o desenvolvimento de estratégias de intervenção comunitária no âmbito da Nutrição. 

Esta unidade consistirá numa abordagem abrangente das bases fisiológicas do Sistema Imunológico, da sua composição celular, humoral e orgânica: reconhecimento imunitário, diferenciação e cooperação entre células imunologicamente ativas e sistemas imuno-efectores. Os desvios a este equilíbrio homeostático serão estudados, como os mecanismos subjacentes às patologias relacionadas com o Sistema Imunológico. Será importante o reconhecimento da nutrição como um dos factores associados também a desequilíbrios no sistema imunológico e a sua interação com a resposta imune, nomeadamente na resposta inflamatória e na modulação do microbiota intestinal.

A presente unidade curricular tem como objetivo descrever de forma integrada a etiologia, a patogénese e o diagnóstico das infeções que atingem diferentes locais anatómicos do Homem. Assim, pretende-se a aquisição e/ou melhoria de competências no que se refere às doenças infecciosas de origem bacteriana, fúngica, vírica e/ou parasitária com relevância clínica para o Homem, nomeadamente à sua etiologia, patogénese, diagnóstico (incluindo a adequada colheita e processamento de amostras clínicas para o seu diagnóstico laboratorial), prevenção e tratamento. Será dada particular relevância a infeções emergentes e aos grupos microbianos que exibem resistência a múltiplos antibióticos, abordando-se também as novas moléculas do armamentário terapêutico.

A disciplina de Alimentação e Nutrição do Desenvolvimento aborda de forma sistemática e integrada, aspetos relativos à alimentação e nutrição em idade pediátrica, de crianças e adolescentes saudáveis e com patologia. Mais ainda, a presente unidade curricular pretende igualmente abordar aspetos relacionados com a alimentação e nutrição em idade sénior.  Trata-se de uma disciplina cujo conteúdo programático objetivará a compreensão dos determinantes nutricionais e alimentares nas diferentes fases da vida. É fundamental compreender igualmente o modo como a não satisfação das necessidades nutricionais e alimentares podem afetar o desenvolvimento.

De acordo com os descritores de Dublin e as competências A a H do perfil de competências do nutricionista (Ordem dos Nutricionistas, 2016), pretende-se que o aluno:
1. Adquira conhecimentos e ferramentas úteis para a avaliação nutricional de populações saudáveis, de forma a mostrar que compreende a interacção entre alimentação e saúde.
2. Adquira conhecimentos que permitam a aquisição de competências em avaliação do estado nutricional, que para além de residirem no domínio dos conceitos e das técnicas, implicam o rigor e a conduta pessoal inerentes às medições biológicas em indivíduos.
3. Realize a avaliação do estado nutricional de forma válida e fiável.
4. Desenvolva um espírito crítico.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

De acordo com os descritores de Dublin e as competências A a H do perfil de competências do nutricionista (Ordem dos Nutricionistas, 2016), pretende-se que o aluno:
1. Adquira conhecimentos e ferramentas úteis para a avaliação nutricional de populações doentes, de forma a mostrar que compreende a interacção entre alimentação e saúde;
2. Adquira conhecimentos que permitam a aquisição de competências em avaliação do estado nutricional, que para além de residirem no domínio dos conceitos e das técnicas, implicam o rigor e a conduta pessoal inerentes às medições biológicas em indivíduos;
3. Realize a avaliação do estado nutricional de forma válida e fiável.

Compreensão dos processos patológicos específicos relativos aos diferentes sistemas e aparelhos, envolvendo etiologia, patogénese, alterações morfológicas, distúrbios funcionais e significado clínico, bem como, o suporte nutricional e as medidas dietéticas que compõem os esquemas terapêuticos adequados.

O principal objetivo da Bromatologia é o estudo dos alimentos. Pretende-se que o aluno adquira conhecimentos e competências que lhe permitam solucionar problemas essencialmente a nível do controlo da qualidade e da segurança dos produtos alimentares, numa perspectiva terapêutica e relacionada com a promoção da saúde, na área das ciências da saúde.

