Sobre o Curso

Acreditado por 3 anos pela A3ES, em 22-09-2017 (ligação)

Regime/Horário
Pós-laboral

O curso de Mestrado em Criminologia procura que o estudante seja capaz de, num contexto multidisciplinar, procurar soluções concretas para as diferentes facetas do crime e da criminalidade, quer do ponto de vista da prevenção, quer da perspetiva da intervenção e reabilitação, quer, ainda, sob a lupa da investigação científica, cuja articulação complementar com investigação criminal garantida pelas forças de segurança se torna uma mais-valia deste domínio científico. A ponte entre o racional teórico e a prática é algo que se procura alcançar junto dos estudantes do Mestrado em Criminologia. A estes desafios, adicionam-se as preocupações com a capacitação dos nossos alunos quanto às implicações éticas e deontológicas, a que se junta a atenção à componente social, que, neste domínio do crime, do comportamento criminoso e da vítima, são de extrema relevância.

Assim, espera-se que os conhecimentos adquiridos permitam ao estudante desenvolver-se nos diferentes campos da Criminologia. Mais concretamente, pretende-se que o aluno seja capaz de desenvolver competências para:

  • Aprofundar mecanismos de atualização permanente de resposta a novas formas de criminalidade;
  • Planear/Implementar programas de avaliação criminológica a nível local/comunitário, nacional;
  • Apreender a realidade criminal integrando os conhecimentos teóricos na redação/emissão de relatórios criminológicos;
  • Desenvolver/Participar ativamente em programas de prevenção criminal (primária, secundária ou terciária) em articulação com organizações judiciárias;
  • Desenvolver/Participar em projetos que integrem equipas inter/multidisciplinares;
  • Dar respostas concretas e apontar possíveis soluções, em termos de políticas criminais futuras;
  • Planear/Realizar investigação científica no âmbito da Criminologia, contribuindo para o avanço deste domínio;
  • Tomar decisões ética, reflexiva e autonomamente, no seu domínio de atuação profissional.

Assim sendo, a formação adquirida permitirá ao estudante, por um lado, reforçar as implicações práticas do conhecimento teórico entretanto alcançado, o que favorecerá a maior possibilidade de abertura ao nível das saídas profissionais associadas à Criminologia, habilitando o aluno, nomeadamente, a exercer funções em órgãos de polícia criminal, no sistema prisional, nos serviços de reinserção social, em centros de proteção de crianças e jovens, em centros educativos de menores delinquentes e em centros de acolhimento e de proteção a vítimas, não sendo de esquecer os poderes locais – como Câmaras Municipais e respetivas polícia e proteção civil, bem como as Juntas de Freguesia. Por outro lado, o estudante estará também capacitado para trabalhar aos níveis das comunidades locais, bem como a nível nacional, junto de organizações judiciárias.

PLANO DE ESTUDOS

2º Ciclo (Mestrado) · 4 semestres · 120 ECTS
Conforme Despacho n.º 9073/2018, DR 2ª série n.º 186, de 26 de setembro

UNIDADES CURRICULARES ECTS

A unidade curricular de Justiça, Ética e Direitos Fundamentais visa, principalmente, levar o aluno a: i) Compreender os conceitos de Justiça e Direitos Fundamentais e fomentar a aquisição de conhecimentos acerca do enquadramento conceptual do modelo de justiça. ii) Apreender os diversos condicionalismos dos Direitos Fundamentais nos sistemas jurídico- políticos atuais. iii) Estudar os mais importantes atores nacionais e internacionais nos diversos sistemas envolvidos e promover instrumentos da prevenção eficaz. iv) Promover o aprofundamento dos conceitos éticos e normas deontológicas na investigação criminológica e na profissão de criminólogo. v) Fomentar a avaliação crítica dos diversos conceitos e sistemas envolvidos, estimulando a reflexão crítica dos alunos com o intuito de incentivar a investigação com resultados tendencialmente autónomos.

