Acreditação plena, por 6 anos,
pela A3ES, em 22-06-2016 (ligação)

Provas de Ingresso (reg. geral)
Economia, História ou Português
Vagas (reg. geral) 50 

Se optares por este curso, poderás exercer funções não só ao nível da investigação criminal, mas também da consultadoria e elaboração de programas de política criminal, programas de apoio a vítimas, programas de prevenção e reinserção de delinquentes e programas penitenciários; apoio às forças de segurança, tribunais e empresas de segurança privada; formação, ensino e investigação. O Criminólogo poderá desenvolver a sua atividade profissional em contextos institucionais como: forças de segurança (PJ, PSP, GNR); Ministério da Defesa Nacional; Serviço de Estrangeiros e Fronteiras; Tribunais de Justiça; Direcção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais; centros educativos; autarquias; instituições de ensino; centros de investigação; instituições de apoio a vítimas; gabinetes de mediação; gabinetes de advogados; serviços de segurança privada e ainda como profissional liberal.

PORQUÊ ESCOLHER CRIMINOLOGIA DA UFP?

–––
Proximidade e apoio dos professores ao longo de todo o curso

–––
Corpo docente altamente qualificado e diferenciado, com experiência e reconhecimento nacional e internacional.

–––
Estágio final proporcionando uma experiência semi-profissional sem paralelo, preparando os alunos para uma melhor inserção no mercado de trabalho.

–––
Programas das unidades curriculares com conteúdos científicos e técnicos atualizados, que permitem aos alunos uma aprendizagem aplicada e uma adaptação gradual à futura vida profissional.

A SUA EQUIPA DE APOIO

O sucesso educativo alcança-se através do trabalho de equipa. Durante o seu processo de candidatura, e sempre que precisar, contará com o apoio e aconselhamento de uma equipa de profissionais.

Professores

Além de academicamente qualificados, os nossos professores são conhecidos por serem muito próximos dos alunos e disponíveis para esclarecer todas as suas dúvidas.

Equipa de Acolhimento

A equipa de acolhimento, constituída por colaboradores da UFP que são maioritariamente antigos alunos da universidade, tem como objetivo facilitar a integração dos novos alunos.

Colaboradores

Presencialmente (durante os horários de atendimento) ou à distância de um clique, os nossos colaboradores são conhecidos pelo seu profissionalismo e pela sua disponibilidade para ajudar.

PLANO DE ESTUDOS

1º Ciclo Licenciatura* · Duração: 6 Semestres · 180 ECTS
Conforme: Despacho nº 207588/2008, DR 2ª série nº 152, de 07 de Agosto de 2008 · Despacho nº 12236/2013, DR 2ª série nº 185, de 25 de Setembro de 2013

UNIDADES CURRICULARES ECTS

a) Conhecer e identificar as diferentes etapas do pensamento criminológico, as ideias principais de cada uma delas e os autores de referência.b) Identificar as diferenças fundamentais entre as diferentes etapas do pensamento criminológico e as diferentes perspetivas que dessa evolução surgiram. c) Compreender a problemática da medição do fenómeno criminal e as suas implicações. d) Desenvolver uma compreensão holística do fenómeno criminal.

Pretende-se que os alunos obtenham uma visão global das principais contribuições da Psicologia Social no âmbito dos processos de pensamento social e influência social.
Desta forma, pretende-se que os alunos sejam capazes de:(i)Adquirir e integrar os conceitos, modelos, teorias no domínio da psicologia social; (ii)Adquirir e integrar conhecimentos básicos sobre a categorização social, as representações sociais, as atitudes, a identidade social e os processos grupais;(iii)Identificar e compreender os processos de influência social; (iv)Identificar e compreender os processos de pensamento social e influência social para a criminologia; (v)Capacidade de comunicação interpessoal e intergrupal; (vi)Demonstrar uma atitude de investigação e desenvolvimento auto-orientado.

Desenvolver a capacidade de entender as especificidades do conhecimento científico nas Ciências Sociais, particularmente o papel do método no mesmo. Promover o entendimento do caráter aplicado do conhecimento produzido pelas CS.