Ministrar aos alunos conhecimentos teóricos e práticos no âmbito da higiene alimentar.
Pretende oferecer os recursos necessários à implementação de sistemas de gestão da segurança alimentar segundo os requisitos de Boas Práticas de Higiene e Fabrico e da aplicação do sistema de Análise dos Perigos e Controlo dos Pontos Críticos (HACCP), dotando os alunos de todos os conhecimentos essenciais ao planeamento, exploração, manutenção e atualização dos sistemas de gestão da qualidade e da segurança alimentar.
Pretende dotar os alunos de conhecimentos básicos relativos à produção de refeições.

Com esta unidade curricular pretende-se que os alunos adquiram conhecimentos na área da psicologia no sentido de auxiliar na compreensão aprofundada e adequada dos modelos de intervenção nutricional às especificidades dos clientes, contribuindo assim para potenciar a eficácia da sua intervenção.
Pretende-se, em particular, que os alunos aprofundem o conhecimento sobre sinais e sintomas sugestivos de perturbações da alimentação e da ingestão, bem como sobre as características psicológicas que poderão contribuir para o desenvolvimento e/ou manutenção do excesso de peso e das dificuldades na adesão ao tratamento. Paralelamente, pretende-se que desenvolvam competências de comunicação em contexto de consulta e, especificamente, junto de clientes em fases terminais.

Esta unidade curricular pretende fornecer aos alunos instrumentos e métodos de reflexão ética sobre questões emergentes e persistentes que se colocam no exercício das diferentes profissões na área das Ciências da Saúde. Os instrumentos e métodos de reflexão ética serão aplicados aos conhecimentos adquiridos sobre as várias temáticas assinaladas nos conteúdos. Pretende-se que os alunos se familiarizem com o método deliberativo e com a reflexão (bio)ética a partir de textos literários narrativos, filmes e documentários, textos jornalísticos, informação válida veiculada por meios digitais.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Investigar o contributo da alimentação no estado nutricional e no aparecimento de doenças/morte.
Desenvolver espírito crítico de forma a equacionar de forma correcta os problemas e a propor soluções adequadas.
Desenvolver aptidões para que, na sua prática diária, tire partido da informação publicada recentemente em benefício da saúde e do bem-estar do indivíduo ou da própria população.

O objetivo principal desta Unidade Curricular é a aquisição dos princípios fundamentais da farmacologia que possibilitam a compreensão da ação dos fármacos, desde o nível de um alvo molecular específico até ao nível do paciente. As competências a desenvolver baseiam-se no conhecimento dos mecanismos que regem a ação dos fármacos no organismo e das ações dos constituintes farmacologicamente ativos presentes nos alimentos que podem alterar o curso dos mecanismos fisiológicos, patológicos ou homeostáticos do organismo. Como parte da formação em Ciências da Nutrição é ainda objetivo analisar as interações fármaco-alimento com relevo clínico, ou seja, compreender a influência da terapêutica farmacológica no estado nutricional e, de igual forma, a influência dos nutrientes no ciclo geral de ação dos fármacos.

Trata-se de uma disciplina cujo conteúdo programático objectivará a compreensão dos processos patológicos específicos relativos aos diferentes sistemas e aparelhos, envolvendo etiologia, patogénese, alterações morfológicas, distúrbios funcionais e significado clínico, bem como, o suporte nutricional e as medidas dietéticas que compõem os esquemas terapêuticos adequados.

O principal objetivo da Tecnologia Alimentar visa identificar as principais características dos alimentos de origem animal e vegetal com interesse no processamento alimentar. Conhecer as propriedades características dos alimentos indispensáveis ao planeamento do equipamento de processamento alimentar e controlo das condições do processo que visam a modificação das características organoléticas ou aumento do tempo de vida útil dos alimentos, e procuram minimizar as alterações sensoriais e nutricionais. Estudar os processos de conservação e / ou produção de alimentos por aplicação ou remoção de calor; remoção de água; processamento à temperatura ambiente; operações de pós-processamento. Conhecer as etapas de processamento dos vários grupos de alimentos.