A presente unidade curricular tem como objectivo primordial dotar os alunos de conhecimentos fundamentais acerca dos perfis criminais e prognóstico da criminalidade. Para além da explanação de conteúdos teóricos basilares e aplicados, acompanhados de casos práticos e exemplos demonstrativos, pretende-se estimular o desenvolvimento de uma abordagem integrativa, pragmática e analítica a esta técnica forense, bem como uma atitude geral de investigação, reflexão crítica e busca ativa de conhecimento de base empírica.

Os alunos que finalizem este curso deverão: (a) Conhecer a origem e características do paradigma da prevenção da criminalidade de base comunitária e relacioná-lo com o modelo de polícia comunitária. (b) Ser capazes de analisar de forma crítica programas de prevenção do crime de base comunitária. (c) Construir programas de segurança comunitária aplicados a problemáticas específicas. (d) Comunicar de forma oral e escrita os conhecimentos adquiridos e as suas aplicações. (e) Saber ilustrar a relação entre desenvolvimento e criminalidade.

O programa da disciplina procura cobrir, no essencial, as fontes de informação para que os discentes possam ter uma noção clara de como é possível estudar a criminalidade. Divide-se em dois grandes grupos: o das fontes primárias, ou seja, as que são especificamente constituídas com o fim de informar e o das fontes secundárias, ou seja, as que são especificamente construídas com outro propósito que não informar mas que apresentam um grande valor heurístico e que, por outro lado, permitem ajuizar com maior assertividade e criminalidade não declarada.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

A unidade curricular pretende promover o desenvolvimento de competências efetivas de reinserção social. Mais concretamente, é pretendido: (1) Dotar aos alunos de conhecimentos teóricos e práticos, competências e atitudes responsáveis perante às necessidade da população condenada, assim como perante aos desafios próprios dos serviços de reinserção e o sistema de justiça.(2) Promover nos alunos a capacidade de aplicar os seus conhecimentos e competências na prevenção da criminalidade e o tratamento dado à esta população durante o cumprimento das penas.(3) Caracterizar as necessidades particulares dos diferentes grupos no sistema penal. (4) Demonstrar raciocínio e comportamento ético relacionado com as fases de reinserção e liberdade condicional

(i) Promover a aquisição e aprofundamento de conhecimentos sobre os mais recentes desenvolvimentos no âmbito da teorização do fenómeno criminal; (ii) Saber aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridos, de forma a permitir uma correta análise e avaliação dos vários fenómenos criminais perpetrados, no feminino e masculino; (iii) Desenvolver capacidades para fundamentar soluções e juízos emitidos na análise de aspetos sociais, científicos e éticos relevantes; (iv) Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita; (v) Desenvolver uma atitude crítica e autocrítica, bem como adoptar valores éticos e deontológicos.

Relativamente à Criminalidade Ambiental: No final, o aluno deverá possuir competências específicas como:Ter uma visão transversal sobre os principais conceitos e problemas ambientais; Ter a capacidade de avaliação e identificação de casos de criminalidade ambiental;conhecer os principais instrumentos legais sobre esta matéria. Esta unidade curricular apresenta os aspetos essenciais relacionados com o cibercrime na sociedade atual, e tem por objetivos fornecer os conceitos técnicos básicos para compreender o cibercrime, e apresentar as respostas existentes da sociedade civil do ponto de vista social, legal e técnico. Apreender as diferentes dimensões e etiologia transnacional do crime. Conhecer as dimensões históricas e contemporâneas da criminalidade transnacional. Analisar criticamente os factores que tornam os Estados vulneráveis a formas particulares de criminalidade.

Pretende-se que os alunos sejam capazes de possuir uma visão global do desenrolar do processo penal, distinguindo as suas diferentes fases, os diversos sujeitos processuais e diferentes funções de cada um, os principais aspectos das matérias leccionadas e que adquiram capacidade no manuseamento e correcta utilização da legislação relevante na disciplina.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

(i) Dominar as diferentes etapas e respetivos procedimentos, no desenvolvimento de um quadro de investigação científica; (ii) Adquirir, desenvolver e aprofundar conhecimentos e competências que permitam planear uma investigação científica; (iii) Aplicar esses conhecimentos no planeamento e ao desenvolvimento de uma investigação científica; (iv) Desenvolver e aplicar o quadro geral da metodologia científica no estabelecimento dos diferentes desenhos de estudo; (v) Caracterizar/Distinguir a forma como se estabelecem os limites da metodologia científica às múltiplas situações e domínios.

