ESTUDAR NA UFP

É possível fazer uma pré-inscrição?
Os interessados em ingressar na UFP podem apresentar a sua candidatura, de acordo com o regime de ingresso. 

Como posso submeter a minha candidatura a um curso na UFP?
As candidaturas podem ser submetidas:
a) Online, em http://candidaturas.ufp.pt (ligação)
b) Presencialmente, no Gabinete de Ingresso da UFP, no Porto, ou na Secretaria da Unidade de Ponte de Lima.
Nota: Candidatos que se apresentem pelo regime de Mudança de Par Instituição/Curso ou Titular de Curso Superior, CET ou CTSP, que queiram pedir creditação dos estudos prévios, poderão submeter a candidatura online, mas, devido ao volume de documentação, terão que enviar o pedido de análise de creditações, pelo correio, para o Gabinete de Ingresso da Universidade Fernando Pessoa – Praça 9 de Abril, 349 | 4249-004 Porto, Portugal.

Após candidatura e se for colocado, como devo proceder?
Após divulgação dos resultados, os estudantes colocados em cada fase de candidatura dispõem de um prazo, previamente definido no Cronograma de Ingresso (PDF) , para a realização da matrícula.

Quais são as provas de ingresso aceites na UFP?
As provas são válidas no ano da sua realização e nos dois anos seguintes.
1.1. Para 2018/19 são válidas provas de 2018, 2017 ou 2016;
1.2. Caso o candidato não pretenda realizar exames em 2017 e tencione candidatar-se com os exames realizados em 2015 ou 2016 tem que, obrigatoriamente, apresentar uma ficha ENES de 2018 (a inscrição para a emissão da ficha ENES é efetuada na escola secundária no prazo para tal estabelecido);
1.3. De acordo com o Artigo 20º-A do Decreto-Lei nº 296-A/98, estudantes do ensino secundário estrangeiro podem pedir a substituição das provas de ingresso por exames finais de disciplinas terminais do ensino secundário estrangeiro. Esse requerimento é feito na Direção-Geral do Ensino Superior (mais informações estão disponíveis na página de Condições de Candidatura – ligação).
Pode consultar as provas de ingresso na respetiva página de cada curso. 

Onde posso inscrever-me para realizar as provas de ingresso?
As provas de ingresso são atualmente concretizadas através de exames finais nacionais do ensino secundário. A inscrição nesses exames é feita na escola secundária na qual o aluno está matriculado.

Qual a validade das provas de ingresso?
As provas são válidas no ano da sua realização e nos dois anos seguintes.

Todos os cursos disponíveis na candidatura vão ser leccionados?
A abertura de qualquer um dos cursos e horários (laboral/pós-laboral) existentes na UFP está dependente de um número mínimo  por curso.

Qual é a média de entrada (nas candidaturas pelo Regime Geral)?
Para candidatura pelo regime geral é necessária uma nota mínima de 95 valores na prova de ingresso ou no conjunto de provas de ingresso aceites para o curso ao qual se candidatam. A seriação é feita por ordem decrescente da nota de candidatura (calculada  através da seguinte fórmula: classificação do ensino secundário × 0,65 + classificação da prova de ingresso exigida × 0,35).

Terminei o 12º ano mas não tenho a prova de ingresso/nota mínima ou conjunto de provas exigidas – como me posso candidatar a uma licenciatura ou mestrado integrado?
Para se poderem candidatar, os alunos têm obrigatoriamente que ter a prova de ingresso ou conjunto de provas exigidas para o curso pretendido, com nota mínima de 95 valores.
Alunos que não possuam a prova  de ingresso ou conjunto de provas OU a(s) tenha(m) realizado, mas não tenham obtido a nota mínima exigida, poderão inscrever-se em unidades curriculares isoladas, ao abrigo do regulamentado para o Aluno Externo ou Ano Zero (ligação).
Para se poderem candidatar no ano letivo seguinte ao curso pretendido, terão que realizar, com aproveitamento, a prova  de ingresso ou conjunto de provas exigidas .
As unidades curriculares realizadas com aproveitamento de forma isolada, poderão ser validadas para continuidade de estudos, após o ingresso no curso.