(i)Possuir conhecimentos e capacidade de compreensão de conceitos, teorias e conhecimentos na área da Ética e Deontologia em Criminologia.(ii)Saber aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridos, de forma a permitir uma correta avaliação e resolução de dilemas na área da investigação criminal; (iii)Desenvolver capacidades para fundamentar soluções e juízos emitidos na análise de aspetos sociais, científicos e éticos relevantes; (iv)Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita; (v)Desenvolver uma atitude crítica e autocrítica, bem como adotar valores éticos e deontológicos.

Conhecimento e capacidade de compreensão sobre as fases e características específicas da metodologia científica.Aplicação dos conhecimentos e compreensão na elaboração de um trabalho científico.Capacidade de recolher, selecionar e interpretar informação relevante, de forma a produzir um trabalho científico.Competência para comunicar de forma escrita / oral de modo estruturado, organizado e abrangente a vários a públicos.Competências de autoaprendizagem, especificamente na recolha e tratamento da informação.

Desenvolvimento da competência linguística e comunicativa dos alunos com o objetivo de assegurar uma comunicação eficaz numa pluralidade de situações sócio-profissionais. Consolidação de estruturas gramaticais e padrões previamente adquiridos. Identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês.Desenvolvimento das capacidades críticas e reflexivas dos alunos, através de uma aprendizagem e gestão autónomas.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

1.Possuir conhecimentos e capacidade de compreensão de conceitos, teorias e investigação na área das perspetivas biológicas e psicológicas do crime.2.Saber aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridos, de forma a permitir uma correta avaliação de problemáticas específicas relativas a perspetivas biológicas e psicológicas do crime.3.Desenvolver capacidades para fundamentar soluções e juízos aquando da análise de aspetos sociais, científicos e éticos da biologia e da psicologia do crime.4.Aperfeiçoar competências no âmbito da comunicação escrita e oral.

A presente unidade curricular tem como objetivo primordial dotar os alunos de conhecimentos fundamentais acerca das perspetivas sociológicas do crime e suas especificidades. Para além da explanação de diversas abordagens teóricas, pretende-se estimular o desenvolvimento de uma abordagem integrativa, pragmática e analítica ao fenómeno criminal, bem como uma atitude geral de investigação, reflexão crítica e busca activa de conhecimento de base empírica.

i) Possuir conhecimentos e capacidade de compreensão de conceitos e teorias na área dadelinquência juvenil, bem como a evolução do sistema de justiça juvenil em Portugal;ii) Saber aplicar os conhecimentos adquiridos e demonstrar capacidade de compreensão dos mesmos de forma a permitir uma correta avaliação e resolução de problemáticas específicas da delinquência juvenil, bem como a identificação de intervenções apropriadas nesta matéria;iii) Desenvolver capacidades para fundamentar soluções e juízos emitidos na análise de aspetos sociais, científicos e éticos relevantes em matéria de delinquência juvenil;iv) Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita; v) Desenvolver uma atitude crítica e autocrítica e mostrar autonomia e conduta responsável na intervenção com jovens delinquentes.

Fornecer aos estudantes os quadros essenciais da matéria, incluindo os fundamentos teóricos e dogmáticos dos vários institutos e, bem assim, a análise pormenorizada do direito positivo penal português.Proporcionar uma completa e harmoniosa formação dos alunos com vista à sua futura inserção nas carreiras profissionais.Pretende-se que os alunos compreendam e saibam aplicar os princípios gerais do direito penal, que compreendam o que é crime no nosso ordenamento jurídico, e o saibam reconhecer, conheçam as suas vicissitudes, as suas formas, a ilicitude e culpa, as penas e seus fins.

(i)Integrar conceitos, teorias e conhecimentos na área de integração europeia; (ii)Desenvolver competências de interação que permitam aos alunos participar em sala de aula nos debates sobre fenômenos políticos contemporâneos e a participação portuguesa no processo europeu;(iii)Selecionar métodos de gestão de informação capazes de orientar os alunos em leituras selecionadas sobre os assuntos europeus; (iv)Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita; (v)Desenvolver competências de análise crítica e síntese sobre os fenômenos políticos contemporâneos e o processo de integração europeia.