Coordenação

Profª. Doutora Ana Sacau  •  Profª. Doutora Laura Nunes

Envie o formulário para ser contactado.



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País












Intercâmbio Erasmus+

Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram os critérios de elegibilidade dispõem da possibilidade de realizar períodos de estudo e/ou de estágio em mobilidade internacional.

Os períodos de estudo em mobilidade internacional de estudantes são realizados em instituições de ensino superior fora de Portugal com as quais a UFP mantém acordos de intercâmbio de estudantes ao abrigo do Programa Erasmus+ (no espaço Europeu), ou de outros acordos bilaterais de intercâmbio existentes.

Informação sobre programas de mobilidade/intercâmbio estão disponíveis através do Gabinete de Relações Internacionais (ligação).

Condições de Ingresso

Condições específicas de ingresso:

  • Ser detentor de uma formação académica (licenciatura ou equivalente legal), de acordo com a legislação em vigor, na área da criminologia ou em áreas científicas afins (e.g., direito, psicologia, economia, sociologia, antropologia, história, ciências policiais, ciências biológicas);
  • Alternativamente, ser detentor de um currículo escolar, científico e/ou profissional, que seja reconhecido como relevante na área da criminologia ou áreas afins, e que ateste capacidade para realização deste ciclo de estudos pelo órgão científico da UFP.

Critérios de Seleção e seriação:
a) Grau de licenciado ou equivalente legal na área científica do mestrado;
b) Melhor classificação final do grau de licenciado ou equivalente legal;
c) Grau de licenciado ou equivalente legal em área científica mais afim da do mestrado;
d) Curriculum vitae e carta de motivação.

Datas e Custos

ANO LETIVO 2020/21*

REGIME DE CONTINUIDADE (PDF)
(período letivo: setembro 2020 a julho 2021)
CANDIDATURAS (2ª fase): 13 a 31 AGO 2020
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 14 a 18 SET 2020
MATRÍCULAS: 21 a 28 SET 2020

REGIME INTENSIVO
(período letivo: 29 de junho a 31 de julho de 2020 | De segunda a sexta-feira todo o dia e sábados de manhã)
CANDIDATURAS: até 30 ABRIL 2020
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS: 18 MAIO 2020
MATRÍCULAS: 19 a 29 MAIO 2020

1. Submissão de candidaturas, verificação de resultados e matrículas:
1.1. Submissão de candidaturas:
Presenciais, no Gabinete de Ingresso
ou
Online: https://candidaturas.ufp.pt

1.2. Consulta de resultados:
https://candidaturas.ufp.pt > Verificar candidatura

1.3. Matrículas:
Presenciais, no Gabinete de Ingresso
ou
Online: https://candidaturas.ufp.pt > Verificar candidatura > candidatos admitidos a residir no estrangeiro terão acesso a uma ligação para efetuar uma pré-matrícula online; a matrícula é finalizada após a chegada a Portugal

*A realização dos cursos em qualquer regime e horário está condicionada a um número mínimo de alunos.

TAXAS ESCOLARES

REGIME CONTINUIDADE (2020/21)
Consulte Taxas Escolares*:
– Mestrados –2º ciclo – Regime continuidade 
– Mestrados –2º ciclo – Aluno externo e regime de tempo parcial

REGIME INTENSIVO (2020/21)
Consulte Taxas Escolares*:
– Mestrados –2º ciclo – Regime intensivo – edição Janeiro 
– Mestrados –2º ciclo – Regime intensivo – edição Julho 

* Não dispensa a consulta das Normas Gerais Relativas ao Pagamento das Taxas Escolares na UFP.