Tenho um Curso de Especialização Tecnológica (CET) – preciso de ter a prova de ingresso ou conjunto de provas de ingresso exigidas para quem se candidata pelo Regime Geral?
Sim. Titulares de um diploma de Curso de Especialização Tecnológica (CET) de nível de qualificação V podem candidatar-se ao ensino superior através de uma candidatura por Concursos Especiais, desde que tenham:
–   realizado os exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso exigidas para o ingresso no ciclo de estudos em causa;
–   obtido nesses exames a classificação mínima de 95 valores, numa escala de 0 a 200.

Tenho Curso de Técnico Superior Profissional (CTSP) – preciso de ter a prova de ingresso ou conjunto de provas de ingresso exigidas para quem se apresenta pelo Regime Geral?
Sim. Titulares de um diploma de Curso de Técnico Superior Profissional (CTSP) podem candidatar-se ao ensino superior através de uma candidatura por Concursos Especiais, desde que tenham:
–  realizado os exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso exigidas para o ingresso no ciclo de estudos em causa;
–  obtido nesses exames a classificação mínima de 95 valores, numa escala de 0 a 200.

Estou a estudar noutra instituição de ensino superior – posso candidatar-me diretamente ao 2º/º3º ano na UFP?
Cumprindo as condições de ingresso do regime de Mudança de Par Instituição/Curso, o candidato poderá solicitar, no ato de candidatura, a de análise de creditações dos estudos prévios. Após a resposta ao pedido de análise de creditações, tomará conhecimento de quais as unidades curriculares creditadas e quais as que terá que realizar na UFP, logo, em que ano curricular se poderá matricular.

Já estive matriculado no ensino superior mas não concluí o curso e pretendo mudar de instituição e/ou curso – tenho que ter a prova de ingresso?
Sim. De acordo com a Portaria n.º 181-D/2015, de 19 de junho, para poderem requerer a mudança para instituição e/ou curso é condição obrigatória os alunos:
–   terem estado matriculados e inscritos noutro par instituição/curso e não o tenham concluído;
–   terem realizado, com a nota mínima exigida, os exames nacionais do ensino secundário correspondentes às provas de ingresso fixadas para esse par instituição/curso, para esse ano, no âmbito do regime geral de acesso.
Salienta-se que:
–   os exames podem ter sido realizados em qualquer ano letivo;
–   a mudança não é possível no mesmo ano letivo em que os alunos tenham ingressado no ensino superior.

Quero mudar de instituição e/ou curso, mas a minha prova de ingresso tem mais de três anos – tenho que voltar a realizá-la?
Não. Para candidaturas pelo regime de Mudança de Par Instituição/Curso, os exames nacionais correspondentes às provas de ingresso podem ter sido realizados em qualquer ano letivo.

Nunca estive inscrito no ensino superior e as minhas provas de ingresso caducaram – como me posso candidatar à Universidade Fernando Pessoa?
Candidatos que tenham Maiores de 23 anos (completos  até ao dia 31 de Dezembro do ano que antecede a realização das provas) e nunca tenham estado matriculados numa licenciatura ou mestrado integrado podem candidatar-se pelo Regime de Maiores de 23 (ligação). Candidatos que ainda ainda não tenham completado os 23 anos terão que realizar provas de ingresso numa escola secundária portuguesa.

Tenho mais de 23 anos e nunca estive inscrito no ensino superior – como me posso candidatar à Universidade Fernando Pessoa?
Candidatos que tenham Maiores de 23 anos (completos  até ao dia 31 de Dezembro do ano que antecede a realização das provas) e nunca tenham estado matriculados numa licenciatura ou mestrado integrado podem candidatar-se pelo Regime de Maiores de 23 (ligação).