Desenvolvimento da competência linguística e comunicativa dos alunos com o objetivo de assegurar uma comunicação eficaz numa pluralidade de situações sócio-profissionais. Consolidação de estruturas gramaticais e padrões previamente adquiridos. Identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês.Desenvolvimento das capacidades críticas e reflexivas dos alunos, através de uma aprendizagem e gestão autónomas.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos gerais: pretende-se que os estudantes conheçam os procedimentos e técnicas de investigação criminal e o modo como podem ser iniciados e desenvolvidos no contexto do sistema jurídico português. Objetivos específicos:a) Adquirir conhecimentos sobre conceitos específicos na área da investigação criminal e ser capaz de os aplicar em situações específicas;b) Assimilar as possibilidade e limitações da investigação criminal face ao enquadramento jurídico vigente.c) Selecionar a informação pertinente em função de casos concretos de forma a conseguir identificar atores e procedimentos relevantes em matéria de investigação criminal;d) Conhecer as prioridades de política criminal e ser capaz de perspetivar o modo como essas prioridades podem ser prosseguidas em termos de investigação criminal; e) Perspetivar a investigação criminal em função das formas e dimensões da criminalidade;


Promover os conhecimentos teórico-práticos sobre a problemática do conflito, da negociação e da mediação, com o intuito de possibilitar a sua resolução construtiva em diferentes níveis da realidade.Apresentar um conjunto diversificado de metodologias e técnicas de intervenção de cariz psicossociológico aplicadas na gestão de conflitos, negociação e mediação, com o sentido de desenvolver no aluno as competências necessárias para enfrentar os conflitos da realidade intrapessoal e interpessoal.

1.Capacidade de compreensão e de análise crítica sobre os principais aspetos jurídicos do Direito da Família e Menores, com especial destaque para os menores nas suas relações sociais e jurídicas. 2. Capacidade para operacionalizar os direitos dos menores na prática, com destaque para as casos práticos simples.


Pretende-se que os alunos sejam capazes de possuir uma visão global do desenrolar do processo penal, distinguindo as suas diferentes fases, os diversos sujeitos processuais e diferentes funções de cada um, os principais aspetos das matérias lecionadas e que adquiram capacidade no manuseamento e correta utilização da legislação relevante na disciplina.

A escolher entre:

Criminalidade organizada:

Objetivos gerais: aquisição de conhecimento e capacidade de compreensão; capacidade de aplicar os conteúdos a situações práticas; selecionar a informação pertinente em função da situação-problema; desenvolver as competências de comunicação; desenvolver as competências de análise crítica. Objetivos específicos: a) Conhecer as correntes teóricas atuais que orientam o debate sobre a definição de criminalidade organizada; b) Compreender a especificidades dos processos de produção de conhecimento no âmbito específico do crime organizado; c) Assimilar as dificuldades e limitações da criminalidade organizada enquanto objeto de investigação empírica; d) Ser capaz de perspetivar a heterogeneidade da criminalidade organizada, designadamente em termos das suas características territoriais, organizacionais e estruturais em função do seu contexto de emergência.

Criminalidade económica:

O aluno terá de possuir um conhecimento do fenómeno que lhe permita produzir informação (escrita ou oral) de relevo e com sustentabilidade;

– Compreender a globalidade e interdisciplinaridade do fenómeno da criminalidade económica e financeira;

– Relacionar os conhecimentos obtidos com a realidade social e criminal;

– Identificar as manifestações do fenómeno na sociedade;

 

 

UNIDADES CURRICULARES ECTS

(i) Promover a integração de conceitos, teorias e conhecimentos na área da psicopatologia clínica e forense; ii) Promover a aquisição, desenvolvimento e aprofundamento de conhecimentos e de capacidades que permitam uma correta avaliação de diversas perturbações e patologias e sua ligação ao crime; iii) Familiarizar o aluno com a investigação recente nesta área do conhecimento, com vista à promoção de uma atitude de investigação;iv) Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita e o desenvolvimento de uma atitude crítica e autocrítica; v) Incentivar a adoção sistemática de valores éticos e deontológicos.

