Pós-graduação em regime misto » presencial/online

SOBRE O CURSO

ENQUADRAMENTO

A forma como os alimentos são atualmente produzidos, processados, distribuídos e consumidos tem implicações evidentes na sustentabilidade do planeta, em particular no ambiente, economia e saúde humana. A transformação dos sistemas alimentares é reconhecida como uma ação global determinante para a mitigação das alterações climáticas estando no coração dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).
No entanto, são necessárias políticas, decisões e ações mais inclusivas e integradas no sistema alimentar para moldar a direção do planeta no sentido da saúde global, segurança alimentar, bem-estar social, preservação dos recursos naturais e biodiversidade. Todavia, a transformação do sistema alimentar exige uma forma de pensar mais sistémica, ainda pouco trabalhada em programas académicos.

Reconhecendo a importância da academia em alinhar-se com os enormes desafios para a sustentabilidade do planeta, esta formação procura contribuir para uma governança e liderança mais fortes preparando profissionais para tomadas de decisão no sentido da sustentabilidade e resolução de problemas complexos, que os diferencie num mercado de trabalho em emergência. A transformação do sistema alimentar exige um reconhecimento e uma análise crítica das várias conexões que ligam o sistema produtivo e o consumidor para que ações eficazes sejam implementadas. Neste sentido, esta formação pretende abordar os sistemas alimentares numa perspetiva crítica, criativa e holística que acelere o desenvolvimento de ações, processos e negócios com impacto na ação local pela sustentabilidade do planeta.

OBJETIVOS

  • Reconhecer as interconexões complexas ao longo da cadeia alimentar relacionando os vários intervenientes e funções;
  • Adquirir um nível profundo de conhecimento sobre os desafios da sustentabilidade ao longo da cadeia alimentar;
  • Aplicar uma abordagem sistémica na avaliação da sustentabilidade de sistemas alimentares e que integre vários aspetos críticos para o desenvolvimento sustentável;
  • Explorar soluções integradas para problemas como nutrição e saúde humana, ambiente, economia e bem-estar social;
  • Liderar e inovar em projetos e ações multidisciplinares na área da sustentabilidade alimentar com implicação nos ODS;
  • Integrar e valorizar equipas multidisciplinares na resolução de problemas complexos relacionados com o sistema alimentar.

A QUEM SE DESTINA
A pós-graduação destina-se a todos os interessados e motivados para a transformação do sistema alimentar e contribuição para os objetivos de desenvolvimento sustentável na sua área de atuação incluindo decisores políticos, governantes locais, líderes organizacionais, profissionais de saúde e sociedade civil.

VAGAS
Número máximo de vagas: 20
NOTA: O funcionamento do curso está sujeito a um número mínimo de 15 alunos.

DURAÇÃO
O curso terá uma duração de 30 semanas, correspondente a 60 ECTS.

LOCAL E HORÁRIO
» Presencial/Online
Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa
Sextas-feiras: 16:00-20h00 e Sábados: 9:00–13:00 

 

 

PLANO DE ESTUDOS

UNIDADES CURRICULARES ECTS

» Regime à distância
A unidade curricular (UC) introduz o conceito de sistemas alimentares de uma perspetiva mais política e global. Procura estimular a reflexão e discutir as complexas relações e dinâmicas entre os vários elementos e atividades ao longo da cadeia alimentar e suas implicações para a sustentabilidade do planeta.

Objetivos:

  • Relacionar os vários intervenientes no sistema alimentar global contextualizado nas suas várias dimensões;
  • Identificar pontos de conflito e desafios nos sistemas alimentares e implicações para a sustentabilidade do planeta;
  • Reconhecer a importância da política para a transformação dos sistemas alimentares.

Conteúdos programáticos:

  • Sistemas alimentares e implicações para a sustentabilidade do planeta;
  • Políticas e compromissos internacionais;
  • Estruturas e instrumentos em política alimentar;
  • O sistema alimentar em Portugal. 

» Regime à distância
São introduzidas ferramentas e conceitos necessários para uma boa governança e tomada de decisão e que serão aplicadas em particular no módulo II na resolução de problemas complexos do sistema alimentar. Conceitos como métodos científicos e evidência, indicadores de avaliação e monitorização em sistemas alimentares são explorados módulo.

Objetivos:

  • Reconhecer a importância da evidência científica e métodos de avaliação apropriados para a modificação de sistemas alimentares;
  • Adquirir conhecimentos e ferramentas para boa governança e tomada de decisão em sistemas alimentares.