Pretendo reingressar no ensino superior – como deverei proceder?
O reingresso é o ato pelo qual um estudante, após interrupção dos estudos num par instituição/curso de ensino superior, se matricula na mesma instituição e se inscreve no mesmo curso ou em curso que lhe tenha sucedido. Assim, se esteve matriculado na Universidade Fernando Pessoa e pretende reingressar no mesmo curso, bastará dirigir-se à Secretaria Geral, até 10 dias úteis antes do início do respetivo semestre e solicitar o reingresso. Se esteve matriculado na UFP e pretende mudar de curso ou se esteve matriculado noutra instituição de ensino superior, terá que se candidatar pelo regime de Mudança de Par Instituição/Curso. 

Sou licenciado – preciso de realizar alguma prova de ingresso?
Detentores de uma licenciatura ou mestrado integrado podem candidatar-se pelo Regime de Titular de Curso Superior. Os candidatos abrangidos por este regime de ingresso podem candidatar-se a qualquer curso superior.

Sou graduado – posso fazer a revalidação do meu diploma na UFP?
Se a graduação for numa área em que a UFP tenha uma licenciatura ou mestrado integrado, os seus detentores poderão apresentar a candidatura ao curso pelo regime de Titulares de Cursos Superiores, solicitando a análise de possíveis creditações dos estudos já realizados.  Após a resposta ao pedido de análise de creditações, saber-se-á quais as unidades curriculares creditadas e quais as que o aluno terá que realizar na UFP, para concluir o seu novo curso.

A UFP tem Bolsas e Apoios ?
Existem diferentes tipos de Bolsas e Apoios para os estudantes da UFP, que poderão obter informação/solicitar aconselhamento junto do Gabinete de Ação Social Escolar (GASE) ou por email: gase@ufp.edu.pt. O GASE tem como principal objetivo permitir que todos os estudantes, independentemente das suas condições económicas, possam frequentar os cursos da UFP.

A UFP tem protocolos para estágios?
Sim. A Universidade Fernando Pessoa, através do Gabinete de Estágios e Saídas Profissionais (GESP), estabelece protocolos com empresas/instituições, facilitando assim o processo de colocação dos estagiários para a Faculdade de Ciência e Tecnologia e para a Faculdade de Ciências Humanas e Sociais. A lista de protocolos com empresas que pode ser consultada na página do GESP. 

O que são “cadeiras” e como funcionam?
As frequentemente chamadas “cadeiras” são as unidades curriculares (disciplinas) que integram o plano curricular dos cursos. As aulas podem ser de natureza: teórica (T); teórico-prática (TP); prática (P); prática não -laboratorial (PN) prática -laboratorial (PL); clínica (C); trabalhos de campo (TC); orientação tutorial (OT); outra (O); seminários (S); estágios (E).

Como é feita avaliação de cada disciplina?
Existem dois regimes de avaliação.  Se os alunos optarem por um regime de avaliação contínua, regem-se por uma proposta de avaliação feita pelo docente no início do semestre, onde podem ser considerados os seguintes critérios: participação nas aulas; trabalhos individuais e/ou em grupo; projectos/relatórios individuais e/ou de grupo; outros meios de avaliação definidos pelo responsável da disciplina. Os estudantes são aprovados se tiverem uma nota mínima igual ou superior a 9,5 valores. No caso de não aproveitamento, podem realizar exame de fim de semestre às componentes teóricas, teórico-práticas e práticas não-laboratoriais das unidades curriculares.
Caso optem pelo regime de avaliação final, os estudantes têm que se escrever num exame, que será realizado durante a época de exames e equivale a 100% da nota final, ficando aprovados se tiverem uma nota igual ou superior a 9,5.

O que são ECTS?
O sistema de créditos ECTS (Sistema Europeu de Transferência e Acumulação de Créditos – European Credit Transfer System) foi adotado por dezenas de países da União Europeia no âmbito do Processo de Bolonha, tendo como objetivos criar transparência, uniformizar processos e facilitar o reconhecimento de estudos realizados no espaço europeu. Um ECTS equivalente a uma carga horária total de 25 horas, distribuídas por horas de contacto em aulas, atendimento de alunos, orientações tutoriais e outro tipo de orientações de estudo e aprendizagem e por auto-estudo e trabalho do aluno no desenvolvimento de competências pessoais.