(i)Contribuir para o conhecimento de conceitos e teorias na área da criminologia e da Vitimologia; (ii)Adquirir, desenvolver e aprofundar conhecimentos e capacidades que permitam uma correta avaliação de problemáticas específicas de crime e violência; (iii)Desenvolver o interesse pela investigação e intervenção nestas áreas; (iv) Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita; (v)Desenvolver uma atitude crítica e autocrítica, bem como adotar valores éticos e deontológicos

Pretende-se que os alunos sejam capazes de possuir uma visão global do desenrolar do processo penal, distinguindo as suas diferentes fases, os diversos sujeitos processuais e diferentes funções de cada um, os principais aspectos das matérias leccionadas e que adquiram capacidade no manuseamento e correcta utilização da legislação relevante na disciplina.

Aquisição de conhecimentos na área da medicina legal, no que respeita ao seu âmbito, objetivos e competências. Obtenção de informação e conhecimentos teóricos relativos às áreas específicas da Patologia Forense e Toxicologia. Contato com a resolução de casos práticos.

*A escolher entre:

Políticas criminais:e direito internacional

1- Conhecimentos adquiridos:a) Compreender o significado e âmbito da política criminal e a sua relevância no campo criminológico.b) Perspetivar analiticamente a evolução da política criminal portuguesa c) Avaliar criticamente Influência do direito e das instituições supranacionais na política criminal d) Construir um quadro teórico que lhes permita compreender desafios na implementação da política criminal no domínio preventivo e repressivo. 2- Capacidades:a) Desenvolver uma visão crítica – sedimentada na análise de estudos empíricos – acerca das tendências de política criminal.b) Adquirir competências que permitam a pesquisa bibliográfica em bases de dados nacionais e internacionais de estudos empíricos e teóricos sobre os diversos conteúdos programáticos de forma autónoma. 3- Atitudes:a) Sedimentar a capacidade de desenvolver trabalhos de grupo de forma estruturada. b) Mostrar-se recetivo aos desenvolvimentos nacionais e internacionais em matéria de política criminal.

Violência contemporânea e mass-média

Esta unidade curricular tem como principal objectivo proporcionar uma visão do crime como fenômeno socialmente construído, analisando as implicações da sua representação mediática. Desta forma, a disciplina reúne temas como: crime e violência – o enquadramento conceitual e jurídico, a construção social do crime e da violência, a representação da criminalidade e da violência nos media.

 

UNIDADES CURRICULARES ECTS

A unidade de Crime e Adições visa levar o aluno da licenciatura de Criminologia a:a) Conhecer/Distinguir as principais vertentes explicativas do fenómeno droga-crime;b) Conhecer/Distinguir as principais explicações droga-violência;c) Compreender as interações implicadas, e respetivas consequências, no perfil droga-crime; d) Identificar as principais características de funcionamento do indivíduo droga-crime.

No fim do semestre, o aluno deverá ser capaz de: 1. Identificar e analisar as necessidades criminógenas presentes numa comunidade ou zona geográfica. 2. Identificar e selecionar as necessidades de intervenção do grupo-alvo, assim como os contextos onde estes poderiam ser contactados. 3. Definir os objectivos e metas da intervenção4. Selecionar um plano de intervenção mais adequado para conseguir atingir as metas e objetivos selecionados, através de estratégias baseadas na evidência. 5. Avaliar o sucesso da intervenção.

A presente unidade curricular tem como objectivo primordial dotar os alunos de conhecimentos fundamentais acerca da criminalidade sexual, suas especificidades, formas, contextos e atores, em articulação com o género. Para além da explanação de diversas abordagens teóricas, tipológicas e etiológicas, pretende-se estimular o desenvolvimento de uma abordagem integrativa, pragmática e analítica a este fenómeno, bem como uma atitude geral de investigação, reflexão crítica e busca ativa de conhecimento de base empírica.

A presente unidade curricular tem como objetivo primordial dotar os alunos de conhecimentos fundamentais acerca dos sistemas penitenciários e a execução de penas, assim com das suas especificidades. Para além da explanação de diversas abordagens teóricas, pretende-se estimular o desenvolvimento de uma abordagem integrativa, pragmática e analítica ao cumprimento das penas, bem como uma atitude geral de investigação, reflexão crítica e busca activa de conhecimento de base empírica.