São objectivos da unidade curricular de toxicologia alimentar, a aquisição de conhecimentos sobre os fundamentos de toxicologia alimentar.
Em concordância com o “Referencial para a formação académica do nutricionista” da Ordem dos Nutricionistas os principais objectivos são:
1. Conhecer os fundamentos gerais de toxicologia e a sua importância no âmbito alimentar.
2. Adquirir conhecimento sobre a toxicocinética de xenobióticos.
3. Conhecer os mecanismos gerais de ação dos tóxicos e métodos de avaliação dos efeitos de xenobióticos.
4. Conhecer os principais tóxicos alimentares, descrever os seus efeitos e mecanismos de toxicidade.
5. Conhecer a avaliação do risco e o conceito de dose diária admissível.
6. Aquisição de conhecimentos para a implementação e realização de técnicas laboratoriais analíticas de pesquisa e quantificação de xenobióticos.
7. Ter capacidade de trabalho autónomo na pesquisa de informação usando fontes de informação em toxicologia.

De acordo com os descritores de Dublin e as competências A a H do perfil de competências do nutricionista (Ordem dos Nutricionistas, 2016), pretende-se que o aluno seja capaz de:
1. Compreender a base biológica e nutricional do desporto;
2. Avaliar as necessidades nutricionais específicas de cada atleta e de acordo com as exigências competitivas;
3. Compreender a importância da hidratação e para o uso adequado de suplementos ergogénicos;
4. Elaborar um planeamento alimentar, de acordo com o calendário competitivo dos atletas, em função de modalidades individuais e colectivas.

1. Capacidade de compreensão e integração dos conhecimentos adquiridos.
2. Aplicação dos conhecimentos adquiridos para melhor compreensão da realidade política europeia e nacional.
3. Capacidade de análise crítica no âmbito dos assuntos europeus e nacionais.
4. Capacidade de comunicação interpessoal e intergrupal.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Promover a familiarização com formas de trabalho académico.
Apresentar e discutir as várias fases e metodologias da investigação científica.
Promover a facilidade de apresentação de resultados de investigação científica, quer aos pares quer em termos de divulgação.
Promover a capacidade de reconhecimento e utilização de vários graus de cientificidade do texto escrito.
Fornecer e treinar regras de composição formal do texto científico.
Analisar as características dialéticas do binómio método/pesquisa.

Nesta unidade curricular pretende-se fomentar, de forma contínua e sustentada, o alcance dos seguintes objetivos e competências:
1. Compreender a elaboração de políticas nutricionais/alimentares tendo em atenção condições económicas, sociais, agrícolas, ambientais, e de saúde.
2. Fazer uma análise crítica dos fundamentos teóricos que estão na base da construção de uma política nutricional/alimentar.
3. Contribuir para o planeamento, implementação, gestão e avaliação de políticas nutricionais/alimentares ao nível regional, nacional e internacional.

1. Proporcionar o contacto com a realidade profissional sob tutela.
2. Aplicar os conhecimentos e as competências adquiridas ao longo da licenciatura e acrescentar a estes novos conhecimentos, capacidades e competências sempre num processo dinâmico.
3. Desenvolver capacidades de iniciativa, exposição e espírito crítico.
4. Adaptar-se a novas circunstâncias.
5. Integrar-se em equipas multidisciplinares e conseguir trabalhar em grupo.
6. Aplicar o método de investigação científica no exercício das Ciências da Nutrição.
7. Desenvolver competências de ética e deontologia profissional.
8. Realizar um relatório de estágio de acordo com as normas da UFP.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Conferir aos alunos a capacidade de:
1. Identificar problemas económicos.
2. Perceber a forma de tomar decisões em Economia.
3. Distinguir entre problemas no âmbito da Macroeconomia e da Microeconomia.
4. Distinguir entre a análise positiva e a análise normativa.
5. Perceber a utilidade da utilização do modelo da procura e da oferta de mercado.
6. Aferir da utilidade/aplicabilidade dos conceitos e modelos da Economia na Saúde.
7. Ser capaz de fazer análise comparada dos sistemas de saúde.
8. Compreender os modelos alternativos de reforma de saúde.
9. Analisar criticamente a gestão das organizações de saúde.