O que são propinas? Como posso saber qual o valor das taxas escolares e como funcionam os pagamentos?
A propina é a taxa que o aluno paga para a frequência das unidades curriculares e é proporcional ao número de ECTS (créditos europeus) em que o aluno está inscrito. Na UFP, a liquidação de taxas escolares (PDF) deverá ser feita preferencialmente na rede ATM (referência multibanco disponível na área de aluno da Secretaria Virtual – ligação). O aluno pode também liquidar as taxas escolares por pagamento direto, na Secretaria da UFP.  Em casos excecionais e mediante solicitação e autorização superior, os alunos poderão liquidar as taxas escolares por transferência bancária.

Os exame são pagos?
Os alunos têm a possibilidade de realizar avaliação contínua ao longo do semestre e, no caso de não aproveitamento, podem realizar exame de fim de semestre às componentes teóricas, teórico-práticas e práticas não-laboratoriais das unidades curriculares sem qualquer custo adicional.
Não tendo aproveitamento nesses momentos de avaliação, podem inscrever-se, no final do semestre e no prazo estipulado, nos exames de recurso (apenas nas componentes teóricas, teórico-práticas e práticas não-laboratoriais das unidades curriculares), liquidando a respetiva taxa por cada exame.

Onde posso fazer o Cartão de Estudante e para que serve?
O Cartão de Estudante serve para os alunos se identificarem junto dos diferentes serviços da UFP, incluindo junto dos professores sempre que solicitado. A sua apresentação é obrigatória nas Bibliotecas, sempre que pretenderem consultar e/ou requisitar livros. O cartão serve ainda para obter descontos em instituições/empresas que tiverem descontos específicos para estudantes.
Atualmente os cartões são emitidos pela Caixa Geral de Depósitos (CGD), podendo os alunos escolher entre um cartão “simples” ou um cartão com conta bancária associada – neste caso o cartão serve como Cartão de Estudante e cartão de débito. No início do ano letivo, a CGD coloca um colaborador nas instalações da UFP para poder receber os pedidos de cartão dos alunos.

A UFP tem residência para os estudantes?
A Universidade Fernando Pessoa tem uma parceria com a Uniplaces, uma plataforma de arrendamentos que permite encontrar e reservar quartos. Informações sobre condições e desconto no âmbito desta parceria estão disponíveis na área de serviços de apoio.

Existe algum sítio para aquecer a comida na UFP?
A Universidade Fernando Pessoa tem três salas de refeições equipadas com mesas e microondas, que podem ser utilizados por todos os alunos, localizadas nos edifícios da Escola dos Estudos Pós-Graduados e de Investigação, da Faculdade de Ciências da Saúde e das Clínicas Pedagógicas.

Onde posso estudar dentro da UFP?
A UFP possui três bibliotecas que funcionam em regime de livre acesso – Biblioteca Alberto Caeiro; Biblioteca Fernando Pessoa; Biblioteca Fernando Reis – onde os alunos podem estudar individualmente ou trabalhar em grupo, nos gabinetes. As bibliotecas da UFP prestam serviços no local de leitura, como empréstimos de livros, serviços de impressão, cópia e digitalização em regime self-service e acesso a bases de dados, como o Repositório Institucional da UFP (ligação). Prestam ainda serviços de empréstimo entre bibliotecas.

O que é a “creditação de formação e de experiência profissional”?
Trata-se do reconhecimento de competências adquiridas noutros cursos (conferentes ou não de graus) ou através de experiência profissional relevante e devidamente comprovada. A creditação dessas competências traduz-se concretamente na atribuição de créditos às unidades curriculares correspondentes no ciclo de estudos ao qual o aluno se candidata, no limite previsto pela legislação em vigor.

Como posso conhecer as normas de funcionamento dos cursos de graduação da UFP?
A Normativa Académica do Funcionamento das Licenciaturas e dos Mestrados Integrados da Universidade Fernando Pessoa foi publicada através do Regulamento nº 592/2015, DR 2ª Série nº 167, de 27 de Agosto de 2015 (PDF). 

