Acreditação plena, por 6 anos pela A3ES, em 06-05-2014 (ligação)

Curso reconhecido a Nível Europeu através do registo no INDEX FEANI, que permite aos diplomados em Engenharia Informática pela UFP trabalhar como Engenheiros no Espaço Europeu (ligação).

Provas de Ingresso (reg. geral)
Matemática
Vagas (reg. geral) 40 

Os licenciados em Engenharia Informática podem exercer actividade como: engenheiros de sistemas informáticos; analistas de sistemas; analistas/programadores; programadores de aplicações; programadores web; programadores de mobile apps; administradores e /ou gestores de bases de dados; especialistas de segurança informática; gestores de projetos de software; gestores de redes; consultores de sistemas de informação; gestores de sistemas de informação.

PORQUÊ ESCOLHER ENGENHARIA INFORMÁTICA DA UFP?

–––
Proximidade e apoio dos professores ao longo de todo o curso

–––
Corpo docente altamente qualificado e diferenciado, com experiência e reconhecimento nacional e internacional.

–––
Programas das unidades curriculares com conteúdos científicos e técnicos atualizados e uma grande percentagem de aulas práticas, permitem aos alunos uma aprendizagem em contexto real e uma adaptação gradual à futura vida profissional.

–––
Qualidade das instalações.

A SUA EQUIPA DE APOIO

O sucesso educativo alcança-se através do trabalho de equipa. Durante o seu processo de candidatura, e sempre que precisar, contará com o apoio e aconselhamento de uma equipa de profissionais.

Professores

Além de academicamente qualificados, os nossos professores são conhecidos por serem muito próximos dos alunos e disponíveis para esclarecer todas as suas dúvidas.

Equipa de Acolhimento

A equipa de acolhimento, constituída por colaboradores da UFP que são maioritariamente antigos alunos da universidade, tem como objetivo facilitar a integração dos novos alunos.

Colaboradores

Presencialmente (durante os horários de atendimento) ou à distância de um clique, os nossos colaboradores são conhecidos pelo seu profissionalismo e pela sua disponibilidade para ajudar.

PLANO DE ESTUDOS

1º Ciclo Licenciatura* · Duração: 6 Semestres · 180 ECTS
Conforme: Registo R/B-AD-300/2006, DR 2ª série n.º 117, de 20 de Junho de 2006 · Despacho n.º 18216/2006, DR 2ª série n.º 172, de 06 de Setembro de 2006 · Despacho n.º 12171/2013, DR 2ª série n.º 184, de 24 de Setembro de 2013

UNIDADES CURRICULARES ECTS

O objetivo principal desta unidade curricular é o de fornecer ao aluno competências ao nível da compreensão dos conceitos fundamentais da mecânica Newtoniana e de campo elétrico e magnético bem como da aplicação desses conceitos na resolução de problemas.

Conhecimento e capacidade de compreensão sobre as fases e características específicas da metodologia científica.Aplicação dos conhecimentos e compreensão na elaboração de um trabalho científico. Capacidade de recolher, selecionar e interpretar informação relevante, de forma a produzir um trabalho científico.Competência para comunicar de forma escrita / oral de modo estruturado, organizado e abrangente a vários a públicos. Competências de autoaprendizagem, especificamente na recolha e tratamento da informação.

Nota prévia: a disciplina é lecionada ao nível Intermediate (B1), de acordo com o ‘Common European Framework of Reference’- CEFR Competências genéricas: Comunicar, compreender e produzir mensagens em língua inglesa, tanto em contextos sociais, como profissionais. Utilizar a língua inglesa num conjunto de situações reais. Adotar a atitude introspetiva e reflexiva, tendo em conta a realidade social e económica da comunicação e as suas gramáticas específicas / General Competences: Communicate, understand and produce messages in English, both in social and professional contexts. Use English in a variety of real situations. Adopt a reflexive attitude, considering the social-economic reality of communication practices.

Competências (Descritores Dublin):
1. Conhecimento e compreensão:
1.1. Noção de programa de computador: descrição, implementação e teste
2. Aplicação de conhecimento e compreensão:
2.1. Aplicar e conceber programas de computador em certas classes de problemas.
2.2. Utilizar a linguagem de programação C na implementação de algoritmos.
3. Avaliação/tomada de decisões:
3.1. Escolha dos algoritmos adequados para a resolução de problemas e/ou projetos de software.
4. Comunicação:
4.1. Descrever um algoritmo nas representações estudadas.
4.2. Trabalhar em grupo.
4.3. Argumentar oralmente e por escrito.
5. Autonomia e aprendizagem:
5.1. Conhecer e aprofundar outras linguagens de programação existentes.
5.2. Autonomia para ultrapassar dificuldades inerentes a novos problemas

O principal objetivo é a criação de bases sólidas de conhecimentos matemáticos, como os conceitos de função, derivada e integral, promovendo o raciocínio lógico e metódico, indispensável a todo o engenheiro para fazer face aos desafios que lhe possam surgir. No final da unidade curricular o estudante possuirá as seguintes competências: – capacidade para interpretar e equacionar matematicamente problemas reais, utilizando os conceitos de funções, derivadas e integrais; – capacidade para selecionar e aplicar corretamente as ferramentas matemáticas disponíveis para a resolução desses problemas; – capacidade para interpretar e analisar criticamente os resultados obtidos.

Descrever e analisar os mais recentes desenvolvimentos em hardware e software e discutir do seu impacte; Proporcionar conceitos válidos e de longa duração sobre sistemas e tecnologias de informação que possam ser aplicados nas futuras carreiras profissionais.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

O objectivo principal é sensibilizar e preparar os alunos para o desenvolvimento adequado da actividade de análise de sistemas, fornecendo conhecimento e práticas sobre abordagens, técnicas e ferramentas, que possam facilitar e suportar o desempenho profissional de Análise de Sistemas (no contexto dos computadores e do digital.

As aulas teóricas proporcionarão conhecimento e pistas que permitirão realizar os exercícios das aulas práticas, assim como o trabalho autónomo de projeto. As práticas, organizadas em atividades, orientaram o aluno na busca e sistematização de conhecimento.No final do semestre o aluno deverá ser capaz de produzir um documento de requisitos de sistema de informação, que enquadre e justifique a necessidade de um novo sistema, as mais-valias a atingir, e que defina e especifique os requisitos funcionais e não funcionais do sistema. Para tal, deve escolher de forma consciente uma determinada abordagem e as ferramentas que concretizam essa abordagem.

O objetivo principal da disciplina de Eletrónica Aplicada é o de fornecer ao aluno um conhecimento introdutório sobre a teoria das redes elétricas, e dotar o aluno de um conhecimento geral sobre as bases dos sistemas eletrónicos da tecnologia atual, bem como uma prática laboratorial sólida que permite adquirir conhecimento sobre os aparelhos de medida fundamentais e sobre o funcionamento real dos circuitos elétricos e eletrónicos.

A aleatoriedade e a incerteza são características comuns a muitos fenómenos com os quais é preciso lidar em Engenharia. Nesse contexto, torna-se indispensável a definição de métodos e modelos que permitam compreender e inferir o comportamento de variáveis aleatórias. Nesse âmbito, constituem objetivos da unidade curricular a introdução e o desenvolvimento de conhecimentos e técnicas de recolha e análise de dados e de inferência necessárias à modelação de variáveis aleatórias. No final da unidade o aluno fica com competências específicas que lhe permitem descrever, analisar e estabelecer conclusões sobre dados uni e bi-variados, calcular probabilidades de acontecimentos simples e compostos, conhecer e usar os principais modelos teóricos de distribuição de probabilidades, estimar parâmetros e testar hipóteses.

A Matemática II, disciplina de formação de base de qualquer curso de Engenharia, surge como complemento à Matemática I, com o objetivo de aprofundar alguns conhecimentos matemáticos anteriormente abordados. Pretende-se assim fornecer ferramentas matemáticas mais avançadas, criando bases sólidas de conhecimentos matemáticos, como os conceitos de função, derivada e integral, e equação diferencial. Pretende-se também promover o raciocínio lógico e metódico, que nos nossos dias é indispensável a todo o engenheiro para fazer face aos desafios que lhe possam surgir. No final desta unidade curricular o aluno deverá ser capaz de: – Interpretar e equacionar matematicamente problemas reais, utilizando os conceitos de integrais e equações diferenciais; – Selecionar e aplicar corretamente as ferramentas matemáticas disponíveis para a resolução desses problemas; – Interpretar e analisar criticamente os resultados obtidos.

A escolher entre Língua Estrangeira e Constituição Prtuguesa e União Europeia ou outras definidas anualmente pelo órgão competente da Faculdade.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Competências (Descritores Dublin):

  1. Conhecimento e compreensão:

1.1. Noção de algoritmo (ALG): descrição, implementação e análise utilizando diversas notações

1.2. Compreensão de ALG e estruturas de dados (ED) em projetos de software e na resolução de problemas concretos

  1. Aplicação de conhecimento e compreensão:

2.1. Aplicar ED lineares e genéricas como arrays e listas ligadas.

2.2. Aplicar ALG em conjunto com ED e tipos abstratos de dados (TAD), como pilhas e filas.

2.3. Utilizar a linguagem de programação C na implementação de ALG e ED.

  1. Avaliação/tomada de decisões:

3.1. Escolha das ED e ALG adequados para a resolução de problemas e/ou projetos de software.

  1. Comunicação:

4.1. Descrever um ALG dominando representações abstratas de algoritmos.

4.2. Trabalhar em grupo.

4.3. Argumentar oralmente e por escrito.

  1. Autonomia e aprendizagem:

5.1. Conhecer e aprofundar outras técnicas algorítmicas existentes.

5.2. Autonomia para ultrapassar dificuldades inerentes a novos problemas

O principal objetivo da Análise Numérica é determinar soluções aproximadas de problemas matemáticos complexos usando apenas as operações mais simples da aritmética. Procura-se nesta unidade curricular apresentar diferentes metodologias que possam ser aplicadas na resolução de problemas da engenharia, procurando desenvolver, no aluno, o espírito crítico e de análise dos resultados obtidos de forma a estabelecer o grau de confiança nos mesmos.

1-Estudar a representação interna dum computador.

2-Apresentar os componentes básicos dum computador com ênfase na estrutura do processador e no ciclo de instrução.

3-Conhecer as funções básicas dos conjuntos de instruções dos processadores.

4-Programar um processador usando o conjunto de instruções de uma arquitetura.

5-Evidenciar a relação existente entre as linguagens de baixo nível e de alto nível: compilação e interpretação.

6-Analisar técnicas de aumento de desempenho como o “pipelinning” e “caches”.

7-Identificar os mecanismos de I/O de baixo nível usados pelo processador.

Esta unidade curricular pretende que os alunos consigam compreender e expressar-se algoritmicamente através da linguagem de programação C. Inicialmente os conceitos básicos da linguagem são introduzidos (cf. tipos de dados, operadores e expressões, estruturas de controlo, estruturação de funções, vetores, estruturas, apontadores e gestão de memória, etc.) de modo a que os alunos consigam analisar, compreender e desenvolver programas em C. Posteriormente, pretende-se que os alunos dominem a implementação de estruturas de dados lineares com recurso a apontadores (cf. pilhas, listas ligadas, etc.) e ficheiros (cf. texto e binários), bem como de mecanismos vulgarmente utilizadas na modelização e desenvolvimento de soluções concretas em C. Os alunos deverão ser capazes de compreender fluentemente qualquer programa em C e utilizar todas as potencialidades da linguagem para definir estruturas de dados e desenvolver os algoritmos necessários à resolução de múltiplos problemas de programação.

A disciplina de Sistemas Digitais tem como objetivo fundamental disponibilizar ao aluno o conhecimento e os métodos essenciais à análise e projeto físico de computadores, com uma ênfase nos seus blocos funcionais que se baseiam em circuitos eletrónicos digitais. Pretende-se preparar o aluno para a realização da síntese, minimização e implementação dos circuitos lógicos combinatórios e sequenciais que são utilizados nos subsistemas digitais.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Competências (Descritores Dublin):

  1. Conhecimento e compreensão:

1.1. Noção de algoritmos (ALG) e estruturas de dados (ED) de pesquisa e de grafos

1.2. Compreensão desses ALG e estruturas de dados (ED) em projetos de software e na resolução de problemas concretos

  1. Aplicação de conhecimento e compreensão:

2.1. Aplicar ALG e ED de pesquisa e de grafos

2.2. Utilizar a linguagem de programação Java na implementação de ALG e ED.

  1. Avaliação/tomada de decisões:

3.1. Escolha das ED e ALG adequados para a resolução de problemas e/ou projetos de software.

  1. Comunicação:

4.1. Descrever um ALG dominando representações abstratas de algoritmos.

4.2. Trabalhar em grupo.

4.3. Argumentar oralmente e por escrito.

  1. Autonomia e aprendizagem:

5.1. Conhecer e aprofundar outras técnicas algorítmicas existentes.

5.2. Autonomia para ultrapassar dificuldades inerentes a novos problemas.


Conhecer e aplicar soluções de forma a resolver problemas típicos das aplicações ubíquas e sensoriais, atingindo uma solução satisfatória ou óptima do problema.

No final da unidade curricular de Investigação Operacional (IO), os alunos deverão possuir competências específicas que lhes permitam: formular Modelos de Programação Linear; Resolver Graficamente Problemas de Programação Linear; Usar o Método do Simplex; Entender a Dualidade em Programação Linear.

Conhecer a estrutura e operação do sistema operativo. Conhecer a programação multi-processo e multi-tarefa. Programar em linguagem C, em ambiente GNU/LINUX, utilizando a interface de chamadas ao sistema POSIX. Estudar diferentes mecanismos de comunicação entre processos. Conhecer os mecanismos do SO para coordenação entre processos e tarefas. Programação de problemas clássicos de coordenação entre processos e tarefas. Conhecer os mecanismos de gestão da memória num sistema operativo moderno. Conhecer a implementação de sistemas de ficheiros. Conhecer os mecanismos de Entrada e Saída do sistema operativo.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Esta unidade curricular tem os seguintes objetivos de aprendizagem:

  • Conhecer a arquitetura clássica de um SGBD, identificando os seus componentes
  • Analisar e desenhar logicamente modelos de bases de dados, utilizando o modelo ER
  • Desenhar e otimizar fisicamente modelos de bases de dados
  • Utilizar a Álgebra Relacional como linguagem de consultas
  • Escrever consultas em SQL
  • Compreender as estruturas de armazenamento, e otimizar índices
  • Compreender as implicações do controlo de concorrência
  • Adequar os acessos SQL para minimizar problemas de concorrência
  • Compreender a recuperação

 

O objetivo da unidade curricular consiste em fornecer ao aluno as noções fundamentais da programação recorrendo a implementação de diversas e diferentes aplicações Web. Estas serão implementadas usando uma linguagem de programação definida pelo Docente. Esta linguagem irá permitir ao aluno ambientar-se com a sintaxe e métodos subjacentes às aplicações Web. O conjunto dos aspetos teórico-práticos da programação Web serão suportados através de projetos de software. As aplicações WEB serão suportadas por bases de dados e o desenvolvimento das mesmas até à interface com o utilizador. 

Fundamentos, modelos e ferramentas de engenharia de software utilizados na definição, gestão, desenvolvimento e avaliação de sistemas de software.

A unidade curricular de Multimédia I tem como objetivo principal fornecer ao aluno o conhecimento sobre as aplicações multimédia existentes e as tecnologias que as suportam, bem como os métodos e as ferramentas necessárias ao seu desenvolvimento. Pretende-se identificar com clareza os princípios fundamentais e as questões envolvidas no desenvolvimento de aplicações multimédia abrangendo a digitalização, a interactividade, as fases do projecto multimédia, as ferramentas de autoria multimédia e os formatos de representação de texto, gráficos, imagens, áudio, vídeo e animação.

Compreender as redes de telecomunicações com base no modelo OSI. Estudo de conceitos de comunicação de dados associados aos níveis físicos e de ligação de dados do modelo OSI. Estudo aprofundado de redes de área local com ênfase na Ethernet. Planeamento, configuração, teste e depuração de erros em topologias de rede local avançadas (protocolos 802.1Q, GVRP, VTP). Configuração redes de computadores em laboratório usando equipamentos normalizados e simuladores.

UNIDADES CURRICULARES ECTS
  1. Conhecimento e capacidade de compreensão: • Criar um plano de projeto em Gestão de Projetos. • Planear e controlar as fases do Projeto e as tarefas de cada elemento da equipa. • Determinar os riscos do Projeto e realizar planos de contingência. • Definir os critérios e garantir o controlo da qualidade. 2. Aplicação de conhecimentos e compreensão: • Proporcionar aos alunos o aprofundamento e a capacitação na área de Gestão de Projetos, de acordo com a norma do PMI (Project Management Institute) difundida pela publicação PMBOK (Guide to Project Management Body of Knowledge). • Desenvolver competências adequadas à atividade de gestão de Projetos. • Preparar os alunos que devem estar munidos de conhecimentos aprofundados em Gestão de Projetos que lhes permitam desenvolver a sua atividade profissional.