Conteúdos programáticos:

  • Globalização, estratégia e cooperação Internacional;
  • Boa governança;
  • Ciclo político e planos de ação;
  • Processos de tomada de decisão baseada em evidência;
  • Evidência, metodologias de investigação, monitorização e indicadores;
  • Ética, influência, liderança, gestão de mudança e negociação.

» Regime misto (online/presencial)
Esta UC pretende explorar diferentes sistemas produtivos analisando a relação e dinâmicaentre a produção primária de alimentos e outros atores do sistema alimentar, bem como, os seus outputs e inputs, trade-offs e win-wins com implicações para a sustentabilidade. Reflexão em linha com os ODS.

Objetivos:

  • Conhecer os subsistemas iniciais da cadeia de abastecimento alimentar: produção primária de alimentos e processamento;
  • Compreender as diferenças entre os vários intervenientes e elementos transformadores do sistema alimentar;
  • Identificar o impacto dos intervenientes da cadeia de abastecimento alimentar no ambiente, saúde economia e bem-estar social;
  • Identificar fatores que afetam a sustentabilidade da cadeia de abastecimento alimentar;
  • Descrever as barreiras e oportunidades da indústria alimentar no desenvolvimento de produtos alimentares sustentáveis;
  • Explorar os desafios, conflitos e oportunidades da sustentabilidade dos sistemas produtivos de alimentos;
  • Avaliar, através da aplicação de ferramentas baseadas em indicadores, a sustentabilidade de diferentes segmentos do sistema alimentar;
  • Desenvolver estratégias, com base nos resultados desta avaliação, no sentido de definir caminho para atingir os ODS.

Conteúdos programáticos:

  • Sistema produtivo de alimentos. Desafios para a transformação de sistemas produtivos mais sustentáveis.
  • Agropecuária: modos de produção e impacto no ambiente, solo, biodiversidade, saúde humana, economia, e dimensão social;
  • Pescas e aquacultura. Sistemas e regimes de produção. Impacto do consumo de pescado na dimensão ambiental, social e económica da sustentabilidade.
  • Sistemas integrados de produção de alimentos.
  • Processamento industrial de alimentos e suas implicações na sustentabilidade. Inovação tecnológica e no desenvolvimento de novos produtos.

» Regime misto (online/presencial)
A UC pretende explorar o sistema alimentar urbano, analisando a relação e dinâmica entre os vários atores da cadeia de abastecimento alimentar, e em particular com os agentes de desenvolvimento rural. Reflexão em linha com os ODS.

Objetivos:

  • Explicar a dinâmica do sistema alimentar urbano-rural;
  • Identificar o impacto e desafios do setor do retalho a montante, em loja e a jusante da cadeia alimentar;
  • Descrever a importância da restauração pública e coletiva na sustentabilidade do sistema alimentar;
  • Averiguar o fenómeno do desperdício alimentar ao longo da cadeia de abastecimento;
  • Expor os desafios da gestão de resíduos no sistema alimentar urbano;
  • Reconhecer o papel do sistema de abastecimento alimentar no metabolismo urbano e como um vetor para implementação de políticas urbanas sustentáveis;
  • Identificar o papel da urbanização na modulação dos sistemas alimentares e os desafios do planeamento alimentar urbano;
  • Reconhecer a importância das zonas urbanas e periurbanas na transição para uma economia circular de alimentos;
  • Identificar barreiras e oportunidades de inovação no sistema alimentar urbano;
  • Desenvolver propostas e ações promotoras de sistemas alimentares urbanos sustentáveis.

Conteúdos programáticos:

  • Sistema alimentar urbano-rural.
  • Distribuição alimentar: impacto e desafios do retalho a montante, em loja e a jusante da cadeia alimentar.
  • As cadeias curtas de abastecimento: contribuição para a sustentabilidade do sistema alimentar urbano-rural.
  • Desperdício alimentar e gestão de resíduos urbanos.
  • Planeamento alimentar urbano: integração de estratégias de planeamento alimentar no ordenamento e gestão do território.
  • Oportunidades e barreiras para a inovação no sistema alimentar urbano.

» Regime à distância
A UC foca-se na análise do sistema de consumo alimentar e em particular na relação entre o consumidor, comportamento e a alimentação e como esta dinâmica interage com todas as atividades e intervenientes do sistema alimentar e que estão hoje insustentáveis. A implementação de dietas sustentáveis como a Mediterrânica e a Vegetariana na sociedade são exemplos de importantes ações na transformação do sistema alimentar e desenvolvimento sustentável e a promoção de escolhas alimentares predominantemente de origem vegetal é um enorme desafio para a sociedade atual.

Objetivos:

  • Descrever os determinantes do comportamento e escolhas alimentar;
  • Relacionar a psicologia e práticas sociais com o comportamento alimentar do consumidor;
  • Caracterizar o consumo sustentável;
  • Identificar o impacto das escolhas do consumidor na sustentabilidade da cadeia de abastecimento alimentar.
  • Descrever o impacto das políticas governamentais nas preferências alimentares do consumidor;
  • Relacionar a importância da implementação de dietas sustentáveis na sociedade para a saúde humana, alterações climáticas e desenvolvimento sustentável;
  • Identificar soluções alimentares saudáveis e sustentáveis;
  • Reconhecer as oportunidades e barreiras à implementação de dietas sustentáveis dentro do sistema de consumo alimentar;
  • Desenvolver ações promotoras de dietas sustentáveis.

Conteúdos programáticos:

  • Consumidor: determinantes do comportamento e escolhas alimentares;
  • Psicologia social aplicada ao consumo;
  • Impacto do consumidor na cadeia de abastecimento alimentar;
  • Consumo sustentável: barreiras e desafios;
  • Relação entre as formas de produção e comercialização e o consumo alimentar no desenvolvimento de práticas sustentáveis;
  • Atributos de sustentabilidade dos produtos alimentares no mercado;
  • Marketing e comportamento do consumidor;
  • Princípios básicos da nutrição humana relacionando qualidade nutricional dos alimentos com recomendações nutricionais e padrão alimentar saudável e sustentável;
  • Alimentação saudável e suas implicações para a sustentabilidade;       
  • Determinantes do estado nutricional;
  • Soluções alimentares fornecedoras de nutrição saudável e sustentável;
  • Padrões alimentares sustentáveis.

» Regime à distância
A UC representa uma oportunidade na pós-graduação de olhar o futuro reconhecendo a importância da inovação tecnológica, social e alimentar na modificação do sistema alimentar. Uma reflexão sistémica permite analisar e criticar potenciais ações inovadores para a transformação do sistema alimentar.

Objetivos:

  • Identificar barreiras e oportunidades de inovação no sistema alimentar.
  • Relacionar a perspetiva económica e de marketing com o comportamento do consumidor e demanda por produtos alimentares sustentáveis.
  • Reconhecer o valor de novas iniciativas e áreas de intervenção no sistema alimentar
  • Analisar ações inovadoras e catalisadoras da transformação do sistema alimentar.
  • Contactar com ferramentas relevantes para a inovação.

Conteúdos programáticos:

  • Oportunidades e barreiras para a inovação no sistema alimentar;
  • Respostas aos desafios atuais: hortas verticais, biotecnologia azul, alimentos do futuro;
  • Design thinking;
  • Inovação social;
  • Marketing.

» Regime misto (online/presencial)
Esta UC decorre ao longo da pós-graduação, intercalando e articulando com os conteúdos adquiridos nas restantes UCs. O systems thinking ou pensamento sistémico integra um conjunto de ferramentas que permite olhar para os sistemas de uma perspectiva mais ampla, incluindo estruturas, padrões e relações, em vez de eventos específicos do sistema contribuindo para melhores modelos mentais. A adoção de systems thinking ajuda a lidar com a complexidade de sistemas complexos contribuindo para o desenvolvimento de intervenções mais eficazes integrando vários elementos e dimensões. Systems thinking em contexto de sistemas alimentares é uma abordagem cada vez mais utilizada pelas instituições de ensino superior de referência internacional. Nesta UC os alunos irão trabalhar num projeto a apresentar no final da da formação, no qual será explorado um problema prático do sistema alimentar nacional integrando diferentes metodologias e princípios adquiridos ao longo da pós-graduação.

Objetivos:

  • Lidar com a complexidade dos sistemas alimentares contribuindo para o desenvolvimento de intervenções mais eficazes integrando várias elementos e dimensões;
  • Desenvolver um pensamento analítico sistémico que facilite a integração dos vários elementos do sistema alimentar relacionando-os com implicações socio-económicas e ambientais;
  • Equipar os alunos com uma perspetiva de sistema alimentar nas suas decisões e ações;
  • Avaliar, através da aplicação de ferramentas baseadas em indicadores, a sustentabilidade de diferentes segmentos do sistema alimentar.

Conteúdos programáticos:

  • Systems thinking em contexto de sistema alimentar;
  • Desenvolvimento de modelos que reflitam a complexidade do sistema alimentar;
  • Análise e pensamento criativo, holístico e sistémico sobre os sistemas alimentares. Condução de exercícios e projetos;
  • Estabelecimento de ligações entre os vários conhecimentos e projetos ao longo da pós-graduação identificando conflitos e oportunidades à transformação do sistema alimentar;
  • Ferramentas baseadas em indicadores para avaliação da sustentabilidade em sistemas alimentares.

COORDENAÇÃO

COORDENAÇÃO DO CURSO

Prof. Doutor João Costa Leite (FCS-UFP)
Profª. Doutora Catarina Simões (FCS-UFP)

CONDIÇÕES DE CANDIDATURA

HABILITAÇÕES DE ACESSO
Podem candidatar-se os detentores de grau de Licenciado e devem demonstrar bom domínio da língua inglesa.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO
Os candidatos serão selecionados tendo em conta o Curriculum Vitae e a Carta de Motivação apresentada.
Poderá ser exigida uma entrevista como critério complementar.


DOCUMENTOS PARA A CANDIDATURA

  • Cópia dos diplomas ou certificados comprovativos da Licenciatura/Mestrado*;
  • Cópia do diploma ou certificado comprovativo do Curso de Pós-Licenciatura de Especialização* (se aplicável);
  • CV em modelo Europass, com discriminação dos dados biográficos, instituição e nota final de Licenciatura/Mestrado, formações pós-graduadas, publicações, conferência, comunicações livres, posters, cursos e reuniões científicas frequentadas;
  • Competências adequadas de comunicação na língua portuguesa, equivalentes ao nível mínimo B2 da classificação europeia**;
  • Comprovativo de seguro de responsabilidade civil;
  • Carta de motivação;
  • Cópia do documento de identificação fiscal (para emissão de recibos);
  • Documento de identificação da União Europeia | Cidadãos Extracomunitários: Visto de Estudante para Portugal ou, no caso de já estar a residir em Portugal, Cartão de Residência emitido pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras de Portugal;

* Certificados de estabelecimentos de ensino de estrangeiros:

1. Para todos os países:
a) A certidão de disciplinas tem que incluir a respetiva escala de notas quantitativa, com a indicação da nota mínima para aprovação, utilizada na avaliação curricular;
b) Os certificados que não estejam redigidos em português, inglês, francês ou espanhol devem ser acompanhados de uma tradução para Português, a qual deverá estar legalizada pelo agente consular português no País de origem do diploma/certificado ou legalizada pela Apostilha da Convenção de Haia.

2. Para países extracomunitários, acresce:
a)  Para efeitos de candidatura, aceitam-se cópias simples dos certificados. Para a matrícula, será necessário entregar os certificados com que se apresentaram a concurso, sejam cópias ou originais, autenticados com a Apostilha da Convenção de Haia no país de emissão dos documentos. Caso o país não tenha aderido à Convenção, os documentos terão de ser legalizados pelos serviços oficiais de educação desse país e pela respetiva autoridade diplomática portuguesa.

* * Para candidatos de nacionalidade cuja língua oficial não seja o português.

Nota: A candidatura apenas é validada após o pagamento da taxa de candidatura.


CANDIDATURAS:
Online: em http://candidaturas.ufp.pt 


REGULAMENTO
» Consulte o Regulamento da Pós-graduação em Sistemas Alimentares e Desenvolvimento Sustentável (PDF).

DATAS E CUSTOS

DATAS (*)

Candidatura: 12 de julho a 22 de setembro de 2021

Resultados: até 14 de outubro de 2021

Matrículas: 18 a 26 de outubro de 2021


* A realização do curso obedece a um número mínimo de alunos.

DATAS DE FUNCIONAMENTO DO CURSO

Início do curso:
 12 de novembro de 2021

Conclusão: previsto para 2 de julho de 2022

TAXAS (*) (**)
Taxa de Candidatura: 50 €
Taxa de Matrícula: 250 €
Propina:
Pronto pagamento: 1600 €
               Prestações: 6 x 300 € (total de 1800€)

(*) Não há reembolso dos pagamentos efetuados.
(**) Não dispensa a consulta das Normas Gerais Relativas ao Pagamento das Taxas Escolares na UFP.

CONTACTOS

Gabinete de Ingresso
Universidade Fernando Pessoa
Praça 9 de Abril, 349 | 4249-004 Porto
e-mail:
ingresso@fundacaofernandopessoa.pt

 

Se pretender, poderá enviar formulário para ser contactado:



CandidatoProfissionalOutro


PortugalPaís UEOutro País