Como posso chegar à Universidade Fernando Pessoa?
De metro: Linha D – Amarela – H. São João/Trindade/Sto. Ovídio –Saída – Estação Pólo Universitário;
De Autocarro: 304 (Aliados – Santa Luzia) – Saída: Arca d`Água | 600 (Maia- Sá da Bandeira) – Saída: Arca d`Água | 603 (Maia – Marquês) – Saída: Igreja de Paranhos | 704 (Boavista – Codiceira) – Saída: Arca d`Água | 803 (Boavista – Rio Tinto) – Saída: U. Fernando Pessoa

ESTUDANTES INTERNACIONAIS NA UFP

Acabei o ensino secundário na União Europeia – posso candidatar-me a uma licenciatura ou mestrado integrado na Universidade Fernando Pessoa?
Estudantes naturais de um país da União Europeia que nunca tenham frequentado o ensino superior podem candidatar-se pelo Regime Geral, desde que cumpram duas condições:
1. Tenham terminado o ensino secundário ou equivalente legal num país da União Europeia;
2. Tenham realizado:
2.1. A prova de ingresso ou o conjunto de provas de ingresso aceites para o curso ao qual se candidatam, com nota mínima de 95 valores;
2.2. Exames nacionais do ensino secundário estrangeiro considerados equivalentes à prova de ingresso ou ao conjunto de provas de ingresso aceites para o curso ao qual se candidatam, com nota mínima de 95 valores.
Nota: Os exames nacionais do ensino secundário estrangeiro têm a mesma validade que os nacionais: o ano da sua realização e os dois anos seguintes.
Os estudantes que cumpram com estas condições terão que:
1. Pedir a validação do diploma de ensino secundário numa escola secundária;
2. No caso de usarem exames nacionais do ensino secundário estrangeiro: pedir a validação dos mesmos na Direção-Geral do Ensino Superior.
Nota: Caso o aluno já tiver estado matriculado numa licenciatura no país da União Europeia, então a candidatura será pelo regime de Mudança de Par Instituição/Curso. 

Terminei o ensino secundário num país fora da União Europeia, não tenho nacionalidade da União Europeia, nem resido em Portugal há mais de 2 anos – como posso candidatar-me a uma licenciatura ou mestrado integrado?
Alunos de nacionalidade extracomunitária que nunca tenham estado inscritos no ensino superior podem candidatar-se pelo Regime de Estudante Internacional .
Nota: Caso o aluno já tenha estado matriculado numa licenciatura, a candidatura terá que ser realizada pelo regime de Mudança de Par Instituição/Curso.

Sou candidato extra-comunitário: preciso de um visto para me matricular?
Sim. Candidatos extra-comunitários residentes no estrangeiro terão de obter um Visto de Estudante para se matricularem na Universidade Fernando Pessoa. Sendo aceites, poderão solicitar uma carta de aceitação por parte da UFP para auxiliar no pedido do visto junto do respetivo Consulado de Portugal. O visto de estudante deve ser obtido antes da partida do país de origem e formalidades para obtenção de visto são da exclusiva responsabilidade de cada aluno. Mais informações sobre postos consulares portugueses no mundo e obtenção de vistos de estudante podem ser consultadas nas seguintes páginas externas: Portal das Comunidades Portuguesas (ligação)  e Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (ligação).

Sou Brasileiro – posso candidatar-me com o ENEM?
Estudantes brasileiros que nunca tenham estado inscritos no ensino superior (e não tenham dupla nacionalidade com um país da União Europeia), podem apresentar a candidatura pelo regime de Estudante Internacional, podendo usar na sua candidatura o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) ou as disciplinas finais do ensino médio que forem equivalentes às provas de ingresso portuguesas.

Qual a documentação necessária para me candidatar a licenciatura/mestrado/doutoramento na UFP?
A documentação, condições de ingresso, critérios de seleção e cronograma de ingresso dependem do ciclo de estudos a que se candidata e, no caso do 1º Ciclo (licenciaturas e mestrados integrados), das qualificações académicas e mesmo da nacionalidade e da idade do candidato.
Dada as especificidades dos diferentes regimes de candidatura, deverão ser consultadas as condições de ingresso do ciclo de estudos e regime em que pretende candidatar-se.

