SOBRE O CURSO

Acreditado pela A3ES, em 01-08-2014 (ligação)

A área da Psicologia ligada à Justiça apresenta-se no nosso país como uma área emergente a nível profissional, facto que decorre, em muito, da adjacência, cada vez mais evidente entre a Psicologia e a Lei. A preocupação pelo apoio à vítima justiça, pela segurança, bem-estar social, a prevenção criminal faz com que a formação de profissionais na área da psicologia da justiça, com especial foco no estudo das vítimas de violência e de crime, seja uma necessidade crescente, capaz de apoiar expressivamente a cooperação multidisciplinar, ao contribuir com uma perspetiva de estudo e análise mais sociopsicológica dos fenómenos de âmbito jurídico.

A existência de um quadro de docentes com formação especializada na área e a componente prática que é possível ver associada, não só pela existência de uma Clínica Pedagógica de Psicologia, mas pela experiência prática de alguns dos docentes no campo de intervenção da Justiça, como técnicos, peritos forenses ou mesmo psicoterapeutas nestas áreas, credibilizam a vertente do ensino ministrado ao nível deste Mestrado.

Este mestrado, para além de um bom suporte académico, exige um trabalho de investigação contínuo, complementar à atividade letiva. Assim figuram entre os principais objetivos deste Mestrado o aprofundar o conhecimento nos domínios da psicologia ligada à justiça, sendo central para a prossecução deste propósito a capacitação do aluno para a prática de investigação e/ou intervenção com vítimas de violência e de crime.

DESTINATÁRIOS DA FORMAÇÃO

O Mestrado está aberto a pessoas com licenciatura em Psicologia e que manifestem interesse na obtenção de uma experiência de qualidade e de renovação de conhecimentos e práticas na área da Psicologia da Justiça, orientados para um melhor profissionalismo.

PLANO DE ESTUDOS

2º Ciclo (Mestrado) · 4 semestres · 120 ECTS
Conforme Despacho nº 2228/2008, DR 2ª série n.º16, de 23 de janeiro, alterado pelo Despacho n.º 12288/2013, DR 2ª série n.º186, de 26 de setembro; alterado pelo Despacho nº 12986/2015, de 16 de novembro de 2015

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Nesta unidade curricular é nosso propósito contribuir para a integração de conceitos, teorias e conhecimentos na área da vitimologia; a aquisição, desenvolvimento e aprofundamento de conhecimentos e de capacidades que permitam uma correcta avaliação de problemáticas específicas de vitimação e a identificação de intervenções apropriadas em cada caso; o desenvolvimento de uma atitude de investigação; o aperfeiçoamento de competências de comunicação oral e escrita; o desenvolvimento de uma atitude crítica e autocrítica; a adopção sistemática de valores éticos e deontológicos.

Permitir ao aluno a aquisição de conhecimento sobre a relação entre violência e crime desde uma perspetiva bio-psico-social. Especificamente, espera-se que os alunos no final do semestre tenham adquirido as seguintes competências e resultados: (01) Integrar conceitos, teorias e conhecimentos na área da violência e do crime; (02) Reconhecer, diferenciar e confrontar os diferentes contributos teóricos; (03) Desenvolver uma compreensão holística do fenómeno criminal; (04) Compreender, utilizar e definir terminologia específica; (05) Adquirir a capacidade para uma correta avaliação de problemáticas específicas de crime e violência; (06) Desenvolver um pensamento crítico face à realidade criminológica actual assim como uma tomada de posição madura e fundamentada; (07) Saber aplicar o conhecimento adquirido a diferentes contextos de investigação; (08) aperfeiçoamento de competências de comunicação oral e escrita.

Unidade curricular que visa aprofundar o estudo estudo praxeológico da “consulta psicológica”, isto é, dos fatores objetivos e subjetivos que determinam o encontro objetivado. Neste sentido, o aluno será incentivado a (i) refletir sobre alguns dos aspetos essenciais da prática da terapia psicológica e a (ii) adquirir instrumentos concetuais e práticos necessários para a consulta psicológica.As principais competências a adquirir são as seguintes: (01) desenvolver e aprofundar conhecimentos acerca das principais competências de consulta psicológica; (02) realizar tarefas de avaliação associadas a uma 1ª consulta, nomeadamente, recolher e articular informação relacionada com o motivo da consulta, tornando visíveis as competências de consulta psicológica adquiridas; (03) demonstrar competências de comunicação oral e escrita; (04) demonstrar capacidades de análise crítica e auto-crítica; (05) demonstrar a adoção sistemática de valores éticos e deontológicos.

Com esta unidade curricular pretende-se: (01) Integrar métodos, técnicas, procedimentos na área da medida e investigação da violência e crime; (02) Integrar os conhecimentos teóricos, as técnicas e estratégias de investigação da violência e crime de forma aplicável a situações concretas; (03) Selecionar métodos e técnicas apropriados; (04) Determinar as características relevantes do testemunho de indivíduos (vítimas menores e adultas, suspeitos) através da realização de entrevistas e outros instrumentos de investigação da violência e crime.