*A escolher entre:

Terrorismo e medidas de segurança: 

 

Possuir conhecimentos e capacidade de compreensão de conceitos, teorias e conhecimentos na área do Terrorismo; Saber aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridos, de forma a permitir uma correta avaliação de casos de terrorismo e a adoção de medidas de segurança que permitam reduzir o seu impacto; Desenvolver capacidades para fundamentar soluções e juízos emitidos na análise de assuntos relacionados com a segurança e na tomada de medidas anti-terroristas; Aperfeiçoar competências de comunicação escrita; Desenvolver uma atitude reflexiva crítica e autocrítica, bem como adoptar valores éticos e deontológicos; aprender a distinguir valores relativos de valores absolutos como os direitos humanos e a desenvolver características de empatia que permitam observar o fenómeno do terrorismo de vários pontos de vista.

Opinião pública e justiça Criminal:

i) Compreender os conceitos de opinião púbica, medo do crime e insegurança e fomentar a aquisição de conhecimentos acerca dos efeitos no sistema de justiça criminal.ii) Apreender os diversos condicionalismos geradores de opinião pública sobre a justiça criminal. iii) Avaliar criticamente os diversos condicionamentos geradores de sentimentos de insegurança e medo do crime estimulando a reflexão crítica dos alunos em torno à reação social e institucional ao crime.iv) Conhecer os fatores que influenciam a decisão das vítimas em denunciar crimes e a influência da opinião pública nas prisões
Conteúdos Programáticos:

* A conclusão, com aproveitamento, de todas as unidades curriculares que integram o plano de estudos do 1º ciclo (180 ECTS) confere o grau de licenciado.

COORDENAÇÃO DO CURSO

Profª. Doutora Ana Sacau

Envie o formulário para ser contactado pela coordenação do curso



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País














INTERCÂMBIO / ESTUDAR NO ESTRANGEIRO

Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram os critérios de elegibilidade dispõem da possibilidade de realizar períodos de estudo e/ou de estágio em mobilidade internacional.

Os períodos de estudo em mobilidade internacional de estudantes são realizados em instituições de ensino superior fora de Portugal, com as quais a UFP mantém acordos de intercâmbio de estudantes, ao abrigo do Programa Erasmus+ (no espaço Europeu) ou de outros acordos bilaterais de intercâmbio existentes.

Informação sobre programas de mobilidade/intercâmbio estão disponíveis através do Gabinete de Relações Internacionais (ligação).

CANDIDATURAS E TAXAS ESCOLARES

1.ª FASE* (REGIME GERAL E UNIÃO EUROPEIA)
CANDIDATURAS: 01 MAI – 14 AGO 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 17 AGO 2018
MATRÍCULAS: 20 AGO – 07 SET 2018

2.ª FASE* (REGIME GERAL E UNIÃO EUROPEIA – VAGAS EVENTUALMENTE SOBRANTES)
CANDIDATURAS: 11 – 18 SET 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 20 SET 2018
MATRÍCULAS: 20 SET – 26 SET 2018

RECEÇÃO AOS NOVOS ALUNOS E INÍCIO DO ANO LETIVO:  17 SET. 2018

* Não dispensa a consulta do Cronograma de Ingresso (PDF)

VER TAXAS

VISITE O CAMPUS UNIVERSITÁRIO

Venha conhecer a Universidade Fernando Pessoa. Visite as bibliotecas, laboratórios e espaços do campus UFP.
Desfrute dos espaços verdes e tire uma foto ao pé da estátua do nosso Patrono, Fernando Pessoa.



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País








  • ANTIGOS ALUNOS

    A Antiga Aluna Sofia Abreu é, desde 2016, Técnica Superior no Ministério da Justiça.

     

    (WIKIPEDIA.ORG)

     

     

  • ANTIGOS ALUNOS

    O Antigo Aluno Manuel Gomes é, desde 2005, Intelligence Analyst/Spotter na Polícia de Segurança Pública.

     

    (FACEBOOK – POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA)