SOBRE O CURSO

Acreditação plena, por 6 anos, pela A3ES, em 28-09-2011 (ligação)

Com o curso de mestrado em criminologia pretende-se que o estudante seja capaz de compreender e resolver problemas específicos num contexto alargado e multidisciplinar. A integração dos conhecimentos adquiridos ao longo deste curso deverá capacitar o estudante para lidar com questões complexas no âmbito da criminalidade. Adicionalmente, o estudante deverá também ser capaz de reflectir sobre as implicações éticas e sociais da aplicação do conhecimento da Criminologia ao contexto real e de investigação.

Espera-se que os conhecimentos adquiridos permitam ao estudante desenvolver-se autonomamente nos diferentes campos da Criminologia, em particular em fenómenos da criminalidade mais actuais e em crescimento.

Este ciclo de estudos tem assim como objetivos:
– dotar o aluno dos instrumentos necessários para criar aplicações originais no contexto da Criminologia. Numa atualidade marcada pela necessidade da aplicação da Criminologia ao contexto da análise do fenómeno criminal, torna-se pertinente a especialização de profissionais em fenómenos criminais específicos e complexos (e.g. cibercriminalidade) permitindo uma resposta de prevenção e controlo eficaz destes novos crimes;
– fornecer uma compreensão do fenómeno criminal que não perca o carácter bio-psico-social do mesmo e que permita uma análise macro (o fenómeno) e micro (o indivíduo);

– responder à necessidade de analisar criticamente a criminalidade e as possíveis soluções em termos de políticas criminais futuras que contestem de forma eficaz os índices de criminalidade;
– proporcionar aos alunos competências para desenvolver investigações rigorosas no âmbito da criminologia que permitam o avanço do conhecimento científico nesta área.

A formação adquirida permitirá ao estudante, por um lado, reforçar as saídas profissionais normalmente associadas à criminologia, habilitando-o, nomeadamente, a exercer funções em órgãos de polícia criminal, no sistema prisional, nos serviços de reinserção social, em centros de protecção de crianças e jovens, em centros educativos de menores delinquentes e em centros de acolhimento e de proteção a vítimas. Por outro lado, capacitará o estudante para a elaboração e participação em projetos de intervenção junto da comunidade para a identificação e resposta a fatores criminógenos.

DESTINATÁRIOS DA FORMAÇÃO

Podem candidatar-se ao ciclo de estudos conducente ao grau de mestre (2.º ciclo):

  • os titulares do grau de licenciado ou equivalente legal;
  • os titulares de grau académico superior estrangeiro, conferido na sequência de um 1.º ciclo de estudos, organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;
  • os titulares de grau académico superior estrangeiro, que seja reconhecido como satisfazendo os objetivos do grau de licenciado pelo órgão científico estatutariamente competente do estabelecimento de ensino superior onde pretendem ser admitidos;
  • detentores de currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pelo órgão científico estatutariamente competente do estabelecimento de ensino superior onde pretendem ser admitidos.

PLANO DE ESTUDOS

2º Ciclo (Mestrado) · 4 semestres · 120 ECTS
Conforme Despacho nº 14418/2011, DR 2ª série n.º 204, de 24 de outubro, alterado com Despacho n.º 12240/2013, DR 2ª série n.º 185, de 25 de setembro

UNIDADES CURRICULARES ECTS

A unidade curricular de Justiça, Ética e Direitos Fundamentais visa, principalmente, levar o aluno a: i) Compreender os conceitos de Justiça e Direitos Fundamentais e fomentar a aquisição de conhecimentos acerca do enquadramento conceptual do modelo de justiça. ii) Apreender os diversos condicionalismos dos Direitos Fundamentais nos sistemas jurídico- políticos atuais. iii) Estudar os mais importantes atores nacionais e internacionais nos diversos sistemas envolvidos e promover instrumentos da prevenção eficaz. iv) Promover o aprofundamento dos conceitos éticos e normas deontológicas na investigação criminológica e na profissão de criminólogo. v) Fomentar a avaliação crítica dos diversos conceitos e sistemas envolvidos, estimulando a reflexão crítica dos alunos com o intuito de incentivar a investigação com resultados tendencialmente autónomos.

A presente unidade curricular tem como objectivo primordial dotar os alunos de conhecimentos fundamentais acerca dos perfis criminais e prognóstico da criminalidade. Para além da explanação de conteúdos teóricos basilares e aplicados, acompanhados de casos práticos e exemplos demonstrativos, pretende-se estimular o desenvolvimento de uma abordagem integrativa, pragmática e analítica a esta técnica forense, bem como uma atitude geral de investigação, reflexão crítica e busca ativa de conhecimento de base empírica.

Os alunos que finalizem este curso deverão: (a) Conhecer a origem e características do paradigma da prevenção da criminalidade de base comunitária e relacioná-lo com o modelo de polícia comunitária. (b) Ser capazes de analisar de forma crítica programas de prevenção do crime de base comunitária. (c) Construir programas de segurança comunitária aplicados a problemáticas específicas. (d) Comunicar de forma oral e escrita os conhecimentos adquiridos e as suas aplicações. (e) Saber ilustrar a relação entre desenvolvimento e criminalidade.

O programa da disciplina procura cobrir, no essencial, as fontes de informação para que os discentes possam ter uma noção clara de como é possível estudar a criminalidade. Divide-se em dois grandes grupos: o das fontes primárias, ou seja, as que são especificamente constituídas com o fim de informar e o das fontes secundárias, ou seja, as que são especificamente construídas com outro propósito que não informar mas que apresentam um grande valor heurístico e que, por outro lado, permitem ajuizar com maior assertividade e criminalidade não declarada.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

A unidade curricular pretende promover o desenvolvimento de competências efetivas de reinserção social. Mais concretamente, é pretendido: (1) Dotar aos alunos de conhecimentos teóricos e práticos, competências e atitudes responsáveis perante às necessidade da população condenada, assim como perante aos desafios próprios dos serviços de reinserção e o sistema de justiça.(2) Promover nos alunos a capacidade de aplicar os seus conhecimentos e competências na prevenção da criminalidade e o tratamento dado à esta população durante o cumprimento das penas.(3) Caracterizar as necessidades particulares dos diferentes grupos no sistema penal. (4) Demonstrar raciocínio e comportamento ético relacionado com as fases de reinserção e liberdade condicional

(i) Promover a aquisição e aprofundamento de conhecimentos sobre os mais recentes desenvolvimentos no âmbito da teorização do fenómeno criminal; (ii) Saber aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridos, de forma a permitir uma correta análise e avaliação dos vários fenómenos criminais perpetrados, no feminino e masculino; (iii) Desenvolver capacidades para fundamentar soluções e juízos emitidos na análise de aspetos sociais, científicos e éticos relevantes; (iv) Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita; (v) Desenvolver uma atitude crítica e autocrítica, bem como adoptar valores éticos e deontológicos.

Relativamente à Criminalidade Ambiental: No final, o aluno deverá possuir competências específicas como:Ter uma visão transversal sobre os principais conceitos e problemas ambientais; Ter a capacidade de avaliação e identificação de casos de criminalidade ambiental;conhecer os principais instrumentos legais sobre esta matéria. Esta unidade curricular apresenta os aspetos essenciais relacionados com o cibercrime na sociedade atual, e tem por objetivos fornecer os conceitos técnicos básicos para compreender o cibercrime, e apresentar as respostas existentes da sociedade civil do ponto de vista social, legal e técnico. Apreender as diferentes dimensões e etiologia transnacional do crime. Conhecer as dimensões históricas e contemporâneas da criminalidade transnacional. Analisar criticamente os factores que tornam os Estados vulneráveis a formas particulares de criminalidade.

Pretende-se que os alunos sejam capazes de possuir uma visão global do desenrolar do processo penal, distinguindo as suas diferentes fases, os diversos sujeitos processuais e diferentes funções de cada um, os principais aspectos das matérias leccionadas e que adquiram capacidade no manuseamento e correcta utilização da legislação relevante na disciplina.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

(i) Dominar as diferentes etapas e respetivos procedimentos, no desenvolvimento de um quadro de investigação científica; (ii) Adquirir, desenvolver e aprofundar conhecimentos e competências que permitam planear uma investigação científica; (iii) Aplicar esses conhecimentos no planeamento e ao desenvolvimento de uma investigação científica; (iv) Desenvolver e aplicar o quadro geral da metodologia científica no estabelecimento dos diferentes desenhos de estudo; (v) Caracterizar/Distinguir a forma como se estabelecem os limites da metodologia científica às múltiplas situações e domínios.

COORDENAÇÃO DO MESTRADO

ANA SACAU

Envie o formulário para ser contactado pela coordenação do curso:



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País














INTERCÂMBIO / ESTUDAR NO ESTRANGEIRO

Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram os critérios de elegibilidade dispõem da possibilidade de realizar períodos de estudo e/ou de estágio em mobilidade internacional.

Os períodos de estudo em mobilidade internacional de estudantes são realizados em instituições de ensino superior fora de Portugal com as quais a UFP mantém acordos de intercâmbio de estudantes ao abrigo do Programa Erasmus+ (no espaço Europeu), ou de outros acordos bilaterais de intercâmbio existentes.

Informação sobre programas de mobilidade/intercâmbio estão disponíveis através do Gabinete de Relações Internacionais (ligação).

CANDIDATURAS E TAXAS ESCOLARES

REGIME GERAL (*) (**)
CANDIDATURAS: 01 MAI.- 31 JUL. 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS E MATRÍCULAS: NOTIFICADOS POR E-MAIL

RECEÇÃO AOS NOVOS ALUNOS
E INÍCIO DO ANO LETIVO:  17 SET. 2018

(*) Não dispensa a consulta do Cronograma de Ingresso (PDF)
(**) A UFP pode aceitar requerimentos fora do prazo estabelecido, para candidaturas a Doutoramentos, Mestrados e Pós-graduações, sempre que entenda existirem ou poderem ser criadas condições de integração dos candidatos nos cursos em causa.

VER TAXAS