(01) Dominar as diferentes etapas e respetivos procedimentos, no desenvolvimento de um quadro de investigação científica; (02) Adquirir, desenvolver e aprofundar conhecimentos e competências que permitam planear uma investigação científica; (03) Aplicar esses conhecimentos no planeamento e ao desenvolvimento de uma investigação científica; (04) Desenvolver e aplicar o quadro geral da metodologia científica no estabelecimento dos diferentes desenhos de estudo; (05) Caracterizar/Distinguir a forma como se estabelecem os limites da metodologia científica às múltiplas situações e domínios.

Pretende-se que os alunos adquiram conhecimentos relativos aos principais dispositivos de segurança e de justiça.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

(01) Integrar métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos na área da avaliação psicológica com vítimas; (02) Adquirir, desenvolver e aprofundar conhecimentos e capacidades que permitam executar tarefas de avaliação psicológica e de peritagem nomeadamente descrever, explicar e predizer os comportamentos de indivíduos; (03) Selecionar métodos e técnicas apropriados; (04) Determinar características relevantes de indivíduos e de grupos através da realização de entrevistas, testes psicológicos e observação; (05) Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita; (06) Desenvolver uma atitude crítica e autocrítica bem como adoptar valores éticos e deontológicos.

(01) Integrar métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos na área da intervenção psicológica com vítimas; (02) Adquirir, desenvolver e aprofundar conhecimentos e capacidades que permitam executar tarefas de intervenção psicológica; (03) Selecionar métodos e técnicas apropriados à intervenção com vítimas; (04) Determinar características relevantes de indivíduos e de grupos importantes para a intervenção; (05) Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita; (06) Desenvolver uma atitude crítica e autocrítica bem como adotar valores éticos e deontológicos.

A disciplina de “Métodos de investigação científica e análise de dados” enquadra-se dentro do conjunto de disciplinas que pretendem uma formação integral do aluno nos aspetos metodológicos teóricos e práticos. O objetivo desta disciplina consiste em formar o aluno na compreensão, aplicação e interpretação dos métodos de análise de dados quantitativos e qualitativos. No final do semestre o aluno deverá conhecer e saber aplicar e interpretar técnicas de análise de dados quantitativos e qualitativos

(01) Adquirir conhecimentos e capacidade de compreensão sobre o conflito, a gestão construtiva do mesmo no contexto da justiça, a negociação e a mediação; (02) Demonstrar conhecimentos teóricos no estudo do conflito e sua gestão, nomeadamente os procedimentos de negociação e mediação entre ofensor e vítima; (03) Saber identificar e problematizar as diferentes técnicas de gestão construtiva de conflitos, em diferentes âmbitos da prática psicológica na área da justiça; (04) Ser capaz de aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos a casos práticos no contexto da justiça.

COORDENAÇÃO DO MESTRADO

Ana Sani

Envie o formulário para ser contactado pela coordenação do curso:



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País














INTERCÂMBIO / ESTUDAR NO ESTRANGEIRO

Os alunos da Universidade Fernando Pessoa (UFP) que cumpram os critérios de elegibilidade dispõem da possibilidade de realizar períodos de estudo e/ou de estágio em mobilidade internacional.

Os períodos de estudo em mobilidade internacional de estudantes são realizados em instituições de ensino superior fora de Portugal com as quais a UFP mantém acordos de intercâmbio de estudantes ao abrigo do Programa Erasmus+ (no espaço Europeu), ou de outros acordos bilaterais de intercâmbio existentes.

Informação sobre programas de mobilidade/intercâmbio estão disponíveis através do Gabinete de Relações Internacionais (ligação).

CANDIDATURAS E TAXAS ESCOLARES

REGIME GERAL (*) (**)
CANDIDATURAS: 01 MAI.- 31 JUL. 2018
AFIXAÇÃO DOS RESULTADOS E MATRÍCULAS: NOTIFICADOS POR E-MAIL

RECEÇÃO AOS NOVOS ALUNOS
E INÍCIO DO ANO LETIVO:  17 SET. 2018

(*) Não dispensa a consulta do Cronograma de Ingresso (PDF)
(**) A UFP pode aceitar requerimentos fora do prazo estabelecido, para candidaturas a Doutoramentos, Mestrados e Pós-graduações, sempre que entenda existirem ou poderem ser criadas condições de integração dos candidatos nos cursos em causa.

VER TAXAS
  • ANTIGOS ALUNOS

    Maria João Gonçalves é PSICÓLOGA & COACH na União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos, além de exercer a prática privada, em consultório próprio, e de ser investigadora no OPVC (Observatório Permanente Violência e Crime).

    (IMG. CEDIDA PELA PRÓPRIA)