Pretende-se fornecer conceitos e instrumentos para a sua interpretação e aplicação, relacionados com a biotecnologia enquanto ciência que permite melhorar/otimizar o processamento alimentar e as características organoléticas e nutricionais dos alimentos, aumentar a sua qualidade e nível de conservação, reduzir custos de produção e, consequentemente, reduzir impactos ambientais.

1. Proporcionar o contacto com a realidade profissional sob tutela.
2. Aplicar os conhecimentos e as competências adquiridas ao longo da licenciatura e acrescentar a estes novos conhecimentos, capacidades e competências sempre num processo dinâmico.
3. Desenvolver capacidades de iniciativa, exposição e espírito crítico.
4. Adaptar-se a novas circunstâncias.
5. Integrar-se em equipas multidisciplinares e conseguir trabalhar em grupo.
6. Aplicar o método de investigação científica no exercício das Ciências da Nutrição.
7. Desenvolver competências de ética e deontologia profissional.
8. Realizar um relatório de estágio de acordo com as normas da UFP.

* A conclusão, com aproveitamento, de todas as unidades curriculares que integram o plano de estudos do 1º ciclo (240 ECTS) confere o grau de licenciado.
FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE (ensino universitário)

COORDENAÇÃO DO CURSO

Profª. Doutora Cláudia Silva

Envie o formulário para ser contactado pela coordenação do curso



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País














INTERCÂMBIO / ESTUDAR NO ESTRANGEIRO

Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram os critérios de elegibilidade dispõem da possibilidade de realizar períodos de estudo e/ou de estágio em mobilidade internacional.

Os períodos de estudo em mobilidade internacional de estudantes são realizados em instituições de ensino superior fora de Portugal, com as quais a UFP mantém acordos de intercâmbio de estudantes, ao abrigo do Programa Erasmus+ (no espaço Europeu) ou de outros acordos bilaterais de intercâmbio existentes.

Informação sobre programas de mobilidade/intercâmbio estão disponíveis através do Gabinete de Relações Internacionais (ligação).

CANDIDATURAS E TAXAS ESCOLARES

1.ª FASE* (REGIME GERAL E UNIÃO EUROPEIA)
CANDIDATURAS: 01 MAI – 14 AGO 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 17 AGO 2018
MATRÍCULAS: 20 AGO – 07 SET 2018

2.ª FASE* (REGIME GERAL E UNIÃO EUROPEIA – VAGAS EVENTUALMENTE SOBRANTES**)
CANDIDATURAS: 11 – 18 SET 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 20 SET 2018
MATRÍCULAS: 20 SET – 26 SET 2018

RECEÇÃO AOS NOVOS ALUNOS E INÍCIO DO ANO LETIVO:  17 SET. 2018

* Não dispensa a consulta do Cronograma de Ingresso (PDF)
** O Mestrado Integrado em Medicina Dentária não dispõe de vagas para candidaturas de 2ª fase 2018/19

VER TAXAS

VISITE O CAMPUS UNIVERSITÁRIO

Venha conhecer a Universidade Fernando Pessoa. Visite as bibliotecas, laboratórios e espaços do campus UFP.
Desfrute dos espaços verdes e tire uma foto ao pé da estátua do nosso Patrono, Fernando Pessoa.



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País








  • ANTIGOS ALUNOS

    O Antigo Aluno Christophe Albuquerque, que desenvolve a sua atividade profissional na área da nutrição clínica e desportiva, foi membro da equipa de nutrição do Boavista F.C. entre 2013 e 2016.

     

    (FACEBOOK – BOAVISTA FUTEBOL CLUBE)