Como posso comprovar as minhas qualificações?
As autenticações são feitas no país no qual o curso foi concluído e podem ser feitas sobre os originais ou fotocópias. Dado que a UFP não devolve documentação, recomendamos que sejam feitas sobre fotocópias.
As autenticações aceites pela UFP são emitidas:
a) Pelos serviços oficiais de educação do respetivo país + pela autoridade diplomática portuguesa que serve esse país; ou
b) Com a Apostilha de Haia (ligação)

Tenho que realizar algum teste de língua portuguesa?
Teste de língua portuguesa não é necessário. No entanto, os estudantes (de países cuja língua oficial não seja a Portuguesa) que ingressem pelo Regime de Estudantes Internacionais terão, de acordo a legislação em vigor, que apresentar comprovativo da proficiência da língua Portuguesa.

Como posso candidatar-me a um período de estudos em Intercâmbio/Eramus+?
Assim que a sua universidade aprovar a sua participação no programa de intercâmbio, deverá preencher o formulário de candidatura disponível na página web do Gabinete de Relações Internacionais da UFP (ligação)

Quais são os critérios de aceitação para estudar em Intercâmbio/Erasmus+ na UFP?
Se deseja estudar na UFP através de um programa de Intercâmbio/Erasmus+, a sua universidade de origem deve possuir um acordo formal com a UFP. Deverá então contactar a pessoa responsável pelos programas de intercâmbio da sua universidade para confirmar se pode participar no programa. 

Vou frequentar a UFP no próximo semestre enquanto aluno de Intercâmbio/Erasmus+. Onde devo dirigir-me para fazer a inscrição?
A inscrição permite ao aluno tornar-se membro da Universidade e permite-lhe acesso a todas as instalações e serviços da UFP. As inscrições têm lugar nas duas primeiras semanas de cada semestre no Gabinete de Relações Internacionais (ligação). Todos os alunos que estejam a frequentar o primeiro, segundo ou terceiro ano na sua universidade de origem serão inscritos como alunos do 1.º Ciclo (licenciatura).Todos os alunos que estejam a frequentar estudos pós-graduados na sua universidade de origem serão inscritos como alunos do 2.º Ciclo (Mestrado) e aqueles que estejam a estudar para Doutoramento serão inscritos como alunos de Investigação.

Fui aceite para um semestre na UFP como aluno de mobilidade. Posso solicitar uma extensão do meu período de estudos?
Os alunos de Intercâmbio/Erasmus+ que foram aceites para um semestre na UFP não podem prolongar o período de estudos original.

A minha universidade não tem um acordo com a UFP. Existe outra possibilidade de estudar na UFP?
Poderá fazê-lo como Estudante Visitante. Este estatuto permite que estudantes de outras universidades possam frequentar até um ano letivo na UFP à discrição do departamento académico envolvido. Por favor contacte o GRI para mais informações (ligação).

Existem taxas escolares distintas para alunos estrangeiros? Como funciona o pagamento?
A UFP não pratica taxas escolares (PDF) distintas para alunos nacionais e estrangeiros. A liquidação de taxas escolares deverá ser feita preferencialmente na rede ATM. O aluno pode também liquida-las por pagamento direto na Secretaria da Universidade.  Em casos excecionais e mediante solicitação e autorização superior, os alunos poderão liquidar as taxas escolares por transferência bancária.

Onde posso fazer o Cartão de Estudante e para que serve?
O Cartão de Estudante serve para os alunos se identificarem junto dos diferentes serviços da UFP, incluindo junto dos professores sempre que solicitado. A sua apresentação é obrigatória nas Bibliotecas, sempre que pretenderem consultar e/ou requisitar livros. O cartão serve ainda para obter descontos em instituições/empresas que tiverem descontos específicos para estudantes.
Atualmente os cartões são emitidos pela Caixa Geral de Depósitos (CGD), podendo os alunos escolher entre um cartão “simples” ou um cartão com conta bancária associada – neste caso o cartão serve como Cartão de Aluno e cartão de débito. No início do ano letivo, a CGD coloca um colaborador nas instalações da UFP para poder receber os pedidos de cartão dos alunos.