Esta disciplina de tem como objetivo principal o aprofundamento das várias questões associadas à representação multimédia que foram introduzidas na disciplina de Multimédia I. Assim, o seu conteúdo pretende fornecer ao aluno os fundamentos teóricos da compressão, um panorama das várias técnicas de compressão multimédia existentes e uma análise aprofundada dos métodos e normas de codificação de áudio, vídeo e imagem mais importantes, incluindo as normas JPEG e MPEG.

A definir anualmente pelo órgão competente da Faculdade.

Compreender as redes de telecomunicações com base no modelo OSI com ênfase nos níveis de rede, transporte e de aplicação. Breve introdução à segurança em redes de computadores. Simulação e configuração de protocolos de encaminhamento, gestão da congestão e qualidade de serviço em laboratório. Programação de aplicações em rede usando “Berkeley Sockets” em ambiente GNU/LINUX.

Compreender as redes de telecomunicações com base no modelo OSI com ênfase nos níveis de rede, transporte e de aplicação. Breve introdução à segurança em redes de computadores. Simulação e configuração de protocolos de encaminhamento, gestão da congestão e qualidade de serviço em laboratório. Programação de aplicações em rede usando “Berkeley Sockets” em ambiente GNU/LINUX.

* A conclusão, com aproveitamento, de todas as unidades curriculares que integram o plano de estudos do 1º ciclo (180 ECTS)  confere o grau de licenciado.

COORDENAÇÃO DO CURSO

Prof. Doutor Nuno Magalhães Ribeiro

Envie o formulário para ser contactado pela coordenação do curso



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País














INTERCÂMBIO / ESTUDAR NO ESTRANGEIRO

Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram os critérios de elegibilidade dispõem da possibilidade de realizar períodos de estudo e/ou de estágio em mobilidade internacional.

Os períodos de estudo em mobilidade internacional de estudantes são realizados em instituições de ensino superior fora de Portugal, com as quais a UFP mantém acordos de intercâmbio de estudantes, ao abrigo do Programa Erasmus+ (no espaço Europeu) ou de outros acordos bilaterais de intercâmbio existentes.

Informação sobre programas de mobilidade/intercâmbio estão disponíveis através do Gabinete de Relações Internacionais (ligação).

CANDIDATURAS E TAXAS ESCOLARES

1.ª FASE* (REGIME GERAL E UNIÃO EUROPEIA)
CANDIDATURAS: 01 MAI – 14 AGO 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 17 AGO 2018
MATRÍCULAS: 20 AGO – 07 SET 2018

2.ª FASE* (REGIME GERAL E UNIÃO EUROPEIA – VAGAS EVENTUALMENTE SOBRANTES)
CANDIDATURAS: 11 – 18 SET 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 20 SET 2018
MATRÍCULAS: 20 SET – 26 SET 2018

RECEÇÃO AOS NOVOS ALUNOS E INÍCIO DO ANO LETIVO:  17 SET. 2018

* Não dispensa a consulta do Cronograma de Ingresso (PDF)

VER TAXAS

VISITE O CAMPUS UNIVERSITÁRIO

Venha conhecer a Universidade Fernando Pessoa. Visite as bibliotecas, laboratórios e espaços do campus UFP.
Desfrute dos espaços verdes e tire uma foto ao pé da estátua do nosso Patrono, Fernando Pessoa.



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País








  • ANTIGOS ALUNOS

    O Antigo Aluno Nuno Pinto é, desde 2009, IT Team Leader na Sonae Arauco, um dos maiores produtores mundiais de painéis derivados de madeira.

     

    (SONAEARAUCO.COM)

  • ANTIGOS ALUNOS

    O Antigo Aluno Ciro Miranda é, atualmente, Head of Site Reliability Engineering na Jumia Travel, agência de viagens online, considerada a número 1 do continente africano.

     

    (FACEBOOK – CIRO MIRANDA)