A UFP tem residência para estudantes? Existe alguma parceria com agências imobiliárias?
A Universidade Fernando Pessoa tem uma parceria com a Uniplaces, uma plataforma de arrendamentos que permite encontrar e reservar quartos. Informações sobre condições e desconto no âmbito desta parceria estão disponíveis na área de serviços de apoio.

Existe algum sítio para aquecer a comida na UFP?
A Universidade Fernando Pessoa tem três salas de refeições equipadas com mesas e microondas, que podem ser utilizados por todos os alunos, localizadas nos edifícios da Escola dos Estudos Pós-Graduados e de Investigação, da Faculdade de Ciências da Saúde e das Clínicas Pedagógicas.

Onde posso estudar dentro da UFP?
A UFP possui três bibliotecas que funcionam em regime de livre acesso – Biblioteca Alberto Caeiro; Biblioteca Fernando Pessoa; Biblioteca Fernando Reis – onde os alunos podem estudar individualmente ou trabalhar em grupo, nos gabinetes. As bibliotecas da UFP prestam serviços no local de leitura, como empréstimos de livros, serviços de impressão, cópia e digitalização em regime self-service e acesso a bases de dados, como o Repositório Institucional da UFP (ligação). Prestam ainda serviços de empréstimo entre bibliotecas.

Como posso chegar à Universidade Fernando Pessoa?
De metro: Linha D – Amarela – H. São João/Trindade/Sto. Ovídio –Saída – Estação Pólo Universitário;
De Autocarro: 304 (Aliados – Santa Luzia) – Saída: Arca d`Água | 600 (Maia- Sá da Bandeira) – Saída: Arca d`Água | 603 (Maia – Marquês) – Saída: Igreja de Paranhos | 704 (Boavista – Codiceira) – Saída: Arca d`Água | 803 (Boavista – Rio Tinto) – Saída: U. Fernando Pessoa

ESTUDAR NO ESTRANGEIRO

O que é o Programa Erasmus+?
O Erasmus+ é o programa da União Europeia para a educação, formação, juventude e desporto, possibilitando a pessoas de todas as idades a oportunidade de desenvolverem e partilharem conhecimentos e experiências, no quadro de instituições e organizações de diferentes países.

O que oferece o Programa Erasmus+ aos estudantes da UFP?
A possibilidade de efetuar um período de estudos, com pleno reconhecimento académico (como parte integrante do programa de estudos), numa universidade parceira da UFP. Os estudantes candidatam-se a um período máximo de 12 meses, podendo combinar estudos com estágios (incluindo estágio como recém-graduado). A duração do semestre de estudos varia de acordo com o calendário académico da instituição de destino e do programa de estudos a ser realizado. Para mobilidade internacional ao abrigo do Programa Erasmus+, a duração mínima para períodos de estudo é de 3 meses, para estágios é de 2 meses.

Quais são as vagas disponíveis?
Pode consultar as vagas Erasmus+ por áreas de estudo na página do Gabinete de Relações Internacionais da UFP (ligação).

Pode-se escolher mais do que uma universidade de acolhimento?
Na ficha de candidatura pode indicar até três opções de universidades para onde pretende ir, desde que estas universidades ofereçam vagas no seu curso. Indicando várias universidades como opções, aumenta também a probabilidade de ser aceite como estudante Erasmus+.

Como obter reconhecimento académico?
O período de estudos no estrangeiro deve ser objecto de prévio e pleno reconhecimento académico por parte do Coordenador ECTS e é definido no Plano de Estudos (Learning Agreement). Isto significa que a UFP se compromete a reconhecer que o período de estudos efectuado no estrangeiro (incluindo exames e outras formas de avaliação) substitui um período escolar similar, do curso em que o aluno se encontra inscrito na UFP.

O que é o Plano de Estudos (Learning Agreement)?
É um acordo entre o aluno e a UFP e a universidade de acolhimento que determina as disciplinas que o estudante vai fazer na universidade de destino, de acordo com as disciplinas a que está inscrito na UFP no respectivo semestre e que não pode ter menos que 30 créditos ECTS por semestre. O Plano de Estudos deve ser elaborado pelo aluno em cooperação direta e contínua com o/a Coordenador/a ECTS e está sujeito a aprovação da Coordenação Institucional.

Podem ser realizadas cadeiras em atraso no estrangeiro?
Os alunos podem realizar as cadeiras a que estejam regularmente inscritos no semestre em que realizam o período de mobilidade.

E no caso de realizar mais que 30 créditos no estrangeiro?
A UFP só se compromete ao reconhecimento académico de 30 créditos por semestre. Os créditos acima de 30 serão colocados no Suplemento ao Diploma como actividades extra-curriculares. A realização de créditos ECTS em excesso (mais de 30 ou 60) não dá ao estudante o direito de requerer equivalências suplementares.

Pode ser realizado um estágio curricular no estrangeiro?
Sim. O Programa Erasmus+ abrange duas modalidades de estágio: estágio para estudantes e estágio para recém-graduados. O Gabinete de Relações Internacionais (ligação) divulga regularmente as oportunidades de estágio disponíveis. Os alunos podem, no entanto, propor a realização do estágio numa empresa/instituição/organização que esteja previamente disposta a aceitá-los. Para tal, devem procurar uma instituição que os acolha e lhes emita uma carta de aceitação, indicando o período em que o estágio irá decorrer. No processo de candidatura, será dada preferência aos candidatos que já tenham definido e contactado a empresa/instituição/organização para realização do estágio.

Quais são as consequências de não cumprimento do Plano de Estudos?
O não cumprimento do plano de estudos acordado por alteração ou falta de aproveitamento, implica a perda do direito ao reconhecimento académico, a devolução do valor correspondente à isenção de propinas e, poderá ainda implicar a devolução integral da bolsa de mobilidade concedida.

Quais são os critérios de elegibilidade?
São elegíveis estudantes que são cidadãos de um país elegível, apátridas, refugiados políticos ou com estatuto de residente permanente e que são devidamente matriculados na UFP a um grau ou diploma, incluindo o doutoramento.

Quais são os critérios de selecção gerais?
Média mais elevada (até à data de candidatura) – 80%;  Ausência de disciplinas em atraso: 10% (os alunos da FCS, no entanto, não podem ter disciplina em atraso); Conhecimento da língua utilizada nas aulas na Universidade de destino; 10%
Nota: As candidaturas de alunos finalistas são prioritárias. Não são consideradas candidaturas de alunos que, tendo sido selecionados em anos anteriores, desistiram de efectuar o seu período de estudos Erasmus+.

Existe a possibilidade de receber bolsa e apoio financeiro?
Sim, há bolsas Erasmus+ que são de mobilidade, não de estudos, e destinam-se apenas a cobrir as “despesas de mobilidade”. Todos os estudantes selecionados podem candidatar-se a uma bolsa Erasmus+. O seu valor é definido anualmente e varia em função do país de destino e do número de meses de estada. Não há lugar a qualquer pagamento na universidade de destino.

Já participei em Programa de intercâmbio, posso candidatar-me para o Programa Erasmus+?
Sim, no entanto têm prioridade os alunos que nunca participaram em nenhum programa deste tipo.

Quais são os documentos necessários para entregar na candidatura Erasmus+?
Ficha de candidatura online (preenchida em Inglês – ligação);
Carta de motivação (preenchida em Inglês);
Curriculum vitae –
modelo Europass (preenchido em Inglês – ligação);
Cópia do B.I./C.C.;
Fotografia tipo passe;
2 cartas de recomendação (em
impresso próprio, entregue no GRI pelos docentes – ligação).

Como obter mais informações?
Primeiro, deve consultar o Regulamento de Mobilidade com atenção, verificar as vagas na sua área e pesquisar mais informação sobre as universidades parceiras para onde pretende ir. Também se pode dirigir ao Gabinete de Relações Internacionais (GRI).

Onde fica o Gabinete de Relações Internacionais (GRI) e qual é o horário de atendimento ?
O GRI está localizado no Edifício da Reitoria, 2º andar. Consulte o horário de atendimento (ligação)